Archive for junho \30\UTC 2010

SE NÃO CONSEGUE VENCER, JUNTE-SE A ELE

junho 30, 2010

Várias e maçantes vezes eu bati na tecla de que os interesses financeiros não podem superar o espírito esportivo. Como Guasca de Bom Jesus, “podemos morrer, mas caímos de joelho, não se ‘entreguemo’ pros paraguaio”. Vou manter sempre este pensamento. Mas se sei que não vou conseguir êxito com isso, não adianta só vociferar. Sou louco mas não sou burro. Embora não seja opinião tão aceita assim, interesse financeiro prevalecendo sobre espírito esportivo pode produzir algo útil e saudável. Copa do mundo é o exemplo disso.

A dona FIFA tem seus defeitos, suas intransigências, seus interesses financeiros fúteis e mesquinhos. Mas é forçoso reconhecer que esta entidade transforma e potencializa o futebol e, especialmente, a copa do mundo, em um poderoso fator que supostamente altera para sempre a economia do país que sedia o evento.

Investimentos em infra-estrutura (ruas, estradas, parques, hotéis, restaurantes, etc…), em segurança, em saneamento básico, entre tantas outras áreas, segundo se fala, deixam marcas positivas para sempre.

Se for verdade e o trabalho for feito com consciência, eficiência, ainda que milhões sejam desviados, teremos no Brasil uma mudança radical. Assim, talvez se tornássemos mais atrativas as competições com seleções, mantivéssemos altos níveis de retorno de benefícios para a sociedade.

Será que não seria possível fazer as copas com intervalo de 03 anos? Ou reduzir a extensão dos torneios eliminatórios e fazê-los concentrados em um país-sede? Talvez em continentes diferentes, para não haver favorecimento para o país que sedia: seria interessante uma das fases das eliminatórias europeias aqui no Brasil, por exemplo. Movimentaria o mercado quase tanto quanto a copa do mundo…

Ou quem sabe transformar a Copa América, para ficar no nosso exemplo, que já é feita com um país-sede, passar a ser de modo que as colocações nessa copa definiriam os classificados à próxima copa do mundo… Seria um prestígio para essa copa, que acaba sendo pouco valorizada… Imagina Copa do Mundo e Copa América de 03 em 03 anos, esta última no ano anterior ao mundial, eliminando essa Copa das Confederações… Seria na prática, um ano sem nada de competições com seleções e dois com competições de alto nível de importância.

Bueno, são divagações. Mas certamente seriam bem mais atrativos do que longas eliminatórias (que bem ou mal interferem nos clubes com convocações esparsas) ou que uma Copa América desvalorizada; ou ainda mais interessantes do que uma Copa das Confederações que só serve para testar o país que vai sediar e para lembrar as pessoas de que a gente deve torcer pela seleção, não só pelos clubes.

Nunca pensei que fosse relacionar “la plata que me falta” com esporte. Ainda sou meio resistente a essa ideia, mas dizem que os benefícios para os países-sede são inúmeros. Sendo assim, sou obrigado a me valer das palavras do mestre Jayme Caetano Braun: “em bruxas não acredito, pero que las hay, las hay”…

Anúncios

Efetivo

junho 29, 2010

Num jogo de poucas chances de gol, o Brasil teve mais qualidade e venceu facilmente a seleção chilena.

O Brasil, depois de ter feito 1×0 em um escanteio, explorou os contra-ataques, já que o Chile dava muito espaço ao time de Dunga. Ramires deu mais velocidade e qualidade no passe ao meio campo brasileiro. Daniel Alves também melhorou.

O jogo foi fraco. O time chileno chutou a primeira bola ao gol de Júlio César quase aos 30 minutos do segundo tempo. Porém, isso não é problema brasileiro. Fato é que a Holanda tem um time muito melhor do que o do Chile e o Brasil terá que jogar mais para poder passar de fase.

O óbvio

junho 26, 2010

Quando Dunga convocou a seleção uma coisa ficou clara: o plantel não apresentava qualidade. Hoje contra Portugal ficou mais que provado que o elenco brasileiro é limitado. Sem Kaká e Robinho, os únicos jogadores de grande qualidade do plantel, o time de Dunga teve grandes dificuldades para armar jogadas e teve uma má atuação.

Ficou clara a falta de qualidade do banco de reservas brasileiro. Júlio Baptista não tem condições de ser reserva de Kaká. Daniel Alves não foi bem no lugar de Elano. Será que jogadores que não foram convocados como Ronaldinho Gaúcho, Ganso, Hernanes, não dariam melhores opções ao professor Dunga?

Por sorte e competência, o caminho do Brasil (pelo menos até a final) é teoricamente fácil. O único time que pode impedir isso é a Holanda. Caso contrário, a seleção, com Kaká e Robinho no time, terá vida mansa até a final da Copa.

Maurinho: o Evander Holyfield do Futsal do TYMV

junho 23, 2010
Ninguém queria escolher. O jeito foi fazer sorteio para escolher os times. O Time Azul começou dando as cartas, liderando o marcador com 2 gols deste relator, 1 gol de Bartt e 1 gol de Cleitão. Ratobol jogava demais! RodriNIGHT fazia defesas importantes. Como Cleitão forçava este relator a jogar na defesa, haja vista que não marcava e preferia ficar isolado no ataque, juntamente com Ratobol e Bartt, o Time Branco passou a se aproveitar do espaço concedido por Cleitão. Maurinho e Diogo descontaram para os brancos. Mas os azuis seguiam se defendendo bem, e marcavam gols nos contra-ataques. Cleitão voltou a marcar duas vezes. Maurinho (novamente) e Mossoró marcaram gols para os brancos também. Bartt fez um belo gol “de bicuda”. A vantagem dos azuis, em que pese a troca de gols, era grande: 4 a 0. Foi então que Maurinho “Evander Holyfield” entrou em ação. Os brancos puxavam um contra-ataque perigoso, Bartt correra tudo que podia para preencher o espaço de Cleitão, Diogo fizera ótimo passe para Mossoró, que rolou para Maurinho. Maurinho encheu o pé (confessou depois que não lembra de ter pegado tão forte na bola) e o chute estourou nos órgãos genitais deste relator com franca violência. Não obstante, a pelota ainda rebotearia para Maurinho que, sem piedade nenhuma, arrematou outro fortíssimo chute direto na cabeça deste relator que vos fala. NOCAUTE. KO. Desabei no chão. Foram quase 10 minutos de recuperação. Tontura. Dores indescritíveis. Achei que jamais teria um ereção. Guarnecido por RodriNIGHT e Maurinho, dirigi-me ao banco de reservas para tentar uma recuperação.
__
Os times voltaram ao jogo com 4 para cada lado. Os espaços ficaram ainda maiores na defesa azul, a qual passou a levar um gol atrás do outro. A vantagem de 4 gols foi-se. Após beber água, respirar muito, jogar um pouco de H2O na nuca, e nas genitálias, este relator retornou à quadra com a vantagem reduzida dos azuis frente aos brancos para apenas 1 a 0. Dioguito El Carioca, após jogava bem tramada entre Junique e Maurinho, empatou o jogo em um belo chute por encoberta. Inapelável para RodriNIGHT. Os times mantiveram-se na defensiva – com receio de levar um gol fatal em contra-ataque – e o round, digo peleia, terminou empatada. Confesso: ainda estou tonto; cheguei a ter pesadelos com aqueles dois “diretos de direita” do Maurinho…

———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 111

** TIME BRANCO:

01-Caxias-GK
02-Junique
03-Diogo Carioca
04-Maurinho
05-Mossoró
———————–
6
x
6
———————–

** TIME AZUL:

01-RodriNIGHT-GK
02-Ratobol
03-Bartt
04-Zerbes
05-Cleitão
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 22 de junho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

Espanha segue viva

junho 22, 2010

Deu resultado a modificação feita por Del Bosque ao colocar Torres ao lado de Villa no ataque espanhol. A Fúria teve mais volume de jogo e por consequência se fez mais presente no campo adversário. Tendo mais qualidade na hora do arremate, o time de Villa venceu a fraca Honduras por 2×0 e segue na briga pela vaga nas oitavas de final.

Porém, o time espanhol terá que jogar mais contra o Chile. A tendência é que a Suíça vença Honduras e chegue aos seis pontos. Com isso, a Fúria (que também está com três pontos) tem a obrigação de vencer o Chile para se classificar, como possui melhor saldo uma vitória simples lhe basta. Chile X Espanha será um dos jogos mais emocionantes da primeira fase da Copa. O time chileno vem muito bem no torneio e a Fúria jogará sua vida. Quem levará a melhor?

A melhora brasileira

junho 20, 2010

Evoluiu o futebol brasileiro. O confronto com um adversário de melhor qualidade e que deu mais espaço para a seleção brasileira jogar, fez com que o Brasil jogasse melhor. Com um bom toque de bola e sendo efetivo nas conclusões, o time de Dunga venceu ao natural a Costa do Marfim (3×1) e já está garantido na próxima fase da Copa.

Luís Fabiano voltou a marcar pela seleção, depois de seis partidas em branco, e foi o grande destaque brasileiro. Kaká também melhorou, deu dois passes para gol e se movimentou mais. Porém, Kaká ainda não mostrou na Copa suas arrancadas em velocidade. Fato este que deve acontecer nos próximos jogos. Com Luís Fabiano e Kaká pegando moral, a seleção vai ganhando forma.

A lamentar, só a arbitragem que deixou o pau comer e deu um gol (golaço diga-se de passagem) ilegal em favor do Brasil. Agora é pensar nas oitavas.

A irreconhecível Inglaterra

junho 18, 2010

No papel, a seleção inglesa tem um dos melhores times do mundo. Porém, Capello não consegue fazer com que a equipe jogue em alto nível como o esperado.

Além disso, os jogadores não conseguiram repetir as boas atuações que fazem no seus clubes quando entraram em campo na Copa. Rooney, Gerrard e Lampard estão devendo. E o pior, a Inglaterra corre sério risco de ser eliminado logo na primeira fase. O que seria um dos maiores fiascos da sua história. No jogo de hoje, se o adversário fosse um pouco mais forte, o time de Gerrard tinha perdido ao natural.

Capello terá muito trabalho pela frente. A Inglaterra corre perigo.

Uma França sem alma

junho 17, 2010

Lamentável as duas atuações da seleção francesa até agora. Um time com jogadores de qualidade como Ribéry, Malouda e Henry (reserva), não pode jogar um futebol tão pobre como este.

Raymond Domenech parece não conseguir dar um mínimo padrão de jogo a equipe. O time francês além de não ter nem um tipo de organização, também parece não ter a mínima capacidade de reação. Depois de ter tomado o primeiro gol do México, o time de Ribéry não demonstrou qualquer tipo de indgnação com o resultado. Os jogadores pareciam anestesiados com a situação. Não demorou e o time mexicano marcou o segundo.

A França está muito perto de ficar fora da Copa. Se isso acontecer logo na primeira fase, Domenech nem volta para Paris.

Cruzeiro de Porto Alegre-RS Retorna à Primeira Divisão do Campeonato Gaúcho Após 32 anos de Ausência

junho 17, 2010
Jogadores, torcedores e direção fizeram a festa no Estádio Estrelão. FONTE: ClicRBS

Jogadores, torcedores e direção fizeram a festa no Estádio Estrelão. FONTE: ClicRBS

Para alegria da torcida porto-alegrense da Zona Norte, o Cruzeiro de Porto Alegre-RS garantiu o acesso à Primeira Divisão do futebol gaúcho na tarde desta quarta-feira, mais precisamente às 15h. O Cruzeirinho derrotou o Brasil-Fa por 3 tentos a 2 no Estádio Estrelão, em Porto Alegre-RS, em partida válida pela penúltima rodada do quadrangular final da “entreverada” Segunda Divisão Gaudéria.

Com estes 3 pontos conquistados, a equipe da Capital do RS alcançou 10 pontos, confirmando a classificação, e muito provavelmente o título do campeonato (haja vista que só pode ser superada pelo Lajeadense, o qual tem 7 pontos e precisará fazer saldo. O Cruzeirinho volta à elite do futebol estadual após mais de três décadas.  Os gols do time da casa foram marcados por Diego Torres (2) e Alex (de pênalti), enquanto que Diógenes e Magno (pênalti) assinalaram para a equipe de Farroupilha. Foi uma peleia braba, briga de foice, com campo cheio de lama, poças d’água e muitos lances ríspidos. Momento histórico para a cidade de Porto Alegre-RS, que depois de muitos anos, volta a ter 5 clubes na elite do futebol gaúcho, quais sejam: Grêmio, Internacional, São José, Porto Alegre e Cruzeiro. Parabéns ao Cruzeiro e a toda a sua torcida!!

A última rodada, a qual será disputada neste final de semana, decidirá qual clube fará companhia ao Cruzeiro de Porto Alegre na Primeira Divisão Gaúcha. O Lajeadense enfrenta o Cruzeiro no Estádio Florestal, em Lajeado-RS, ao passo que o Brasil-Fa recebe no Estádio das Castanheiras, na cidade de Farroupilha, o São Paulo de Rio Grande.



equipes PG J V E D GP GC SG %
Cruzeiro 10 5 3 1 1 7 5 2 66
Lajeadense 7 5 2 1 2 6 5 1 46
Brasil-Fa 5 5 1 2 2 8 10 -2 33
São Paulo 5 5 1 2 2 3 4 -1 33

Tchüss!!!

Entrosamento de Mais de 10 Anos Prevalece sobre a Qualidade Técnica no Futsal do TYMV

junho 16, 2010

Mais um grande jogo no futsal do TYMV. Diogo El Carioca havia afirmado semanas atrás que aquele jogo, o qual reunira dois baita arqueiros (Elton Pagliuca e RodriNIGHT), seria sepultado no pretérito, tendo sido uma raridade apreciada por pouquíssimos plebeus presentes àquele seleto e épico evento. E não é que o destino reservava-nos mais um espetacular duelo de arqueiros virtuosos?

Caxias, em especial, merece uma seção “direto do túnel do tempo” (tal como este relator já fizera com RodriNIGHT). Ele estava ausente dos jogos do TYMV há pouco mais de 2 anos, haja vista que sua última aparição foi datada de 27 de maio de 2008, em peleia jogada às 20h30, no Colégio Vicentino Santa Cecília. Naquela época, o time formado por Menezes(GK), Dioguinho Carioca, Bartt, Renatinho e Cleitão, derrotou o time de Caxias(GK), Victor(Cuervo), Bruno Gagliasso, Pedro Henrique e Zerbes pelo placar de 14 a 11. A propósito, os jogos disputados no Santinha costumavam render números astronômicos a título de gols, além de serem verdadeiras “fumaceiras”. Como a quadra era demasiadamente pequena, o contato físico entre os atletas era intenso. Qualquer chute, de qualquer parte da quadra, era um verdadeiro perigo aos goleiros, tendo em vista a proximidade das áreas.

Mas voltando ao jogo, Ratobol e Junique foram os capitães escolhidos para escolher os atletas. Junique optou por um time mais técnico, mais rápido, porém sem um jogador específico de frente. Já Ratobol preferiu formar um time com entrosamento de anos (Ratobol, Diogo, Cleitão e Zerbes se conhecem desde as primeiras séries do primeiro grau), mais raçudo e com dois jogadores para desenvolver as funções de ataque. O Time Laranja, capitaneado por Ratobol, abusava das jogadas de pivô, sempre apostando na pisada deste relator, com as passagens rápidas de Cleitão e Diogo pelas alas, através da articulação de Rato. O Time Azul, capitaneado por Junique, fazia marcação sob pressão, tinha mais posse de bola e tentava chegar à frente na base do toque de bola.

Os laranjas abriram o placar com um gol deste relator, após erro de marcação da defesa azul. Os azuis passaram a pressionar mais, contudo, deixavam espaços para os contra-ataques dos laranjas. Através de jogada rápida, Diogo tocou a bola para este relator na posição de pivô, que tocou na ponta esquerda para Cleitão, que rolou no meio da área para este relator fazer 2 a 0. Indignados, os azuis foram buscar o resultado e descontaram com um gol chorado de Maurinho: após chute forte, em jogada bem tramada por Bartt e Mossoró, Caxias fez a defesa parcial, mas a pelota acabou rolando levemente para dentro do gol. Os laranjas fariam 3 a 1, e os azuis descontariam em seguida, fazendo 3 a 2. Esta troca de gols seguiu-se: 4 a 2 pró laranjas, depois 4 a 3 pró laranjas. Maurinho haveria de aparecer novamente, empatando a peleia bem disputada em 4 a 4. Jogaço! Partida encardida. RodriNIGHT saía extremamente bem do gol, não deixando Zerbes e Cleitão marcarem gols, que a princípio, pareciam claros. Caxias notabilizava-se pelas defesas de reflexo debaixo das traves, tendo, inclusive, pegado 3 chutes sequenciais num mesmo lance.

Foi justamente neste momento crucial da partida, em que o Time Laranja “deu liga”, como se diz na gíria do futebol. Os laranjas passaram a jogar tudo que sabiam, saindo organizadamente de trás, tabelando na frente, e marcando gols na base da raça. A defesa azul não se entendia e “trocava farpas”. Com 2 gols de Cleitão e 2 gols de Dioguito El Carioca, a “Laranja Mecânica” liquidou a fatura, abrindo uma larga vantagem ao final de jogo – o que parecia improvável, dada a maior qualidade técnica do Time Azul. Mais uma vez, a atuação brilhante dos goleiros fez a diferença. Não houve gol feio. Houve grandiosas defesas. Logo, só poderia haver poucos e guerrilhados gols.

———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 110

** TIME LARANJA:

01-Caxias-GK
02-Ratobol(C)
03-Diogo Carioca
04-Cleitão
05-Zerbes
———————–
8
x
4
———————–

** TIME AZUL:

01-RodriNIGHT-GK
02-Junique(C)
03-Bartt
04-Maurinho
05-Mossoró
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 15 de junho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

Robinho e mais nada

junho 16, 2010

Robinho foi o grande destaque da estreia brasileira. Foi o único que deu velocidade e criatividade no time brasileiro. Num meio campo burocrata de três volantes, e um Kaká sem ritmo de jogo e bem marcado, foi Robinho quem tomou a iniciativa e deu vida ao time de Dunga.

Maicon também foi destaque. Não só pelo gol, mas pelo fato de sempre aparecer para o jogo dando opções de jogadas para os armadores (?) brasileiros. Nilmar entrou bem e Luís Fabiano, prejudicado pela falta de criação do meio campo, teve uma atuação apagada.

A defesa – citado como ponto forte brasileiro – não pode tomar gol da Coreia. Dentro do padrão de jogadores convocados por Dunga, o time brasileiro teve atuação mediada. Mas não esperem mais, porque será isso a Copa toda.

JUNIGOL NA COPA

junho 15, 2010

DIA 4 – PRIMEIRA RODADA – GRUPO D

HOLANDA 2 X 0 DINAMARCA

O “novo carrossel holandês” parou no pragmatismo dinamarquês. Apesar do resultado positivo e ficou longe do futebol bonito dos amistosos, tendo uma atuação no máximo razoável. Começou o jogo tomando a iniciativa e tendo mais posse de bola que o adversário. Só que era um domínio inócuo, pois tocava a bola de um lado para outro sem nenhuma penetração na área adversária. Os dinamarqueses jogaram todo o primeiro tempo com as famosas duas linhas de quatro em contra-ataques com lançamentos longos para os grandalhões Bendtner e Rommedal ( este com dois chutes foi o que esteve mais próximo do gol).

A falta de Robben era sentida no time Holandês, por isso não foi de estranhar o modo que saiu o primeiro gol do jogo. Um gol contra da Dinamarca, uma falha técnica, há 1 minuto do segundo tempo. S Paulsen foi afastar de cabeça uma bola cruzada e esta saiu desviada, batendo nas costas do companheiro Agger e entrando no gol. A partir daí a Holanda teve mais espaços pois a Dinamarca foi obrigada a sair mais. Sem criação, não conseguiu resultado prático Aos 6 minutos, Van Persie quase ampliou para os holandeses. 

Na metade do segundo tempo entrou o holandês Elia. Jogando como um antigo ponta esquerda, bem aberto e abusando de velocidade e habilidade deixou a zaga dinamarquesa desnorteada. Pelo outro lado Affelay também criava muito perigo. Aos 36 Sneijder chutou e a bola raspou a trave e aos 39 saiu o segundo gol. Elia concluiu na trave e Kuyt pegou o rebote dando números finais ao jogo.

Foi uma vitória convincente mas sem nenhum brilho da equipe holandesa.

Craque do Jogo: Elia

Pereba: S. Paulsen

 

 

CAMARÕES 0 X 1 JAPÃO

Resultado surpreendente, pois o Japão nunca havia vencido em jogos de estréia em copas, enquanto Camarões nunca havia perdido. Além disso o Japão vinha de 5 derrotas em 6 jogos nos jogos pré-copa. O Japão apresentou um futebol de muita marcação inclusive dos atacantes e muitas jogadas pelas laterais. Camarões tem um futebol muito pobre, com excesso de volantes e com um esquema que deixa isolado seu centroavante Eto’o, atuando quase como ponta direita.

O gol japonês saiu no final do primeiro tempo em um cruzamento para a área em que a zaga falhou e Honda recebeu no segundo pau  concluindo com precisão para as redes. Camarões só levou perigo no segundo tempo com jogadas individuais de Eto’o e chutes de fora da área. Num destes aos 35 do segundo tempo Mbia acertou a trave. Mas foi muito pouco para quem tem a pretensão de repetir a Copa de 90 quando atingiu as quartas de final.

Craque: Honda

Troféu fashion : Assou Ekoto ( tem um cabelo rastafari todo enfeitado e jogou com a etiqueta fora do calção o jogo inteiro)

PRIMEIRA RODADA – GRUPO E

ITALIA 1 X 1 PARAGUAI

Jogo tecnicamente razoável, mas de muita emoção e disposição. O Paraguai mostrou um sistema defensivo sólido e se tiver mais ofensividade pode surpreender. Já a Itália teve um ataque quase inexistente e pressionou no segundo tempo mais pelo abafa do que organizadamente.

No primeiros 15minutos de jogo o Paraguai estava nervoso e não acertava mais de 3 passes consecutivos. Itália dominava o meio campo e comandava as ações. A primeira chance foi num chute de Montolivo, defendido pelo goleiro paraguaio Justo Villar. Após isso os paraguaios passaram a tocar mais a bola e usar mais as laterais, principalmente a direita para criar contra-ataques. Mas ambas as equipes erravam passes no setor ofensivo, deixando o jogo muito limitado as duas intermediárias.

O gol paraguaio surgiu aos 38 minutos. Torres cobrou falta e Alcaraz “decolou”, subindo muito mais que Cannavaro e cabeceando sem chances para Buffon.

No intervalo entrou o goleiro reserva Marchetti, pois Buffon saiu lesionado. Mas quem fazia muita falta era Pirlo o cérebro do meio campo italiano. Sem ele as jogadas saiam forçadas e truncadas facilitando as coisas para a defesa adversária. O Paraguai abdicou do ataque, sentindo o aumento da pressão da Itália que passou a cruzar mais bolas na área, buscando conclusões de Pepe e Iaquinta. Por isso o gol italiano só poderia sair de bola parada.  Aos 18 minutos num escanteio do lado esquerdo, Villar saiu em falso e De Rossi concluiu para o gol vazio. Com a entrada de Camoranesi a pressão da Itália aumentou, mas sem efetividade. Não havia conclusões a gol, apenas a posse de bola. O Paraguai trocou os atacantes mas deixou-os isolados até o final,  sem condiçoes de tentar o segundo gol.

Ambas as equipes tem grandes chances de se classificar. Mas o futuro delas não parece animador, principalmente para a Itália. A falta de Pirlo e o envelhecimento da equipe parecem grandes demais para que o técnico Marcello Lippi possa corrigir.

Craque: De Rossi

Troféu “Alguém me Viu?”: Iaquinta e Lucas Barrios

Troféu Vinho Tinto: Morel Rodriguez e Cannavaro ( quanto mais velhos mais jogam)

Troféu Mustella: Villar e o vôo em falso.

 

JUNIGOL NA COPA

junho 13, 2010

DIA 3 – PRIMEIRA RODADA – GRUPO C

ARGÉLIA 0X1 ESLOVÊNIA

É amigos, quem não tem namorada e está em uma crise de herpes labial pode se dar ao luxo de dormir mais cedo no sábado e acordar no domingo para ver este “clássico” do futebol. E foi uma tortura do começo ao fim. Jogo muito ruim. Times bastante limitados. A Argélia do meio para trás erra poucos passes e toca bem a bola. Passando do meio campo não cria nada. Só passes forçados e lançamentos longos que 90% das vezes dão errado. A Eslovênia é exatamente a mesma coisa.

Jogo muito defensivo. Os times trocavam bolas interminavelmente de modo lento e previsível. As vezes a Argélia acelerava o jogo, mas sem sucesso. Dois lances definiram o jogo: A entrada do camisa 9 argelino Ghezzal aos 14 minutos do segundo tempo, que levou um cartão amarelo com 15 segundos em campo ( é isso mesmo!!! 15 segundos de jogo) e o segundo amarelo aos 27 do segundo tempo por colocar a mão na bola. A expulsão levou a Eslovênia a forçar mais o ataque e aos 33 minutos Koren chutou a gol e o goleiro argelino Chaouchi aceitou levando o segundo frango da Copa do Mundo.

Só com uma falha do goleiro para sair um gol num jogo tão ruim como este.

Craque: NENHUM. NINGUÉM JOGOU ABSOLUTAMENTE NADA

Pereba: Chaouchi

Troféu “Mentalmente Incapaz”: Ghezzal (primeiro lance entrou por trás e levou cartão, segundo lance pôs a mão na bola e foi expulso)

PRIMEIRA RODADA – GRUPO D

SÉRVIA 0X1 GHANA

 Primeira vitória dos africanos na Copa. Mas foi um jogo no máxmo razoável. A Sérvia no papel tem bons jogadores mas falta conjunto. Tem nomes conhecidos como Vidic (zagueiro no Man United) e Stankovic ( meia da Inter de Milão), mas eles não fizeram a diferença, tendo atuações discretas. A Sérvia na maior parte do tempo ficou na defesa e saia apenas nos contra ataques. Teve sua melhor chance de gol aos 30 minutos do segundo tempo quando num cruzamento Pantelic furou e Krasic  pegou a sobra e mandou uma bomba no meio do gol, espalmada pelo goleiro ganês Kingston.

Ghana segue o padrão das equipe africanas atuais. Tem um treinador europeu que tenta dar uma consistência tática ao time. São jogadores fortes fisicamente e com boa velocidade. Tem talvez o melhor toque de bola. Tomou a iniciativa do jogo.  Mas como as outras equipes africanas não tem bom acabamento das jogadas por isso não concluiu tanto quando poderia.

O gol ganês saiu de uma bobagem do zagueiro sérvio Kuzmanovic, que inexplicavelmente colocou a mão na bola após um cruzamento na área aos 39 do segundo tempo. Gyan cobrou e marcou. O mesmo Gyan aos 45 do segundo tempo recebeu um lançamento e concluiu na trave.

Craque: Gyan

Troféu “Alguém me viu?”: Deján Stankovic

Pereba: Kuzmanovic ( é futebol meu camarada, não volei)

ALEMANHA 4 X 0 AUSTRÁLIA

Sem sombra de dúvida o primeiro “vareio” da Copa do Mundo. Não dá para negar que, apesar da fragilidade da defesa australiana, que jogou em linha e tem laterais defensivamente muito fracos, a atuação alemã foi empolgante. Futebol de toques de bola com velocidade, uso constante das laterais com Lahm pela direita e Muller pela esquerda, Özil substituiu Ballack com sobras e foi o melhor em campo. Também jogaram bem Podolski e o brasileiro Cacau que fez o seu logo após ter entrado em campo.

No primeiro tempo a equipe alemã concluiu aos 6 minutos com Klose (perdeu um gol feito). O gol saiu aos 8 com cruzamento de Müller e Podolski mandou uma bomba de primeira, o goleiro australiano Schwarzer espalmou para dentro. Aos 21 Podolski não chegou a tempo e perdeu o gol, logo em seguida foi a vez de Klose perder outro gol. O segundo tento saiu aos 26, cruzamento de Lahm e gol de cabeça de Klose.

No segundo tempo Hollman entrou na seleção australiana e teve duas oportunidades para marcar, mas sem sucesso. Logo sem seguida Cahil foi expulso por falta violenta e a Alemanha retomou o controle do jogo e voltou a pressionar o adversário. Klose perdeu mais dois gols aos 13 e 20min. Müller fez o terceiro aos 23 em um belo chute rasteiro no canto e  Cacau logo após de entrar no lugar de Klose fez o quarto aos 25.

Um futebol bastante ofensivo, bem diferente da tradição germânica. Uma atuação de encher os olhos. Méritos para o treinador Joachim Löw. Alemanha com certeza promete.

Já a equipe australiana foi muito mal na defesa e bateu bastante. O goleiro apesar de falhar no gol de cabeça de Klose impediu uma massacre maior com várias defesas. Vai ter que melhorar muito para passar de fase.

Craque: Özil

Troféu Desperdício: Klose ( fez um mas perdeu um balaio de gols)

Troféu Lenhador: Cahil

JUNIGOL NA COPA

junho 13, 2010

E a bola já está rolando na África do Sul. Superando todas as incertezas por ser a primeira Copa no continenete africano, com uma festa belíssima e numa arena espetacular ( Soccer City) a XIX Copa do Mundo iniciou na última sexta-feira dia 11 de Junho de 2010, com o jogo inaugural entre Africa do Sul e México. E este que vos fala, humildemente, pretende acompanhar todos os jogos e passar para os amigos apenas o essencial sobre os jogos, sem firulas e embromações ( Porque aqui se joga no velho e bom 4-3-3 com ponteiros – rápido, simples e ofensivo).

É claro que não estou na África do Sul, ela não é “logo ali”. Mas se até o Falcão não viajou com o Globo e está acompanhando e comentando os jogos daqui, porque eu não poderia também? E ainda tenho a vantagem de não ter que passar o dia inteiro ouvindo as infames vuvuzelas.

E vamos dar início aos trabalhos:

PRIMEIRA RODADA GRUPO A

AFRICA DO SUL 1 X 1 MÉXICO

Jogo bastante disputado, a seleção africana começou nervosa, errando muitos passes. O México criou as primeiras situações tendo como destaque na articulação o jovem Giovanni dos Santos (ex- Barcelona) que jogou uma boa partida. Só não foi aberto o placar no primeiro tempo devido as boas defesas do goleiro africano Khune, e pela falta de participação do atacante mexicano Vela ( estava apagado o rapaz).

No segundo tempo a Africa do Sul começou a se aproveitar  do fator local e, empurrada pela torcida tomou a iniciativa do jogo. Mas o perigo mesmo era quando partia nos contra ataques, devido a passes de primeira e a alta velocidade dos seus jogadores. O primeiro gol surgiu numa destas jogadas, transição rápida da defesa parao meio campo, lançamento de Steven Pienaar  e um belo chute de canhota de Tchabalala ( segundo alguns analistas devido a seu estilo seria o “Tinga africano”).  Houve também um pênalti não marcado em Modise, e quando parecia que a vitória estava assegurada o empate mexicano veio com Rafa Marquez ( bola levantada da esquerda para direita na área e uma linha de impedimento malfeita – Mokoena dava condições). Quase no final houve uma bola na trave do atacante Mphela, deixando uma certa frustração na torcida africana.

Craque do Jogo: Tchabalala ( velocidade, boa técnica e um lindo gol)

Troféu ” Alguém me viu?”: Carlos Vela (sumido, não fez nada)

Pereba: Oscar Perez ( apenas 1,74m de altura e muita insegurança. Será que não tem outro goleiro melhor no México?)

O “Interminável”:  O mexicano Blanco ( 37 anos e uns quilinhos a mais, no primeiro lance deu uma canelada constrangedora)

FRANÇA 0 X 0 URUGUAI

Bah, esse jogo vai ganhar o “Troféu Latrina” pois devido a consulta médica só vi o primeiro tempo, e já tinha sido ruim. Todas as pessoas que perguntei disseram que o segundo tempo “foi uma m…”. Time francês com jogadores altos e fortes, mas faltando criação de jogadas, feitas quase exclusivamente por Ribéry. Gourcuff também chamado de “Petit Zidane” não entrou em campo e Govou perdeu um gol feito no início do jogo. O volante Diaby foi uma muralha no meio campo francês.

O Uruguai claramente entrou em campo respeitando demais a equipe francesa e demorou quase 20 minutos para começar a jogar. Apesar de inferior fisicamente compensou com muita disposição e, as vezes, alguma violência. Diego Forlán deu bastante trabalho a defesa adversária e Luis Suárez deu alguns chutes a média distância. O goleiro Muslera fez uma atuação segura. Mas o futebol uruguaio continua abusando da violência e Lodeiro conseguiu ser expulso mesmo entrando apenas no segundo tempo. No final o resultado foi justo.

Craque do Jogo: Diego Forlán

Troféu “Alguém me viu?”: Gourcuff

Pereba: Govou (errou um gol feito no início do jogo)

Troféu Lenhador: Lodeiro

A estreia dos Hermanos

junho 13, 2010

Os primeiros minutos da Argentina na Copa foram muito bons. Com velocidade e bom toque de bola, o time de Messi (que estava a fim de jogo) logo cedo abriu o placar.

A seleção de Maradona perdeu mais algumas chances, principalmente com Messi, que viu no goleiro nigeriano Enyeama seu grande obstáculo para a ampliação do placar.

É linda a camisa da Argentina, né?

No segundo tempo a Nigéria assustou a meta argentina. Jogando com velocidade, a partir de entrada de Martins, e aproveitando o lado direito da defesa hermana, fragilizado com a improvisação do meia Jonás Gutiérrez como lateral direito. Porém, faltou qualidade na hora de concluir.

Tirando o peso da estreia em uma Copa, fator que deve ser sempre ressaltado, o time de Maradona provou que não será o mesmo das eliminatórias.  Se acertar a marcação, dará trabalho.

FAVOR NÃO INSISTIR…

junho 11, 2010

O internacional sempre gostou de copiar um pouco o Grêmio, precursor de títulos de importância e também de estratégias de marketing. Cantos de incentivo, letreiros, dizeres… Mas tem uma coisa que não deu pra copiar: o Inter não terá Luís Felipe Scolari. Favor não insistir!

Comunicado de Scolari

O técnico Luiz Felipe Scolari, direto de Lisboa, avisa que agradece ao vice presidente do CR Flamengo, Helio Ferraz, pela conduta profissional e transparente durante o período da conversa que tiveram. Scolari avisa que não pode aceitar o pedido pois ainda não definiu o seu futuro. A prioridade é sua família.

Quanto aos insistentes noticiários sobre o interesse do SC Internacional, Luiz Felipe Scolari reafirma o que disse em entrevista ao vivo à radio Bandeirantes Porto Alegre e São Paulo há 15 dias. E lembra de sua forte relação com o Grêmio, portanto não há hipótese de realizar nenhum trabalho na equipe rival.

Felipão Avisa: Não Treinará o Internacional de Porto Alegre-RS, e o Motivo é o Grêmio

junho 11, 2010

Comunicado de Scolari

O técnico Luiz Felipe Scolari, direto de Lisboa/POR, avisa que agradece ao vice-presidente do CR Flamengo, Helio Ferraz, pela conduta profissional e transparente durante o período da conversa que tiveram. Scolari avisa que não pode aceitar o pedido pois ainda não definiu o seu futuro. A prioridade é sua família.

Quanto aos insistentes noticiários sobre o interesse do SC Internacional, Luiz Felipe Scolari reafirma o que disse em entrevista ao vivo à Radio Bandeirantes Porto Alegre e São Paulo há 15 dias. E lembra de sua forte relação com o Grêmio, portanto não há hipótese de realizar nenhum trabalho na equipe rival.

Acaz Fellegger
Assessor de Imprensa
10/junho

[NOTA DIVULGADA PELO ASSESSOR DE IMPRENSA DE LUIZ  FELIPE SCOLARI]

Noite Gelada na Qual um Único Time Jogou

junho 9, 2010

Este relator teve de inspirar-se em David Coperfield para convocar os 10 atletas deste jogo, tendo em vista as ausências de Diogo Carioca, RodriNIGHT, Benninho Carioca e Renatinho. Ricardo Laudrup, Luís Mirandinha, Mossoró e Fontana foram os substitutos. O Time Branco deu as cartas já com 15 segundos de jogo: em um toco y me voy rápido e envolvente entre este relator e Maurinho, este último só não entrou com bola e tudo porque teve humildade. O Time Branco se soltou mais e desandou a fazer gols, sem muita resistência do Time Colorido. Maurinho era muito participativo, Bartt aparecia como elemento surpresa às costas da defesa, Mossoró articulava bem como de costume, Junique fazia a transição da defesa para o meio com técnica refinada, enquanto este relator caía pelos lados na posição de pivô. Quando a vantagem chegou a 6 tentos a zero, o Time Colorido resolveu reagir com seu primeiro gol, em uma bomba de Luís. Os brancos forçaram mais um pouco e alcançaram a vantagem contundente de 9 a 0. Contudo, o Time Branco deu uma relaxada e passou a administrar ainda cedo a vantagem larga. Ricardo haveria de meter um golaço de encoberta em Junique, e Luís marcaria outros 2 gols em sequência, reduzindo a vantagem branca para 6 a 0. Os times passaram a trocar gols: os coloridos faziam 1 gol, os brancos iam lá e marcavam outro. Cleitão não conseguia desenvolver seu futebol; estava apático. Fontana irritava-se consigo. Era tarde para buscar uma reação. Final: 5 a 0 para os brancos, sem qualquer ameaça à vantagem conquistada.

———————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 109

** TIME BRANCO:

01-Mossoró
02-Junique
03-Bartt
04-Maurinho
05-Zerbes(C)
———————–
13
x
7
———————–

** TIME COLORIDO:

01-Fontana
02-Ratobol
03-Ricardo Laudrup
04-Luís
05-Cleitão(C)
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 08 de Junho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

NA CARA DO GOL

junho 7, 2010

SODOMA E GOMORRA EM BUENOS AIRES

Faltam exatamente 5 dias para o início da Copa 2010 na Á frica do Sul. E como não poderia deixar de ser é disparadamente  o assunto mais abordado tanto pela imprensa quanto pelos cidadãos nas rodas de bate-papo. Mesmo quem não se liga muito em futebol não deixa de dar uma lida nas notícias mais recentes, ou faz seus palpites,  participa de bolões,ou simpelsmente coleciona o álbum de figurinhas da copa ( acredito que nos dias atuais as tais figurinhas estão valendo mais que ouro pois os assaltantes tem constantemente atacado os carregamentos delas causando as escassez das mesmas no mercado). 

Tirando as figurinhas, sou um consumidor voraz do “produto” Copa do Mundo. Leio tudo. Tento ver os jogos-treino. Vejo os noticiários. Vou comprar uma vuvuzela e a camisa da Holanda (obviamente torcerei pelo Brasil fervorosamente, mas o uniforme holandes é lindo e a minha admiração pelo futebol deles é indesmentível). Já pus uma televisão no meu consultório. É a  maior festa do futebol e não perderei nenhum detalhe.

Mas especialmente acompanho muito os notíciários. E os prognósticos sobre os possíveis desempenhos das seleções. Contrariando as minhas análises estou particularmente intrigado com a repentina euforia que acomete  os nossos vizinhos argentinos com a sua expectativa de desempenho na Copa. Parece que os percalços ocorridos nas eliminatórias, os mandos, desmandos e impropérios ditos e cometidos por Maradona no comando da seleção ficaram para trás. O ótimo momento vivido pelos principais jogadores argentinos nos seus clubes como Messi, Higuain, Tevez, Diego Milito e Dí Maria enche de esperança os hinchas e dá a impressão que vencerá a falta de entrosamento, esquema de jogo, fragilidade defensiva e  falta de experiência do seu treinador.

E quando o ego dos argentinos começa a inflar, a Argentina fica do tamanho da Rússia. E vem a cabeça aquelas imagens dos torcedores enlouquecidos berrando e “alentando” sem parar, mesmo que a seleção não pareça ser nem um pouco confiável. Avitória de 5 X 0 contra o Canadá dias atrás serviu apenas para entrosar a equipe, não tendo efeito algum como desafio. Ganhar do Canadá é ” que nem chutar cachorro morto”. Mas vencer, mesmo contra um adversário fraco dá mais esperança e confiança. E o ego infla mais, sobe a cabeça, invade as idéias e as palavras saem das bocas com uma naturalidade impressionante, mesmo que o seu significado pareça inacreditável.

Primeiro Diego Armando Maradona, el “D10S”, objeto de culto da Igreja Maradoniana, treinador e comandante supremo dos jogadores argentinos liberou o sexo, vinho, consumo de doces (sorvetes e doces de leite) e churrascos na concentração, enfatizando que os mesmos devem ser feitos em quantidades moderadas para que o desempenho dos atletas não seja prejudicado. Até aí tudo bem, concordo com isso, não acredito que a privação total dos prazeres seja benéfica para ninguém. Para mim é a receita de um fim de semana feliz: sexo, futebol, carne, vinho e um docinho para rebater. Mas o homem não se aguentou, tinha que fazer uma polêmica, logo em seguida lascou essa:

– Se ganharmos o mundial, ficarei nu no Obelisco (Monumento no centro de Buenos Aires, palco das maiores celebrações populares na capital argentina).

É mole ou quer mais? Mas tem mais. Dias após a modelo Luciana Salazar, ex- affair de Lionel Messi e do chileno Marcelo Salas ( dá para ver que ela tem uma queda por goleadores) também afirmou que ficaria nua no Obelisco se a Argentina for campeã. E isso seria uma visão interessante pois a moça é deveras ” talentosa”:   http://virgula.uol.com.br/ver/album/copadomundo/2010/05/31/12126-modelo-argentina-luciana-salazar-prometeu-ficar-nua-se-a-argentina-ganhar-a-copa

É mole ou quer mais? E ainda tem mais… para pior. Carlos Bilardo, o Diretor Técnico da seleção Argentina e comandante da última conquista em 1986, afirmou peremptóriamente ( ah, Tarso Genro jamais esquecerei da desfeita…) que “faria sexo com autor do gol que viesse a dar o título de tricampeão mundial para os argentinos.”  A afirmação inacreditável é apenas o início da escatológica entrevista concedida por Bilardo.http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-do-mundo/argentina/noticia/2010/06/bilardo-promete-sexo-com-autor-do-gol-do-titulo-mundial-da-argentina.html

Tevez já avisou que faz o gol mas nem louco Bilardo agarraria ele. E não posso deixar de  pensar no que vai se tornar a Avenida 9 de Julho quando do retorno da delegação no improvável evento da Argentina ser campeã. Com certeza vai ser a comemoração mais louca e bizarra de todos os tempos. Para heterossexuais, homossexuais e pansexuais. Bem que o Maradona poderia pedir para o Adriano Imperador participar levar o Anão e o Burro dele, bem… mas isso é uma outra história…

” Desperdício é igual a talento sem organização.” Roberto Júnior

Abraços a Todos!!!

“Jogo ruim assim (ao mesmo tempo) é bom por que o cara passa o tempo inteiro falando merda”.

junho 4, 2010

[ALVES JR., Roberto Ortiz. Torcedor gremista, nas arquibancadas, manifestando-se às gargalhadas durante Grêmio 2×1 Atlético-MG, jogo válido pela sexta rodada do Brasileirão’2010, dia 03.06.2010]


%d blogueiros gostam disto: