Archive for julho \28\UTC 2010

Cansaço Físico Determina Vitória no Futsal do TYMV

julho 28, 2010
Desta feita, não houve escolha de times. O Conselho do TYMV entendeu, por bem, face ao desemparelhamento dos times na última semana, fazer uma boa mescla entre os atletas, sem perder o equilíbrio técnico. O Time Laranja era formado por pivô de movimentação (este relator que vos fala), um atacante de meio (Renatinho), um fixo (Ratobol) e dois alas (Bartt e Diogo Carioca). Da mesma forma, o Time Colorido era formado por um pivô de movimentação (Pedro Henrique), um atacante de meio (Cleitão), um fixo (Junique), um ala (Ricardo Laudrup) e um goleiro (Caxias).
O jogo começou bastante parelho. Os laranjas buscavam o ataque, enquanto os coloridos contra-atacavam com muito perigo. O Time Laranja largou na frente com 2 tentos de vantagem. Contudo, aproveitando falhas de passe dos laranjas e a ausência de um goleiro na meta, os coloridos alcançaram o empate. A peleia encrespou após uma entrada forte de Cleitão neste relator sem bola. Cleitão já havia dado um carrinho por trás em Bartt, na tentativa de complementar um gol de Pedro Henrique. A gana de Cleitão neste jogo era grande, mas acabara exagerando um pouco na vontade. Com 20 minutos de jogo, o Time Laranja resolveu colocar a pelota no chão. Caxias fazia milagres em favor dos coloridos, tendo inclusive, defendido uma bola quase impossível debaixo da linha, após chute à queima-roupa de Renatinho, no melhor estilo “Gordon Banks”. Mesmo assim, os laranjas abriram boa vantagem de 3 a 0. Os times passaram a trocar vantagens, com os coloridos fazendo um gol, e os laranjas devolvendo na sequência. No clímax da peleia, o Time Colorido conseguiu encostar no marcador deixando a vantagem do Time Laranja em 1 a 0. Renatinho, que não vinha em noite muito inspirada, foi para o gol e os laranjas acertaram o esquema. Cansados, os coloridos entregaram os pontos. Para piorar a situação, a trave tornara-se o grande adversário do Time Colorido: foram 3 chutes na trave sequencialmente. Final de jogo:  6 a 0 para os laranjas, um resultado que não traduziu a veracidade dos fatos ocorridos, mas que concedeu a vitória ao time que impôs mais o seu ritmo e aproveitou melhor as oportunidades de gol criadas.
———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 116

** TIME LARANJA:

01-Renatinho
02-Ratobol
03-Bartt
04-Diogo Carioca
05-Zerbes
———————–
17
x
11
———————–

** TIME COLORIDO:

01-Caxias – GK
02-Ricardo Laudrup
03-Junique
04-Pedro Henrique
05-Cleitão
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 27 de julho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

Chocolate Meio Amargo

julho 21, 2010
Como o Conselho do TYMV não contava com a ausência de Benninho Carioca, na tentativa de buscar um atleta que suprisse a ausência deste, faltaram nomes de goleiros para que fosse possível a peleia contar com 2 arqueiros novamente. RodriNIGHT já tirou a tala de proteção que tinha no dedo, mas passa por tratamento intensivo de fisioterapia no DM. Pedro Henrique tentou a convocação de outro goleiro: Ribas. Não logrou êxito. Foram tentados Cuervo, Alemão Pizoni e Fontana na sequência. Então este relator teve a ideia de inovar, convidando um atleta que há tempos já gostaria de ter jogado com a galera tocoymevoyzense: Brunno Messina. Fechados os 10 atletas, minutos antes do início do jogo, Diogo Carioca e Ricardo Laudrup foram os eleitos para a escolha das equipes.
Ao término das escolhas, a disparidade dos times era notória. Este relator ainda brincou com Diogo no meio da quadra: “Tchê, como tu conseguiste?” Ele retrucou afirmando que, quando vira, já estava daquele jeito. O Time Azul, liderado por Ricardo Laudrup, era (deveras) bem mais qualificado tecnicamente. O Time Laranja, liderado por Diogo Carioca, era raçudo, mas com nível técnico regular. Em quadra, o que se viu, desde o início do jogo, foi uma partida desigual. O Time Azul esteve à frente do marcador durante todo o jogo, não tendo sido ameaçado um único instante. No preâmbulo, os laranjas demonstravam muita garra, Bartt e Diogo tentavam variar de posições, Messina e Cleitão faziam gols no ataque e Caxias segurava como podia no gol. Os laranjas chegaram a reagir, encostando no marcador em 4 a 3 para os azuis. Entretanto, quando o Time Azul resolveu jogar, abriu uma ampla vantagem de 7 gols. Ricardo, mesmo com dores no joelho, fazia o time jogar. Junique tocava a bola rapidamente e se deslocava para tabelar. Ratobol, além de defender bem, armava algumas boas jogadas. Este relator e Pedro Henrique, reeditando “a famosa dupla de ataque da Turma 159 do Direito/PUC 2001-05”, desandavam a marcar gols, sempre buscando o toco y me voy. Os azuis passaram a abusar “das jogadas de efeito” no fim da peleia, chegando a perder gols inacreditáveis. A marcação era frouxa, mas mesmo assim o Time Laranja pecava diante do gol dos azuis, errando o último toque. Bartt e Diogo demonstravamcerta dose de irritação com algumas jogadas. Os laranjas esboçaram uma reação final, mas era tarde para tentar reverter um placar tão alto. Sem sombra de dúvidas, foi uma partida muito desparelha. O Conselho do TYMV passará a escalar os times novamente, sempre tentando mesclar o máximo possível, como já fizera em outras oportunidades (inclusive obtendo sucesso), para que não haja tais disparidades nas próximas peleias.
———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 115

** TIME LARANJA:

01-Caxias-GK
02-Diogo Carioca(C)
03-Bartt
04-Cleitão
05-Messina
———————–
10
x
15
———————–

** TIME AZUL:

01-Ratobol
02-Ricardo Laudrup(C)
03-Junique
04-Pedro Henrique
05-Zerbes
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 20 de julho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

LDU/EQU Obtém Amplo Sucesso de Vendas em Evento de Apresentação da Nova Camiseta do Clube

julho 20, 2010
Uniforme muito bem arquitetado nas cores preto e dourado. FONTE: SIte Oficial da LDU/EQU

Uniforme muito bem arquitetado nas cores preto e dourado. FONTE: Site Oficial da LDU/EQU

Não se sabe as razões, mas parece que FORA do evento o uniforme não teve a mesma vendagem. O Departamento de Marketing do clube segue investigando minuciosamente as razões de tal acontecimento fatídico. Enquanto isso, observem mais fotos do “polêmico” uniforme diferenciado da Liga Deportiva Universitária do Equador.

Combinação contemporânea de cores importadas em estilo do Leste da Lapônia. FONTE: Site Oficial da LDU/EQU

Combinação contemporânea de cores importadas em estilo do Leste da Lapônia. FONTE: Site Oficial da LDU/EQU

Tchüss, fusballteigers!!

Empate Emocionante na Volta de Pedro Henrique ao Futsal do TYMV

julho 14, 2010
Os times foram mesclados, até para que não se crie qualquer forma de rivalidade. Baita jogo de bola. Muito equilibrado. O Time Azul começou melhor, chegou a abrir 3 gols de vantagem, mas o Time Laranja reagiu, virou o jogo e a partida ficou totalmente aberta. Ataques de ambos os lados, jogo franco. Qualquer time poderia ter vencido. Peleia jogada só na bola, com poucas faltas. Belíssimos gols de ambos os lados.
———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 114

** TIME COLORIDO:

01-Caxias-GK
02-Ratobol
03-Junique
04-Ricardo Laudrup
05-Pedro Henrique
———————–
8
x
8
———————–

** TIME LARANJA:

01-Cleitão
02-Benninho Carioca
03-Bartt
04-Diogo Carioca
05-Zerbes
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 13 de julho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

Venceu o futebol

julho 12, 2010

A Espanha jogou melhor que a Holanda. A Laranja tentou parar a Fúria com faltas e apostou no contra ataque como principal arma para levar a Copa. Porém, prevaleceu a técnica e o bom futebol jogado pelo time espanhol.

O time espanhol tem o melhor toque de bola do planeta. Tendo como base da sua seleção o time do Barcelona, a Fúria conquistou merecidamente seu primeiro título mundial. Dominando seus jogos com a posse de bola, a Espanha provou que um time para ser vencedor não precisa se encher de volantes brucutus e muito menos jogar na defesa.

Hoje, o futebol foi o grande vencedor.

Özil e seu chiclete

julho 11, 2010

Alemanha de 2014 e o renascimento uruguaio

julho 11, 2010

Até ser derrotada pela Espanha, a seleção alemã era a favorita para a conquista do título mundial. Hoje, sem alguns titulares, a seleção que conquistou o terceiro lugar deu uma pequena amostra de como será a Alemanha de 2014.

Com um grupo jovem e de qualidade, os alemães começam a montar uma ótima seleção para o Copa no Brasil. Tendo jogadores promissores como Müller e Özil no elenco, a Alemanha tem tudo para voltar a conquistar títulos importantes nos próximos anos.

O Uruguai foi a grande surpresa da Copa. A Celeste voltou a ser destaque no cenário mundial e por muito pouco não chegou a final. Foi bonito ver uma camisa com tanta mística e história brigar de igual para igual com as seleções mais fortes do planeta.

A Celeste está de volta. O futebol agradece.

Merecido

julho 7, 2010

A Espanha jogou muito. Foi dona do jogo e mereceu a classificação para sua primeira final de Copa do Mundo. Com um toque de bola de alta qualidade e uma marcação perfeita, despachou a favorita Alemanha e vai com tudo para a final.

A Fúria tem o melhor toque de bola do planeta. Seus jogadores sabem cadenciar bem o jogo e na base da calma e da técnica vão criando chances até marcar. O volume de jogo espanhol foi fundamental para sua vitória. Além disso, os espanhóis não deram espaços para o contra ataque alemão. Müller, suspenso pelo segundo cartão amarelo, via da arquibancada seu time completamente amarrado pela marcação adversária.

O time espanhol mereceu a classificação. No domingo teremos um novo campeão mundial. Alguém arrisca um palpite? Ou só o polvo vai dar seu pitaco?

Pérolas da Copa do Mundo África 2010

julho 7, 2010
O ex-treinador da Seleção Brasileira gosta de uma anedota. FONTE: ClicRBS

O ex-treinador da Seleção Brasileira gosta de uma anedota. FONTE: ClicRBS

O Özil estava no ócio“. [FALCÃO, Paulo Roberto. Programa Central da Copa da Rede Globo, após Alemanha 0x1 Espanha, ao falar do articulador alemão, 17h25, dia 07.07.2010]

___

And the Oscar goes to...

And the Oscar goes to...

O goleiro Neuer entrou em paranoia com a sua defesa“. [NORIEGA, Maurício. Transmissão ao vivo  do Canal SporTV]

___

Tchüss, Deutschland!!

A Lesão Inesperada de RodriNIGHT no Futsal do TYMV

julho 7, 2010

Era a volta do grande arqueiro comparado a Eurico Lara (por Thiago Cardoso, nosso leitor). RodriNIGHT não havia jogado a última partida do TYMV e estava entusiasmado com a possibilidade de, talvez, vencer seu primeiro jogo desde o seu retorno aos jogos. Todavia, um lance comum de jogo, uma verdadeira fatalidade, haveria de pôr fim ao jogo antes da hora.

Benninho e Rato foram eleitos para escolher os times. Houve pouquíssimas moficações em relação aos times da semana passada. No Time Colorido saiu Caxias para a entrada de RodriNIGHT. No Time Laranja saíram Maurinho e Mossoró para as entradas de Ricardo Laudrup e Caxias. O Time Laranja tocava a bola com inteligência, abusando das tabelas nos contra-ataques. Já o Time Colorido buscava seu melhor posicionamento em quadra, arriascando chutes apenas da intermediária. Mais encaixado, tendo Ricardo como seu grande articulador, os laranjas abriram o placar com dois gols de Benninho Carioca (o primeiro após passe deste relator na posição de pivô, e outro após lançamento rasteiro de Ricardo, driblando RodriNIGHT antes de bater para o gol vazio). Os coloridos passaram a ficar nervosos em quadra, errando passes e marcando de maneira ineficaz. Aproveitando-se do “buraco” aberto às costas de Cleitão, os laranjas empilharam gols através de belíssimas jogadas, bem trabalhadas, utilizando o coletivo do time. Ricardo marcou 1 gol através de uma bomba em diagonal e outro, driblando RodriNIGHT, após passe açucarado de Bartt. Este relator marcou outros 3 gols: o primeiro, após receber passe magistral de Bartt às costas de Junique, driblando RodriNIGHT e batendo no canto ga meta; o segundo, após lançamento longo de Ricardo; e o terceiro, o mais bonito de todos, após grande jogada de Benninho (passando por Cleitão), que tocou para Bartt (entre Junique e Rato), que deu “um legítimo tapa” de costas, para a finalização deste relator, que pegou um chute “de sem pulo”, indefensável para o bravo RodriNIGHT. Os coloridos estavam cada vez mais irritadiços – ainda mais depois que Cleitão deu risada, após levar deste relator que vos fala um humilhante balãozinho de peito. A passividade de marcação e os chutes precipitados eram cobrados por Junique e Diogo. Cleitão fazia partida apagada e não conseguia marcar seus gols. Rato estava entregue à marcação dos laranjas. RodriNIGHT fazia o que era possível debaixo das traves para evitar novos tentos do Time Laranja. Foi então que, após uma sequência em que Diogo perdeu um gol debaixo da linha (salvo com dedicação incomum por Caxias), e Cleitão perdeu outro ao chutar nas duas traves, Ratobol descontou para os coloridos.

Quando a peleia ia se delineando para a sua parte final (restavam 20 minutos de jogo), o lance fatídico: Bartt chuta à meia distância, a pelota desvia em Cleitão, e RodriNIGHT espalma de ponta de dedos para escanteio. Rodrigo chama a atenção de Junique para o seu dedo mindinho da mão direita. O jogo para. Nota: RodriNIGHT havia tirado as luvas momentos antes, pois acreditava que estava falhando em razão delas. Junique sentenciou: “vamo pro hospital que tu quebrou!”. A galera ficou alguns segundos em volta de Rodrigo e Diogo afirmou que se tratava de apenas uma luxação. O arqueiro do Time Colorido ainda mostrou para este relator a mão. Percebi que o dedo havia sofrido um trauma mesmo. Ele confessou que não doía, mas sentia um formigamento. Também concluí que só poderia ser uma luxação, pois se fratura fosse, ele estaria se contocendo em dores. Que infelicidade. Que fatalidade. Jogo terminado, Junique, Bartt, Diogo e esse relator foram acompanhar o guerreiro RodriNIGHT até o hospital. É, amigo, o futebol (por vezes) em uma lance bobo desses, nos prega peças…

FORÇA, RODRINIGHT!!!

A GALERA DO TYMV ESTÁ CONTIGO, ESPERANÇOSOS DE QUE NADA DEMAIS TENHA OCORRIDO!!! NÃO TE CHATEIES!! FAZ PARTE!!! ACONTECE.

———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 113

** TIME COLORIDO:

01-RodriNIGHT-GK
02-Ratobol(C)
03-Junique
04-Diogo Carioca
05-Cleitão
———————–
1
x
7
———————–

** TIME LARANJA:

01-Caxias-GK
02-Benninho Carioca(C)
03-Ricardo Laudrup
04-Bartt
05-Zerbes
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 06 de julho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

Quase, Celeste!

julho 6, 2010

A sensação quando o juiz apitou o fim da partida foi de que o Uruguai poderia ter ganho da Holanda. O time de Forlán jogou melhor em boa parte da partida. Do momento em que tomou o primeiro gol até levar o segundo, os uruguaios mandaram na partida. Quando o placar marcava 1×1 o Uruguai dominava o jogo e o segundo gol era questão de tempo, porém, faltou qualidade ao ataque da Celeste. Suárez fez falta.

A Holanda, que não atuou de forma brilhante, teve em Robben seu principal destaque. No demais, o time holandês não repetiu a boa atuação que teve no segundo tempo do jogo contra o Brasil. Mas a qualidade e o erro de arbitragem no segundo gol da Laranja foram fundamentais para que a Holanda se classificasse para sua terceira final de Copa do Mundo.

A Celeste ressuscitou para o futebol. Sua campanha surpreendente colocou a alto estima do país nas nuvens. Uma nova safra de jogadores pode fazer com que o Uruguai volte a conquistar títulos e ser a terceira força da América do Sul.

Já a Holanda espera chegar ao seu primeiro título Mundial. Seja contra Alemanha ou Espanha, a Laranja deve jogar mais se quiser o caneco. Porém, merece respeito pois tem 100% de aproveitamento até agora. E tem no time Robben e Sneijder, jogadores que podem definir uma partida a qualquer momento.



Pelotas Contrata Christian para Ascender à Série C do Campeonato Brasileiro

julho 5, 2010
Christian retorna ao futebol gaúcho. FONTE: ClicRBS

Christian retorna ao futebol gaúcho. FONTE: ClicRBS

Surpresa. A direção do Pelotas vem fazendo “milagres” neste ano de 2010. Após formar um grande time para o Campeonato Gaúcho 2010 (tendo contratado Sandro Sottili, Alex Dias, Maurinho, Gavião, entre outros), obtendo bons resultados, a direção do Lobão contratou o rodado centroavante Christian. Ele foi apresentado na tarde desta segunda-feira como novo jogador do Pelotas. O jogador de 35 anos de idade, com passagens marcantes por Grêmio e Internacional de Porto Alegre-RS,  foi apresentado após assinar contrato para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série D e do Gauchão de 2011. O problema todo é que, após a disputa do Gauchão 2010, o time do Pelotas sofreu “um desmanche”, tendo perdido jogadores importantes.

O Pelotas será o 18º clube de Christian. O centroavante de 1,86cm já passou por Internacional de Porto Alegre-RS, Marítimo Funchal/POR, Estoril/POR, Sporting de Farense/POR, Paris Saint-Germain/FRA, Bordeaux/FRA, Palmeiras-SP/BRA, Galatasaray/TUR, Grêmio, Omiya Ardija/JAP, São Paulo-SP/BRA, Botafogo-RJ/BRA, Juventude-RS/BRA, Corinthians Paulista-SP/BRA, Portuguesa de Desportos-SP/BRA, Pachuca/MÉX e Monte Azul-SP/BRA. O centroavante foi formado nas categorias de base do Grêmio.

Tchüss!!

Alemanha na frente

julho 4, 2010

Das quatro equipes que ainda disputam o título mundial, a Alemanha é a que vem apresentando o melhor futebol. Consequentemente, é a que desponta como grande favorita para conquistar o tetra campeonato.

A equipe alemã é a que jogou o melhor futebol até agora. Um futebol objetivo e de alta qualidade técnica de sua jovem seleção. Despachar a equipe de Maradona com uma goleada foi um feito e tanto. A Alemanha joga bem, tem camisa e ganha força na hora certa. Será difícil parar a equipe de Low.

O Fim da Era Felipe Melo

julho 2, 2010
Felipe Melo: o vilão brasileiro na Copa do Mundo de 2010. FONTE: Terra

Felipe Melo: o vilão brasileiro na Copa do Mundo de 2010. FONTE: Terra

Não sou anti-patriota. Não torci contra a Seleção Brasileira (e JAMAIS farei isso). Mas só se enganou com a Seleção quem quis. Era previsível. O famoso “anúncio de uma morte já anunciada”. O Brasil, todos sabem, foi mal convocado pelo Treinador Dunga. O Brasil, como todos sabem, não tinha peças de reposição. O Brasil, como todos sabem, não tinha um diferencial técnico da magnitude de um Ganso, quiçá um Ronaldinho Gaúcho. Participo do bolão da Copa do Mundo feito na minha academia. Apostei contra a minha pátria. Doeu-me na alma. Mas eu não podia me enganar. Apostei 2 a 1 pró Holanda. A acertei em cheio.

A Seleção Brasileira começou irresistível. Jogando bem pelas pontas, Michel Bastos anulando Arjen Robben, e Robinho, Juan e Maicon suando sangue pelo time. A defesa holandesa estava desnorteada. Sneijder não conseguia respirar com a marcação por zona feita por Gilberto Silva e Felipe Melo. Opa. Felipe Melo. De novo ele. Felipe Melo fez um estupendo lançamento para Robinho, às costas da defesa europeia, que bateu de prima, marcando um belo gol. Eu estava feliz. Estava errando meu palpite futebolístico. Meus grandes amigos Lucas Grave, Rodrigo Ortiz e Roberto Ortiz Jr. estavam brincando comigo, ora telefonando, ora enviando mensagens, asseverando que eu havia errado o resultado. Era cedo. Muito cedo.

O “até então herói”, Felipe Melo, com a chegada do segundo tempo, tornou-se “o velho conhecido vilão dos tempos de Grêmio”. Diretamente do “túnel do tempo”, calha recordar que Felipe Melo foi o  maior investimento da direção do Grêmio para o Campeonato Brasileiro de 2004. Vinha com cartaz de craque, tendo passado pelo Cruzeiro de Belo Horinzonte-MG. Com o passar dos jogos, Felipe Melo foi afundando o seu próprio time, sempre caindo nas provocações dos adversários, sempre com atos de indisciplina, alternando raros momentos de qualidade técnica. Aquele Grêmio de Felipe Melo, Cocito, Fábio Bilica, Christian, Cláudio Pitbull, Márcio, Capone, Yan, Jorge Mutt, e cia. haveria de ser rebaixado com antecedência de quatro longas rodadas (para a torcida gremista). Felipe Melo, sempre ele, pegou as suas coisas e foi jogar no Racing Santander-ESP, clube no qual voltou a aparecer para o futebol.

Recordo-me de um jogo: Real Madrid-ESP 0x1 Racing Santander-ESP. Adivinhem quem marcou o gol da vitória do Racing sobre os Merengues em pleno Estádio Santiago Bernabeu? Sim. Sempre ele. Felipe Melo. Naquele jogo, ele não esqueceu de jogar futebol. Ele não perdeu a calma. Tempos depois, Felipe Melo haveria de aparecer em clubes da Itália, até ser observado pelo atual (talvez ex) técnico da Seleção Brasileira.

Mas voltando ao jogo Brasil x Holanda, os comentaristas de SporTV e Rede Globo já previam que o temperamento de Felipe Melo era o amior problema para a continuidade daquele jogo. Júnior, Casagrande e Paulo César Vasconcellos avisaram. E não deu outra. Falha de Felipe Melo na primeira parte do segundo tempo, ao tentar passar de calcanhar uma bola na defesa. Preciosismo lamentável. Quase gol de Kuyt para a Holanda. Como Muricy Ramalho, atual treinador do Fluminense-RJ/BRA tantas vezes filosofou: “a bola pune”. No segundo erro de Felipe Melo, bola alçada na área por Sneijder, saída em falso de Júlio César que gritou com Felipe Melo (“é minha!!”), mas este último o atrapalhou: gol de Sneijder. Graças ao ato falho, um erro crasso, os Países Baixos ganhavam súbita esperança de derrotar a maior seleção de futebol do mundo. Michel Bastos vinha fzendo muitas faltas em Arjen Robben, mas realizava grande peleia. Após o cartão amarelo, Dunga viu-se na obrigatoriedade de substitui-lo. Gilberto substituiu Michel Bastos, e a lateral-esquerda do Brasil virou uma AVENIDA. Aproveitando-se desta avenida, Sneijder marcou o gol da virada da Laranja Mecânica, depois de um cobrança de escanteio resultante de uma jogada articulada por Van Persie e Robben na ala esquerda “defendida” por Gilberto. Na sequência, após disputa de bola com Robben, Felipe Melo desmoronou de vez. Fez falta e pisou na coxa do holandês. Era o velho Felipe Melo da época de Grêmio mais uma vez. Expulsão. O tiro de misericórdia na Seleção Canarinho havia sido dado. Os holandeses perderam gols incríveis na sequência. Um Brasil desfigurado lutou até os últimos segundos para tentar empatar aquele entrevero, mas era impraticável. Kaká jogou muito aquém do esperado. Era sabido. Um único arquiteto, em um time repleto de operários, não faz milagre. Este blogueiro já havia antecipado esta situação em post pretérito. Agora só nos resta aguardar a Copa de 2014. Meu palpite de que a Holanda sairá da fila e conquistará sua primeira Copa do Mundo segue vivo…

BRASIL (1) HOLANDA (2)
Julio César; Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos (Gilberto); Gilberto Silva, Felipe Melo, Daniel Alves e Kaká; Robinho e Luís Fabiano (Nilmar). Técnico: Dunga Stekelenburg; Van der Wiel, Heittinga, Oojier e Van Bronckhorst; De Jong, Van Bommel e Sneijder; Kuyt, Robben e Van Persie.
Técnico: Bert van Marwijk

Gols: Robinho, aos dez minutos do primeiro tempo; Felipe Melo (contra), aos oito, e Sneijder, aos 22 minutos do segundo tempo
Cartão amarelo: Heitinga, Van der Wiel, De Jong, Ooijer (Holanda); Michel Bastos (Brasil). Cartão vermelho: Felipe melo.
Estádio: Nelson Mandela Bay (em Porto Elizabeth).
Data: 02/07/2010.
Árbitro: Yuichi Nishimura (JAP). Assistentes: Toru Sagara (JAP) e Jeong Hae-Sang (COR)

Tchüss!!

Gracias!

julho 1, 2010

A equipe do Toco Y Me Voy agradece aos mais de 8.500 acessos ao blog no mês de junho.

Muito obrigado pelas visitas e sigam nos acompanhado!

Excesso de Administração x Gana pelo Empate no Futsal do TYMV

julho 1, 2010
Este relator e Dioguito Carioca resolveram escolher os times, tendo em vista a (já famigerada) resistência dos companheiros de TYMV em fazê-lo. Aproveitando a vitória na disputa de par ou ímpar, Carioca escolheu o único goleiro presente no evento: Caxias. Isso haveria de fazer muita diferença durante a peleia. O Time Colorido, liderado por Diogo, abriu o placar com pouco tempo de jogo, por intermédio de Cleitão, após “cochilada” da marcação. Na sequência, este relator empatou a partida para o Time Azul, aproveitando-se da falha de Caxias que, no melhor estilo “peito de madeira”, tentou agarrar o chute de Mossoró, mas acabou soltando a pelota nos pés do pivô. Os coloridos, em novo relaxamento da marcação azul, fizeram 2 a 1. Maurinho empatou outra vez para os azuis, após jogada tramada entre este relator e Bartt. A partir deste momento, as circunstâncias de jogo passaram a desfavorecer os azuis, fundamentalmente, porque Caxias fazia valer a sua condição de goleiro, ao mesmo tempo em que o Time Azul não conseguia entrosar-se com as trocas subsequentes fruto do revezamento na posição de goleiro. O Time Colorido abriu 2 gols de vantagem com gols de Diogo e Junique.
__
Foi então que este relator foi para a posição de guarda-metas. Com Benno na posição de fixo, Mossoró e Bartt caindo pelas alas, e Maurinho mais centralizado, o Time Azul acertou o esquema, tendo em seu capitão (que atuava como arqueiro) uma alternativa extra para a saída de jogo – haja vista que joga originariamente na função de pivô. Os azuis passaram a atacar com inteligência e, na base do toque de bola, viraram o marcador para 4 gols de diferença, numa reação incrível: um belíssimo gol de Bartt (alá Romário, após um biquinho tático no canto oposto ao arqueiro); duas buchas no mesmo ângulo direito do goleiro – de autoria deste relator (aparando sobras em duas cobranças de escanteio, o famoso “pegou na veia”); um gol de Mossoró e outro de Maurinho.
__
Instigados pela gana de tentar empatar a peleia, os coloridos jogaram-se à frente, bombardeando o guarda-metas dos azuis com chutes de todas as partes da quadra, através de Junique, Cleitão e Diogo. Alguns milagres foram operados, com direito a defesa de “Gordon Banks”, debaixo da risca do gol, após 2 chutes à queima-roupa (o primeiro de Diogo, e o segundo de Junique). O problema todo é que os azuis desperdiçavam os contra-ataques e, como enfatiza aquele velho brocardo: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Junique enfiou a bicuda na pelota e furou a rede, finalmente vencendo as defesas deste relator: 3 a 0 pró azuis, mas os coloridos passavam a dar as cartas. Estava aberta a porteira. O Time Azul tentou cadenciar o jogo, mas passou a administrar o resultado cedo demais. Na sequência, mais um gol dos coloridos. Faltava pouco tempo para o término do jogo, e os azuis estavam, além de desconcentrados, posicionados erroneamente em quadra após nova troca de goleiros: este relator (que é pivô) jogava de fixo, Maurinho (que é ala) jogava de pivô, Bartt (que era para jogar de fixo) jogava de ala, e Mossoró (que era para ser ala) não jogava em nenhuma posição, “rifando” a bola em lançamentos desencontrados. Cleitão e Diogo deram números finais ao jogo, o qual terminou empatado, tal como a peleia anterior, com direito a desabafo de Diogo Carioca no instante do gol, há segundos do apito final. A gana pelo empate foi premiada.

———————————————————————-

— SÚMULA DO JOGO # 112

** TIME COLORIDO:

01-Caxias-GK
02-Ratobol
03-Junique
04-Diogo Carioca(C)
05-Cleitão
———————–
8
x
8
———————–

** TIME AZUL:

01-Maurinho
02-Benninho Carioca
03-Bartt
04-Mossoró
05-Zerbes(C)
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 29 de junho de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!


%d blogueiros gostam disto: