Archive for maio \29\UTC 2009

sobre a rodada [17]

maio 29, 2009
Defensor 0x1 Estudiantes – O time de La Plata surpreendeu o carrasco do Boca. Com esse resultado fica difícil ficar fora da semi-final. Porém, se o Defensor desclassificou o Boca fora de casa, o que impede de fazer o mesmo com o time de Veron?

Palmeiras 1×1 Nacional – Complicou a vida do Verdão. A vida não será nada fácil no jogo de volta. O Nacional vai pressionar o time de Luxemburgo o tempo todo. Ele será capaz de passar pelo time uruguaio?

Imortal Tricolor Arranca Empate na Venezuela com Gol de Atleta Contestado

maio 28, 2009
O contestado Fábio Santos marcou o seu terceiro gol na temporada: mesmo contra a opinião da torcida, cada vez mais titular de Paulo Autuori.

O contestado Fábio Santos marcou o seu terceiro gol na temporada: mesmo contra a opinião da torcida, cada vez mais titular de Paulo Autuori.

A esperada pressão venezuela foi maior do que se imaginava. A partida foi ruim na noite desta quarta-feira. O gramado castigado ajudou a proporcionar um futebol muito aguerrido entre as equipes, mas de baixa qualidade técnica. O Grêmio encontrou muitas dificuldades, desde o gramado até a marcação adversária, mas conseguiu arrancar um empate em 1 a 1 diante do Caracas/VEN, pelas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. A meu ver, ficaram comprovadas três questões: o esquema a ser adotado precisa ser o 4-4-2 (não há necessidade de 3 zagueiros, mas sim, de 1 cão-de-guarda em frente aos beques); Jonas não pode ser o companheiro de ataque de Maxi “La Barbie” López (Alex Mineiro precisa ser melhor preparado para assumir esssa condição); Túlio não pode ser reserva. Em falta cobrada do lado esquerdo da grande área gremista, logo a 1 minuto e meio da primeira etapa, o zagueiro da Seleção Venezuelana Cichero subiu mais que todo mundo e mandou de cabeça, sem chances para o goleiro Victor.  Desatenção geral do sistema defensivo. A Rede Globo mostrou o lance, em detalhe, no Jornal da Globo: sete jogadores do Grêmio estavam na grande área, nenhum deles saltou para cabecear, sendo que apenas Réver tentou evitar o gol, mesmo contra três jogadores venezuelanos (Cichero, Emilio Rentería e Castellín). O Caracas mostrava seu cartão de visitas ao Grêmio. O Tricolor sentiu a pressão, e não conseguia articular jogadas. A única solução que vinha à mente dos atletas era dar chutões. O time não conseguia colocar a bola no chão e sair tocando. Foram raras as chegadas ao ataque no primeiro tempo, até mesmo do Caracas/VEN. A partida estava centralizada no meio-campo.

Cichero comemora o seu gol com a torcida venezuelana, após jogada que o time gremista já previa...

Cichero comemora o seu gol com a torcida venezuelana, após jogada que o time gremista já previa...

Depois de um bate-rebate com a bola pelo alto, o meia venezuelano Gómez ficou com a sobra e arriscou um chute da entrada da área, assustando Victor, aos 12 minutos. A bola foi para fora, para alívio tricolor. Um minuto depois, o Grêmio finalmente foi ao ataque. Jonas e Maxi López ensaiaram uma tabela perto da grande área, mas o camisa 7, que estava pouco inspirado no jogo, acabou sendo desarmado. Fábio Santos enxergou Maxi López bem posicionado na área adversária, aos 24 minutos. O lateral fez o cruzamento do lado esquerdo, mas o goleiro Renny Vega se antecipou para ficar com a bola. Aos 27, após cobrança de falta de Tcheco, a bola passou por todo mundo e Vega defendeu em dois tempos, quase entregando o gol para Rafael Marques (que a imprensa gaúcha insiste em escrever errado nas reportagens e chamar de Rafael Santos). Aos 30, a melhor chance gremista: após bola alçada na área, La Barbie cabeceou em diagonal (sem chances para o goleiro), mas a pelota acabou indo para fora. Três minutos depois, o goleiro Victor salvou o Grêmio de levar outro gol: Darío Figueroa recebeu na área e deu o passe para Piñango, que chutou de frente para o gol, forçando o camisa 1 do Imortal Tricolor a operar mais um de seus milagres.

A "malandragem" venezuelana: o sistema só foi acionado no lado gremista. Coincidência?

A "malandragem" venezuelana: o sistema só foi acionado no lado gremista. Coincidência?

Na etapa complementar, o  Grêmio tentou tocar mais a bola. Voltou sem alterações. Melhorou em relação ao primeiro tempo, mas o time venezuelano continuou dando trabalho. As principais jogadas do Grêmio saíram pelo lado esquerdo. Fábio Santos tentou vários cruzamentos, mas a maioria sem sucesso. Sem marcação, aos 13 minutos, após uma jogada bizarra de Adilson, Prieto recebeu quase na pequena área e chutou para longe do gol. O volante loiro do Grêmio se “embananou” com a bola num bate-rebate, e tentou chutar a bola para longe com um toque de calcanhar. Ele não só errou o toque, como deixou Darío Figueroa (deitado) fazer o passe para Prieto, porém, o meia mexicano do Caracas/VEN acabou pegando mal na bola e ela foi para fora. Aos 27, Souza balançou a goleira de Vega. Ele cobrou falta com um chute de muito efeito, batido de chapa, mas que foi direto na trave. Douglas Costa não conseguiu pegar o rebote, e a defesa venezuelana aliviou. Se com bola rolando estava difícil de chegar ao empate, o jeito era tentar mesmo nas bolas paradas. E foi pelo alto, aos 29, que o Grêmio igualou o placar. Tcheco cobrou belíssima falta da esquerda, e Fábio Santos apareceu do lado direito, sem marcação, como elemento-surpresa, para marcar de cabeça o gol para sair do sufoco. Logo depois do empate, uma cena inusitada. O sistema de irrigação do estádio foi acionado e vários pontos jorrando água apareceram no meio do gramado. Após alguns minutos, o sistema foi desligado e o jogo voltou a transcorrer normalmente. Ruy aproveitou para se refrescar. Todos achavam que a partida seria finalizada. O técnico Paulo Autuori já havia feito uma alteração no Grêmio antes do gol de empate. Tirou Jonas, que pouco jogou, e colocou Alex Mineiro. O camisa 9 também não conseguiu boa participação na partida. Já no final do jogo, aos 44, ele sacou Souza para a entrada de Túlio. O Grêmio conseguiu manter o empate até o fim, deixando a decisão para o jogo do Estádio Olímpico, nos próximos 90 minutos a serem disputados no dia 17 de junho.

Copa Libertadores – quartas-de-final, 27/05/2009.
Local: Estádio Olímpico, Caracas, Venezuela.
Horário: 21h50min (horário de Brasília).
Arbitragem: Roberto Silvera, auxiliado por Miguel Angel Nievas e Marcelo Gadea (trio do uruguaio).
Cartões amarelos: Tcheco, Ruy e Léo (Grêmio); Figueroa e Castellín (Caracas).
Gols: Cichero, aos 1min30s do 1º tempo (Caracas); Fábio Santos, aos 29min do 2º tempo (Grêmio).
CARACAS/VEN (1) GRÊMIO (1)
Renny Vega, Romero, Rey, Barone e Cichero; Vera, Piñango, Darío Figueroa (Guerra) e Gómez (Escobar); Emilio Rentería (Prieto) e Castellín. Victor; Léo, Rafael Marques, Réver; Ruy, Adilson, Tcheco, Souza (Túlio) e Fábio Santos; Jonas (Alex Mineiro) e Maxi López.
Técnico: Noel Sanvicente. Técnico: Paulo Autuori.

Tchüss!!

sobre a rodada [16]

maio 28, 2009
Vasco 1×1 Corinthians – Grande resultado do time de Mano Menezes. Mesmo jogando pelo 0x0 no jogo de volta, nada está decidido. Vale lembrar que o Vasco terá Carlos Alberto para a próxima quarta. Já o Timão, ao que tudo indica, terá Ronaldo.

Internacional 3×1 Coritiba – Depois do susto, o Inter venceu de virada o Coritiba. A vantagem é grande. Mesmo com o retorno de Marcelinho Paraíba a missão do time de Renê Simões é complicada.

Cruzeiro 2×1 São Paulo – O São Paulo ainda respira. O time paulista saiu no lucro de Minas. Porém, com a tradição do time paulista o confronto está aberto. Entretanto, o São Paulo precisa jogar mais do que está jogando.

Caracas 1×1 Grêmio – Jogando mal, muito em virtude do gramado diga-se de passagem, o Grêmio arrancou um bom empate contra o time venezuelano.

Barça, com justiça!

maio 28, 2009

O Barcelona jogou muito contra o Manchester. o 2×0 sai barato para o time inglês. Com um toque de bola de muita qualidade e técnica acima da média, o Barça venceu com autoridade a Champions League.

0,,20896942-EX,00Messi será eleito o melhor jogador do mundo

O ataque de Messi, Henry e Eto’o chegou ao topo do cenário mundial com a conquista de ontem. Comandados por Guardiola, o Barça é, sem dúvida nenhuma, o melhor time do planeta.

Agora o desafio do Barça é levantar o Campeonato Mundial de Clubes que acontece em Dubai.

Dossiê Libertadores’2009: Os 8 Melhores da América (Parte 4)

maio 27, 2009
O capitão Juan Sebástian Verón é a garantia de muita luta e combatividade no meio-campo do time de La Plata.

O capitão Juan Sebástian "La Brujita" Verón é a garantia de muita luta e combatividade no meio-campo do time de La Plata.

Na derradeira parte deste dossiê, venho examinar o último dos confrontos válidos pelas quartas-de-final da Copa Libertadores da América: Defensor/URU X Estudiantes de La Plata/ARG. Trata-se do único confronto que não envolve clubes brazucas. Será outro confronto muito interessante. O time do Estudiantes de La Plata/ARG é o favorito a passar para as semi-finais, mesmo que o Defensor/URU tenha eliminado o todo poderoso Boca Juniors/ARG. No meio-campo estão os maiores destaques de ambos os times: do lado uruguaio, o meia-atacante Diego de Souza, autor do golaço que sacramentou a classificação do time à fase atual, enquanto do lado argentino, o meia Verón, volta e meia selecionado por Don Diego Maradona para a Seleção Argentina, no alto de seus quase 35 anos. A diferença de tradição dos dois clubes é gritante: enquanto o Estudiantes/ARG já foi campeão mundial em 1968 frente ao Manchester United/ING, tricampeão da América (1968/69/70), campeão da Copa Inter-americana (1969) e duas vezes campeão argentino (1983/2006), o Defensor/URU jamais conquistou um título fora do seu país, restringindo-se as suas conquistas a quatro títulos uruguaios. O Defensor/URU, treinado por Jorge da Silva,  joga nos esquema 4-4-2 com a seguinte formatação: Martin Silva; Curbelo, Pablo Pintos, Risso e Ariosa; Gaglianone, Amado, Marchant (meia argentino de movimentação) e Diego de Souza; Álvaro Navarro e Vera. Fora Diego de Souza, o destaque é o veloz ponteiro Álvaro Navarro, que cai em ambas as pontas do campo e sempre invade a área em diagonal. De outro canto, o Estudiantes/ARG, do treinador Leonardo “El Jefe” Astrada (ex-volante do Grêmio e do River Plate/ARG) também joga no esquema 4-4-2, porém, com a seguinte escalação: Andújar; Ré, Desábato, Alayes e Cellay; Braña, Benítez, Galiana e Verón; Gastón Fernandez e Boselli. O clube argentino vendeu para a Lazio/ITA o bom lateral-direito da Seleção Argentina Angelleri. O substituto de nome “ambíguo” (Ré) não está à altura, tendo falhado, inclusive, no jogo da fase classifcatória ante o Cruzeiro-MG/BRA no Mineirão, quando cometeu pênalti desnecessário em Wellington Paulista. Naquele jogo, o Estudiantes/ARG acabou goleado pelo clube mineiro. A revanche veio no returno, quando os argentinos severamente aniquilaram os brazucas por 4 a 0, com atuação destacadíssima do velocista Gastón Fernandez. Brilhante jogador. Olho nele! Ele abusa dos dribles rápidos e sempre antecipa a jogada em relação ao seu marcador. O reserva de Gastón é bom também, e tem atributos parecidos: Sánchez Prette, autor de dois gols na goleada ante o Cruzeiro-MG/BRA. Caso o centroavante Boselli não consiga colocar a bola pra dentro do gol, o treinador Astrada tem a sua disposição o veteraníssimo Calderón, goleador do Independiente de Avellaneda/ARG nas décadas de 80 e 90, de 39 anos, prestes a completar 40 anos em outubro.

Diego de Souza em ação contra o River Plate/ARG na Copa Sul-americana: o meia quase foi parar no Grêmio em 2008.

Diego de Souza em ação contra o River Plate/ARG na Copa Sul-americana: o meia quase foi parar no Grêmio em 2008.

Não encontrei nenhum jogo celebrado entre Defensor/URU e Estudiantes/ARG na Internet, porém, achei um confronto entre os clubes na modalidade Futebol 6 Indoor. Vale a pena conferir! Os argentinos golearam por 8 a 2. Seria um prenúncio? O fato é que na minha visão, o Estudiantes de La Plata/ARG deve levar a melhor. Não por se tratar do time que adotei na Argentina (quando fiz uma viagem para Buenos Aires, logo após o título gremista da Recopa de 1996 ante o Independiente de Avellaneda/ARG, comprei a camisa do clube e pude conhecer melhor a história da entidade), mas entendo que o time é mais experiente, mais acostumado a jogar decisões e tem expoentes técnicos melhores. O Defensor/URU tem todo o direito de tentar surpreender, mas entendo que “o raio não cairá duas vezes na mesma árvore”. Eliminar Boca Juniors/ARG e Estudiantes/ARG seria o mesmo que assumir a coroa de “grande favorito ao título da Copa Libertadores da América”…

Tchüss!

isso é torcida?

maio 27, 2009

O episódio ocorrido ontem no treino do Fluminense (clique aqui para detalhes) não foi o primeiro e nem será o último.

A pergunta que fica é até quando os clubes irão admitir isso. Creio que por uma série de fatores, entre eles o político, as direções e por consequência os dirigentes dos clubes, estão reféns desta parcela mínima de torcedores que se acham no direito de intimidar seus jogadores na busca por vitórias.

Acredito que a cobrança deve ser feita. Porém, não desta forma. Que ela seja feita com civilidade e respeito. Não só pelo profissional que ali está, mas pelo cidadão que está lá fazendo seu trabalho.

Dossiê Libertadores’2009: Os 8 Melhores da América (Parte 3)

maio 27, 2009
Keirrison foi contratado pelo Porco junto ao Coxa para ser o goleador do time na Temporada 2009, todavia, o goleador tem amarelado nas decisões...

Keirrison foi contratado pelo Porco junto ao Coxa para ser o goleador do time na Temporada 2009, todavia, o goleador tem amarelado nas decisões...

Dando prosseguimento ao exame dos 4 confrontos das quartas-de-final da Copa Libertadores da América, a bola da vez é a batalha entre Nacional/URU e Palmeiras-SP/BRA. O time brasileiro vem crescendo a cada jogo que passa. O Porco começou muito mal o torneio, tendo sido derrotado em casa pelo Colo-colo/CHI de Lukas Barrios, e fora pelo Sport Recofe-PE/BRA de Paulo Baier. De quebra, o Porco fora eliminado nas semi-finais do Campeonato Paulista pelo Santos-SP/BRA do garoto Neymar na mesma época. Tudo indicava que o Palmeiras seria eliminado sumariamente da Libertadores da América 2009, cedendo a sua vaga para o Colo-colo/CHI, mas ninguém contava com a estrela de Cleiton Xavier, que nos segundos finais do jogo decisivo da Fase Classificatória, na casa do time chileno, marcou um gol histórico. Até a cabeça do treinador Wanderley Luxembugo já estava sendo colocada a prêmio. Como se não bastasse, o Palmeiras-SP/BRA reencontrou o Sport Recife-PE/BRA nas oitavas-de-final do torneio. Novamente duas batalhas memoráveis, e a decisão foi levada para os pênaltis. Aí São Marcos, o grande e eterno goleiro catador de pênaltis do Parque Antárctica, foi mortal: pegou 3 pênaltis e classificou os paulistas para a atual fase de quartas-de-final. Agora, os palmeirenses têm um novo desafio pela frente: o Nacional/URU. Não será nada fácil, haja vista que os uruguaios voltaram a formar um time de muita raça e bem competitivo este ano. O atual esquema adotado por Luxemburgo é o 3-5-2 com a seguinte escalação: Marcos; Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Fabinho Capixaba, Pierre, Souza, CLeiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison. A formatação do time o Brasil inteiro já conhece, mas não custa recordar: Marcos vive grande fase novamente e vem operando milagres como nos velhos tempos, tanto que já anda pensando em Seleção Brasileira; o trio de zagueiros não é nada confiável, a começar pelo tosco Marcão (dispensado melancolicamente pelo Internacional-RS/BRA), até porque, nenhum deles sabe sair jogando, ou seja, os três são beques do estilo “bicador”; os dois alas são sofríveis, muito embora sejam esforçados (Fabinho Capixaba é um projeto de lateral, enquanto o lateral-esquerdo colombiano trazido do América de Cáli/COL demonstra muita raça e pouquíssima técnica); Pierre é um cabeça de área que não compromete, sabe fazer o “feijão com arroz”; na meia de ligação, Cleiton Xavier não vem repetindo suas grandes atuações do ano passado quando representou as cores do Figueirense-SC/BRA, mas o Porco tem vivido de seus lampejos; já o ataque formado por Diego Souza e Keirrison é, deveras, o ponto forte do time, sendo desnecessárias quaisquer colocações acerca destes dois profissionais. O time de Luxa costuma atacar pelo meio, a partir das jogadas individuais de Cleiton Xavier e das arrancadas a dribles de Diego Souza. Os alas são apenas “simbólicos”, haja vista que pouco contribuem ofensivamente. O oportunismo e a velocidade de Keirrison segue o credenciando como um centroavante muito perigoso, em que pese a sua má fase atual.

Nacional/URU foi favorecido pela manobra reprovável da Conmebol que não soube conduzir o caso dos clubes mexicanos em relação à Gripe Suína.

Nacional/URU foi favorecido pela manobra reprovável da Conmebol que não soube conduzir o caso dos clubes mexicanos em relação à Gripe Suína.

Do lado uruguaio, a expectativa é muito grande pela busca de mais um título continental. Dizem os jornais uruguaios que há tempos não se via um time tão compacto e astuto como o atual do Nacional/URU. Favorecido por uma manobra equivocada de parte da Conmebol, haja vista que não entrou em acordo com os clubes mexicanos em razão da epidemia da Gripe Suína que assolou o México, e nem convocou para as oitavas-de-final os teceiros colocados Everton/CHI e Universitário/PER, o Nacional/URU nem precisou se desgastar para chegar até a fase de quartas-de-final. O Nacional/URU classificou-se como primeiro colocado do Grupo 3 da Fase de Grupos do torneio, com um total de 14 pontos, ficando em segundo lugar o San Martin/PER com 8 pontos, clube já eliminado na fase de oitavas-de-final pelo Grêmio. River Plate/ARG com 7  pontos e Nacional/PAR com 4 pontos foram eliminados. O time do treinador Geraldo Pelusso joga num ousado 3-3-2-2 com a seguinte escalação: Muñoz; Vitorino, Coates e Romero; Rodrigues, Morales e Arismendi; Fernández e Lodeiro; Bizcayzaku e Mondaini. Os três zagueiros jogam fixos na defesa, pouco saindo para o jogo. Os três volantes cobrem a defesa e têm o dever de conduzir a bola até os dois articulares, que por sua vez, armam as jogadas para a dupla de ataque. Muñoz é o terceiro goleiro da Seleção Uruguaia, mas não é excepcional. O trio de zagueiros é extremamente rápido e ágil, porém, têm um problema que tira o sono do treinador Geraldo Pelusso: todos são de estatura baixa, razão pela qual, as bolas levantadas para a área de Muñoz são sinal de perigo iminente. Na meia de ligação, Fernández é um meia daqueles velocistas, lembrando Éder Luís (atualmente no Atlético Mineiro-MG/BRA), enquanto Lodeiro é considerado o cérebro do time. Quanto aos atacantes, Mondaini é uma espécie de “quase gol” do Uruguai, lembrando o atacante Germán Herrera do Grêmio, ao passo que Bizcayzaku é tido como um matador impiedoso .O Nacional/URU é um dos clubes mais tradicionais do mundo, isso porque, sagrou-se tricampeão da América e tricampeão do mundo (1971, 1980 e 1988), além de ter sido campeão da Recopa em 1988, da Copa Inter-americana em 1972 e 1989, e 30 vezes campeão uruguaio. Caso o clube uruguaio passe de fase, haverei de entrar em maiores detalhes sobre o histórico do Nacional/URU, que é bem interessante.

Símbolo do Nacional/URU, da cidade de Montevidéu.

Símbolo do Nacional/URU, da cidade de Montevidéu.

Todos sabem que não sou de ficar em cima do muro. Desta vez não será diferente. Torço pela classificação do clube uruguaio, até porque, faz anos que um clube do Uruguai não chega às finais (não fossem os erros de arbitragem escabrosos do ano de 2006, quando o Nacional/URU, na época liderado por Vanzini, teve dois gols legítimos anulados em pleno Estádio Beira-rio, no confronto ante o Internacional-RS/BRA, válido pela fase de “mata-mata” da Libertadores da América, o time uruguaio teria chegado às finais e o clube gaúcho jamais teria conquistado os maiores títulos da sua recente história – Campeonato Americano e Mundial). Contudo, creio que as individualidades de Diego Souza, Keirrison e Cleiton Xavier devam fazer a diferença em prol do time de Luxemburgo, o qual acredito que será o classificado para as semi-finais. Mas não será nada fácil. Se não respeitar o Nacional/URU, serão surpreendidos. Basta observar o video logo abaixo para ver o que aconteceu com o River Plate/ARG na Fase Classificatória lá em Montevidéu. O narrador chega a dizer: “mas que paulada em time de Gorosito” (numa alusão à goleada sofrida pelo clube argentino comandado pelo ex-volante do Independiente de Avellaneda/ARG. No papel, os times de Nacional/URU e Palmeiras-SP/BRA se equivalem, com exceção das três individualidades que acabei de elencar nas linhas supra. Baita jogo de bola!

Tchüss!

você contrataria o Obina?

maio 26, 2009

7b5a5508-a68e-322b-b1b2-01e694eb4a8e (foto: espn.com.br)

Bundesliga Surpreendente: Graças a The Machine, Wolfsburg Quebra Tabu e é Campeão pela Primeira Vez

maio 26, 2009
Grafite, mais conhecido como "The Machine" pelos alemães, além de goleador do torneio foi o maior responsável pela conquista inédita.

Grafite, mais conhecido como "The Machine" pelos alemães, além de goleador do torneio foi o maior responsável pela conquista inédita.

E não é que o Wolfsburg chegou lá? O time dos brazucas Grafite, Josué, Rodrigo Alvim (formado nas categorias de base do Grêmio) e Caiuby (ex-São Caetano-SP/BRA) levou a melhor sobre os grandes Bayern de Munich (de Lúcio), Borussia Dortmund (de Tinga), Werder Bremen (de Diego) e Bayer Leverkusen, além dos tradicionais Hertha Berlim, Hamburgo e Stuttgart, e sagrou-se campeão alemão neste último final de semana, após 37 desgastantes rodadas de batalha. Em 64 anos de história, foi o primeiro título alemão do Wolfsburg, com direito a goleada de 5 a 1 na rodada final, ante o Werder Bremen. Uma campanha excelente, que teve a confirmação do título somente na última rodada (e de maneir impiedosa, para não deixar dúvidas). O levantamento da primeira “salva de prata” (taça de campeão para os alemães) da história do clube coube ao capitão do time, o brasileiro Josué, ex-volante do São Paulo-SP/BRA. O Wolfsburg foi o primeiro colocado da Bundesliga com 69 pontos, seguido da segundo colocado Bayern de Munich com 67 pontos, e do terceiro colocado Stuttgart com 64 pontos. Grafite foi o goleador da Bundesliga com 28 gols, tendo feito 3 no jogo final realizado na Volkswagen Arena. Título merecido ao time verde. Veja no desenho tático abaixo (retirado do blog preleção do ClicRBS) o esquema de jogo vencedor adotado pelo treinador do Wolfsburg, Sir Felix Magath:

Como se pode perceber pela esquematização elaborada, o Wolfsburg  joga com um volante centralizado (o brazuca Josué) guarnecendo a linha de três meias avançados, razão pela qual, o jornalista do ClicRBS destacou que o esquema poderia ser chamado de 4-1-3-2 também. O goleiro é o suíço Benaglio (reserva da seleção de seu país); a dupla de zaga é formada pelo italiano Barzagli e pelo tcheco Simunek; os alas são exercidas pelo esloveno Peakirk na direita (ele não costuma subir muito) e pelo alemão Shäfer (jogada preferencial do time); no meio, o brasileiro Josué é utilizado como um legítimo cabeça-de-área, servindo de aparato para os 3 meias que encostam no ataque (o alemão Gentner pela esquerda, o bósnio Misimovic mais centralizado e o outro alemão Riether caindo pela direita); e no ataque, o bósnio Dzeko busca mais o jogo, para tabelar com o centroavante brasileiro Grafite, ou se preferirem, “The Machine”. Segundo os analistas, o time campeão alemão não é de grande técnica, todavia, tem muita raça e muita gana, abusando da sua jogada principal – fundamento que realiza muito bem. A estratégia intrínseca da equipe são as jogadas pelas alas, até porque, não há um pensador no time, aquele que articula as jogadas, que conduz o time ofensivamente (vide Douglas no Corinthians-SP/BRA, Souza e Tcheco no Grêmio, Roger no Qatar FC/QAT, Arílson no 14 de Julho de Livramento-RS/BRA, Ribery no Bayern de Munich/ALE, etc.). O time dá preferência para as trocas rápidas de passes curtos, com os jogadores se apresentando à guisa sincronizada para efetuar jogadas de 1-2. A grande força do time, sem sombra de dúvidas, é o ataque formado pelos matadores Grafite e Dzeko. Grafite é destro, Dzeko é canhoto. Ambos têm uma considerável velocidade e uma boa habilidade para jogadas individuais. Grafite e Dzeko são fortes e sabem utilizar o corpo para fazer paredes e girar sobre os adversários, ou até mesmo rolar a pelota para que vem de trás. Os dois arrematam muito bem de cabeça também. Nota: The Machine marcou 28 gols; Dzeko foi o vice-artilheiro da competição totalizando 26 gols. Em síntese, o Wolfsburg é um time bem organizado, que prioriza a variação de jogadas, sempre tentando impor muita velocidade, essencialmente através da descida de seus dois laterais, em sincronia com os 3 meias avançados e a respeitável dupla de atacantes imponentes.

Dzeko e The Machine comemoram o gol épico (para muitos um dos 5 mais belos da história da Bundesliga) de Grafite no jogaço ante o Bayern de Munich/ALE.

Dzeko e The Machine - ex-centroavante do Grêmio - comemoram o gol épico (para muitos um dos 5 mais belos da história da Bundesliga) de Grafite no jogaço ante o Bayern de Munich/ALE.

Falando um pouco sobre a história do clube, o Verein für Lebesübungen Wolfsburg Fussball GmbH (ou apenas Vfl Wolfsburg) é um clube de futebol proveniente da Alemanha, mais precisamente da cidade de Wolfsburg. A entidade foi fundada em 12 de Setembro de 1945, logo após a Segunda Guerra Mundial. Presidido atualmente por hans Dieter Pötsch, o clube abrange 29 departamentos de esportes, sendo futebol o mais conhecido.O uniforme titular é predominantemente verde, com detalhes brancos. O uniforme reserva é similar ao da Internazionale de Milão/ITA (camisa azul e preta com listras verticais, calção preto e meias azuis). O clube manda os seus jogos na Volkswagen Arena, estádio com capacidade para 30 mil pessoas. Os torcedores do Wolfsburg são conhecidos como “wolves” (lobos, na língua inglesa). O fornecedor de material esportivo é a gigante americana Nike.

Volkswagen Arena estava lotada no jogo final entre Wolfsburg e Werder Bremen.

Volkswagen Arena estava lotada no jogo final entre Wolfsburg e Werder Bremen.

Em 1938, a cidade de Wolfsburg foi fundada por operários da indústria automobilística. Em 12 de setembro de 1945, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, surgiu o VSK Wolfsburg, time de futebol do município. Desde o seu começo, a agremiação já usava as cores verde e branca que são a marca da equipe atualmente, porque o treinador Bernd Elberskirch tinha um jogo de uniforme nestas cores à disposição. Contudo, em 15 de dezembro de 1945 uma crise quase causou a extinção do Wolfsburg, quando vários atletas saíram da equipe para se juntarem a outro time da cidade. Apesar disso, com esforços do único jogador que permaneceu no clube, Josef Meyer, a equipe conseguiu se recuperar e adquiriu o nome que tem até hoje: VfL Wolfsburg. Logo depois, o time passou a ser patrocinado pela empresa automobilística Volkswagen, que possui ainda hoje 95% dos direitos do clube. Durante a maior parte de sua história, o Wolfsburg  jogou nas divisões inferiores da Bundesliga, oscilando principalmente entre a segunda e a terceira divisão. Em 1996/1997, conseguiu o acesso à elite do futebol do alemão. Em sua primeira temporada na primeira divisão, o Wolfsburg teve muitos problemas e lutou durante todo o campeonato contra o rebaixamento. Entretanto, logo no ano seguinte terminou em sexto na Bundesliga e se classificou pela primeira vez para uma competição européia, a Copa da Uefa, na qual não obteve muito êxito – haja vista que a equipe foi eliminada já na segunda fase da competição. Depois de conseguir algum sucesso na divisão principal, mas nunca lutando pelo título, a equipe caiu de rendimento nas edições do Campeonato Alemão de 2005/2006 e 2006/2007, na qual brigou contra o descenso em ambas, conseguindo escapar. Agora, com o título da Bundesliga 2008/2009, a torcida pode se orgulhar e gritar “é campeão”.

Tchüss!

sobre a rodada [15]

maio 25, 2009

Corinthians 2×1 Barueri – Souza desencantou.

Cruzeiro 2×0 Vitória – Kléber fez dois e matou o time baiano ainda no primeiro tempo. Agora o time mineiro só pensa no São Paulo.

Goiás 0x1 Internacional – A qualidade na hora de finalizar que faltou no Goiás sobrou no Inter. 1×0 e 100% no Brasileirão.

Atlético-PR 2×3 Náutico – Grande virada do time pernambucano. Em um dos gols Galatto falhou feio.

Grêmio 2×0 Botafogo – Estreia de Autuori e boa atuação Tricolor.

Palmeiras 0x0 São Paulo – Se não fosse São Marcos o São Paulo tinha ganho a partida.

Fluminense 1×4 Santos – Parreira já pediu contratações. E o Santos de Molina – autor de dois gols – parece jogar melhor fora de casa.

Sport 2×3 Atlético-MG – Depois de fazer 3×0 no primeiro tempo, o time de Roth quase cedeu o empate. Golaço de Éder Luiz. Bom começo do Galo.

Santo André 1×2 Flamengo – Dois de Josiel. Parece mentira né?

Avaí 2×2 Coritiba – As duas equipes seguem sem vencer.

Barça ou Manchester?

maio 25, 2009

Quem leva a Champions League?

Messi ou Cristiano Ronaldo?

Dossiê Libertadores’2009: Os 8 Melhores da América (Parte 2)

maio 25, 2009
Rogério Ceni fará muita falta ao atual bicampeão brasileiro...

Rogério Ceni fará muita falta ao atual bicampeão brasileiro...

Dando prosseguimento à analise dos confrontos válidos pelas quartas-de-final da Copa Libertadores da América, é a hora de falarmos sobre São Paulo-SP/BRA e Cruzeiro-MG/BRA. A meu ver, o confronto mais difícil desta fase. Totalmente imprevisível. Tentarei fazer as devidas considerações sobre as duas equipes, mesmo sabendo que corro sério risco de cometer algum tipo de heresia. O fato é que o São Paulo-SP/BRA, treinado há mais de anos pelo casmurro Muricy Ramalho, é o maior clube do Brasil. Em razão disso, o São Paulo-SP/BRA sempre será um dos favoritos, sempre será um adversário de respeito. É um clube que tem saúde financeira, que tem uma ótima direção, ótimo grupo de jogadores e uma histórica magnífica em termos de futebol. O time bem articulado de Muricy Ramalho costuma jogar no 3-5-2 (por vezes ele mexe no esquema e transforma em 4-4-2 no decorrer do jogo), com Wagner Diniz aberto pela ala-direita, Júnior César na esquerda, a zaga formada pelos experimentados Miranda, André Dias e Rodrigo, o meio com Richarlyson, Jorge Wagner e Hugo, e o ataque conta com o habilidosíssimo Borges e o eterno “coração de leão” Washington. Muricy Ramalho pode se dar ao luxo de deixar Dagoberto no banco de reservas. O problema de tudo, é que o maior ídolo e líder do clube não vem jogando já faz algumas semanas: Rogério Ceni. Uma lesão grave tirou de atividade o capitão do time de São Paulo por 6 meses. Ceni está fora da Libertadores e de grande parte do Campeonato Brasileiro. Abatido, o São Paulo sentiu a falta de seu maior jogador, símbolo de seus últimos títulos. Pior. O goleiro reserva, Bosco, se lesionou recentemente. O novo titular da meta são-paulina é o desconhecido Dênis, das categorias de base. O time de Muricy Ramalho segue sendo um dos favoritos ao título, mas não é o mesmo de anos anteriores, ainda mais sem Rogério Ceni.

O Gladiador vive o melhor momento da carreira com a camisa da Raposa.

O Gladiador vive o melhor momento da carreira com a camisa da Raposa.

Quanto ao Cruzeiro-MG/BRA, a única situação a lamentar é a ausência do “selecionável” Ramires no segundo jogo das quartas-de-final. O time mineiro comandado por Adilson Batista vive uma fase incrível. O centroavante Kléber (conhecido como “Kléber, o Gladiador”) parece ter reencontrado o bom futebol e, desta vez, sem violência. Kléber vem marcando muitos gols, tanto que na última partida marcou os dois gols da vitória cruzeirense sobre o Vitória-BA/BRA, até então, líder do Campeonato Brasileiro invicto. Ademais, o Gladiador Kléber chegou à marca de 19 gols em 19 jogos disputados com a camisa cruzeirense (média de 1 gol por partida). Fora o deslize ante o Estudiantes de La Plata/ARG, em jogo celebrado na casa do adversário, quando da fase classificatória, momento em que fora impiedosamente goleado pelos argentinos, o time está muito bem. Adilson Batista dá indícios de que acertou o time. Esquematizado no 4-4-2, o time de Adilson Batista tem atulamnete a seguinte escalação: Fábio (bom goleiro, seguro, mas que entrega às vezes); Jonathan, Leonardo Silva, Léo Fortunatto, Athirson; Fabrício, Henrique, Ramires e Marquinhos Paraná; Thiago Ribeiro e Kléber. O fraco do time mineiro é a defesa. Jonathan é uma promessa que vem se confirmando jogo a jogo (Jancarlos é banco), mas sai muito para o jogo, desguarnecendo a zaga. A dupla de zagueiros é extremamente lenta. Athirson já está bem rodado para jogar na lateral-esquerda (mais de 33 anos nas costas), e não tem mais a mesma pontaria e preparo físico da época em que surgiu no Flamengo-RJ/BRA. Ramires é o craque do time, o centro das jogadas. As jogadas intrínsecas do time passam por ele. O articulador Wagner, voltando de lesão, deverá estar à disposição para o jogo ante o São Paulo-SP/BRA (ótimo reforço). Os demais formadores do meio são jogadores medianos. Evidentemente, que o forte do time é o ataque. Além do Gladiador Kléber, Thiago Ribeiro é sempre uma ameaça à meta adversária, tendo em vista a sua grande habilidade para arremates a gol e ótimo posicionamento em campo. Soares está lesionado. Wellington Paulista é reserva.

No Campeonato Brasileiro 2008, deu São Paulo-SP/BRA 2×0 no Cruzeiro-MG/BRA, no jogo celebrado em São Paulo; já no Mineirão, deu Cruzeiro-MG/BRA 1 x1 São Paulo-SP/BRA. Como o time do São Paulo é praticamente o mesmo do ano passado (ou seja, envelhecido mais 1 ano), e agora conta com os desfalques de Rogério Ceni e Bosco, ao passo que o Cruzeiro vive uma fase muito positiva, contratou excelentes reforços e está com o time ajustadinho, creio que o time da Toca da Raposa deve classificar para as semi-finais. Se o São Paulo classificar, será por pura falta de competência do treinador do Cruzeiro, e pela estrela de Muricy Ramalho, até porque, faltam títulos importantes no currículo de Adilson Batista.

Tchüss!

Autuori Estreia no Comando do Imortal Tricolor: Vitória com Autoridade

maio 25, 2009
Paulo Autuori gostou do que viu...

Paulo Autuori gostou do que viu...

A estreia de Paulo Autuori como novo treinador do Grêmio foi exultante. Enfrentando um dos adversários mais tradicionais do país, o Imortal Tricolor voltou a se apresentar no esquema 3-5-2, todavia, com outra disposição tática. Mas como é possível, se o time jogou no mesmo esquema? Ah, meu amigo, tem coisas que só um grande treinador guarda debaixo da manga. Autuori mobilizou o grupo de jogadores de uma forma, que não se via há tempos pelas redondezas da Azenha. O Botafogo foi esmagado, pressionado, encurralado. O Tricolor Gaúcho, tão logo recuperava a posse de bola, arrancava ambicioso para o campo de defesa dos cariocas. O bravo capitão botafoguense (Juninho) foi um dos melhores jogadores em campo. Mas que baita jogador! Duas cobraças de falta perigosíssimas à meta do “selecionável” Victor, com direito a uma paulada na trave esquerda, quando da segunda cobrança. Acontece que, mesmo assim, o Fogão não teve chance alguma durante o jogo. “Só o Grêmio poderia vencer estar partida” – segundo palavras do comentarista da Rede Globo, Paulo Roberto Falcão. No primeiro tempo, uma série de gols perdidos pelo Grêmio. Parecia mais uma fotografia de Grêmio x Universidad de Chile, pela primeira rodada da fase classificatória da Libertadores. Tcheco, agora reposicionado, se unia ao ataque com facilidade e tinha espaço para articular as suas jogadas de técnica refinada. Souza fazia e acontecia pelo lado esquerdo. Réver tinha mais uma atuação digna de Seleção Brasileira (espero que o Dunga não tenha visto o jogo, senão o Grêmio será destruído pelas próximas convocações). O gol era questão de tempo. Dito e feito. Logo no início da segunda etapa, Jonas marcou 1 a 0 para o Grêmio, em uma bola que sobrou para ele, após uma tentativa de passe na entrada da grande área dos cariocas, no melhor estilo “bicuda”.

La Barbie brigou muito durante o jogo, não teve chances de gol, mas deu um passe açucarado para o gol de Fábio Santos.

La Barbie brigou muito durante o jogo, não teve chances de gol, mas deu um passe açucarado para o gol de Fábio Santos.

O Imortal Tricolor era o dono do jogo. Túlio se notabilizava peo paredão que representava em frente à defesa gremista. Souza então dá lugar a Douglas Costa, a maior promessa de craque do Monumental, muito elogiado pelo novo comandante. O jogo haveria de ganhar outros ares. Douglas Costa deu novo sangue ao time. Articulava jogadas extremamente rápidas pelos dois lados do campo. Sobrou tempo até para dar um lençol no pobre Leandro Guerreiro, eterno volante tosco do Botafogo, ex-jogador do Time da Beira do Lago. Pois em uma dessas belas arrancadas, Douglas Costa rolou a bola no primeiro poste para Maxi “La Barbie” López que, prevendo a chegada dos dois zagueiros cariocas, deu um leve toque de letra para Fábio Santos, sozinho com a goleira vazia, marcar 2 a 0 para o Imortal Tricolor. A principal diferença que se observou, do início da Era Autuori em relação às Eras Roth e Rospide, foi o reposicionamento do Capitão Tcheco. Parecia outro jogador. Não foi à toa que a Rádio Gaúcha de Porto Alegre-RS escolheu Tcheco como o melhor em campo. Ele armou, defendeu, chutou, articulou, etc. A torcida saiu satisfeita do Estádio Olímpico Monumental. Estreia promissora do novo treinador. Atuação convincente do time. Segurança e domínio do jogo. Com esta primeira vitória no Campeonato Brasileiro, válida pela terceira rodada, o Grêmio pulou da 12ª colocação para a 8ª colocação com 4 pontos. Agora o Imortal Tricolor enfrenta o Caracas/VEN na quarta-feira, jogo de ida, válido pelas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. É, amigo, a Era Paulo Autuori começou… e bem…

GRÊMIO 2 x 0 BOTAFOGO
Victor, Léo, Rafael Marques e Réver (Willian Thiego); Ruy, Túlio, Tcheco, Souza (Douglas Costa) e Fábio Santos; Jonas (Germán Herrera) e Maxi López. Castillo, Leandro Guerreiro, Juninho e Eduardo; Alessandro (Diego), Fahel, Túlio Souza, Rodrigo Dantas (Jean Coral) e Gabriel (Wellington); Tony e Victor Simões.
Técnico: Paulo Autuori. Técnico: Ney Franco.
Gols: Jonas, aos 12, e Fábio Santos, aos 33 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Réver (Grêmio); Gabriel, Eduardo, Tony (Botafogo).
Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS). Data: 24/05/2009. Árbitro: Sálvio Spinola (Fifa/SP). Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA).

Tchüss!

Dossiê Libertadores’09: Os 8 Melhores da América (Parte 1)

maio 22, 2009

A partir de hoje, até o dia do primeiro jogo válido pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, farei aqui neste espaço uma análise sobre cada um dos quatro confrontos que decidirão quem são os 4 melhores clubes da América. Pela ordem hierárquica (dadas as colocações dos clubes na Fase Classificatória), analiso no dia de hoje o confronto Grêmio X Caracas/VEN. O Grêmio, como todos sabem, é o time de melhor campanha em toda a Libertadores, tendo vencido todos os seus jogos e empatado apenas o jogo de sua estreia na competição ante o Universidad de Chile/CHI. O time vem numa boa ascendência desde a saída do treinador Celso Roth (atualmente no Atlético Mineiro-MG/BRA), tendo passado para a fase de oitavas de final e sequencialmente para a de quartas de final, sob o comando do técnico interino Marcelo Rospide, sem dificuldade alguma. Após 43 dias de espera, o Imortal Tricolor finalmente anunciou o novo dono da sua casamata: o festejado Paulo Autuori. Com ânimo renovado, o Grêmio enfrentará neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, na estreia de seu novo técnico, o Botafogo-RJ/BRA. O Grêmio é o 12º colocado no Campeonato Brasileiro 2009. Ademais, a tendência é de que Autuori modifique o esquema tático gradualmente. O atual 3-5-2, que tanto sacrifica o Capitão Tcheco e deixa o time vulnerável, deverá dar lugar a um clássico 4-4-2, aproveitando ao máximo as habilidades técnicas de Tcheco e Souza na articulação, e armando um paredão frente à defesa com os volantes Túlio e Adilson. Rafael Marques deve dar lugar a Túlio. Alex Mineiro deve disputar posição com Jonas, ao que tudo indica. Para o jogo deste domingo, o Tricolor deve ir a campo com Victor; Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy, Túlio, Tcheco e Souza; Jonas e Maxi López. Como Adilson está suspenso em razão do terceiro cartão amarelo e não enfrentará o Caracas/VEN no jogo de ida pelas quartas de final da Libertadores, Autuori deverá promover a titularidade de Túlio já neste domingo, até para entrosar o meio de campo. O problema de última hora que surgiu no Monumental já fora anunciado pelo meu amigo blogueiro Alemão Pizoni em post pretérito: Victor, peça fundamental no time do Grêmio, não jogará o jogo de volta pela Copa Libertadores da América e nem o jogo de ida das semi-finais, caso o Imortal Tricolor passe de fase.

Réver promete não dar sossego ao argentino Darío Figueroa no confronto ante o Caracas/VEN.

Réver promete não dar sossego ao argentino Darío Figueroa no confronto ante o Caracas/VEN.

Do lado do Caracas/VEN, só boas notícias. O clube vive uma euforia sem pormenores, uma vez que jamais havia chegado tão longe no torneio mais importante da América. Os venezuelanos vêm credenciados pela eliminação na fase classificatória, além do Everton/CHI, do atual líder do Torneo Apertura 2009 válido pelo Campeonato Argentino, Lanús/ARG. Nas oitavas-de-final eliminaram o Deportivo Cuenca/EQU com uma derrota de 2 a 1 fora, e uma estrondosa goleada em seus domínios (4 a 0). Nota: os equatorianos vinham de vitória sobre o temido Boca Juniors/ARG. Caracas Fútbol Club é um clube sediado na cidade de Caracas, na Venezuela, o qual ganhou nove títulos do Campeonato Venezuelano de Futebol e três Copas da Venezuela. O clube é conhecido como Los del de Rojos Ávila, em alusão às camisas vermelhas usadas por seus jogadores, como também Cerro El Ávila, um monte situado perto da cidade. Originalmente fundado em 1967, o time jogou por muitos anos como clube amador. Em meados de 1980, o time se chamava Yamaha, e naquele momento, tinha êxito em vários campeonatos amadores. Em 1984, o time foi renomeado como Caracas-Yamaha, e foi apresentado à Liga de Futebol Americano Profissional Venezuelana para participar na Segunda  Divisão daquele campeonato. O time obteve o ingresso à Primeira Divisão depois de ganhar o Segundona na primeira oportunidade em que teve. No uniforme, predominam as cores preto e vermelho. O atual presidente do clube é o também venezuelano Guillermo Valentiner. O Caracas/VEN manda os seus jogos no Estádio Cocodrilos Sports Park, com capacidade para 3.500 pessoas. Como o estádio não comporta a capacidade mínima que exige a Copa Libertadores da América, o clube vem atuando no Estádio Olimpico Ataualpa de Caracas, com capacidade para 30.000 pessoas. O time comandado pelo treinador venezuelano Noel Sanvicente joga no esquema 4-4-2 com a seguinte escalação: Javier Toyo; Barone (lateral-direito uruguaio), Rey, Cichero, e Bustamante; Edder Pérez, Luís Vera (capitão do time), Darío Figueroa (meia argentino) e Prieto (meia-atacante mexicano); Castellín e Rentería. O ponto forte do time é a velocidade que implementa em seus contra-ataques. Rentería, Figueroa e Prieto formam um tripé no ataque venezuelano. Muito rápidos, eles abusam das jogadas de 1×2 e chutam bem de fora da área. O argentino Figueroa é o centro do time. Todas as jogadas ofensivas passam pelos seus pés. Na defesa, o destaque é o xerifão Rey. Ele é zagueiro da Seleção Venezuelana há anos e transmite muita segurança a todo o time. Será um páreo duro, mas na minha análise, o Grêmio passa (e bem) pelo Caracas/VEN, tendo em vista a sua melhor qualidade técnica, melhor treinador e maior tradição.

O zagueirão Rey comemora o seu gol com o meia Prieto, ante o Deportivo Cuenca/EQU no jogo passado.

O zagueirão Rey comemora o seu gol com o meia Prieto, ante o Deportivo Cuenca/EQU no jogo passado: um golaço de falta.

A Conmebol anunciou nesta sexta-feira os trios de arbitragens para as partidas de ida das quartas-de-final da Copa Libertadores. O uruguaio Roberto Silvera apitará a partida entre Caracas/VEN e Grêmio, dia 27 de maio,  às 21h50min, na Venezuela. Ele será auxiliado pelos assistentes Miguel Nievas e Marcelo Gadea.

Tchüss!

Defensor/URU: A Maior Zebra da Libertadores 2009

maio 22, 2009
Roman parece não acreditar na eliminação sumária do seu Boca Jrs/ARG diante de um compenetrado Curbelo, seu marcador implacável.

Roman parece não acreditar na eliminação sumária do seu Boca Jrs/ARG diante de um compenetrado Curbelo, seu marcador implacável.

E não é que o Defensor/URU eliminou o “favoritáço” Boca Juniors/ARG? Quem diria! Em pleno Estádio de La Bombonera, em Buenos Aires/ARG! O time liderado pelo hábil meia uruguaio Diego De Souza volta a disputar uma fase de quartas de final do torneio mais importantes da América – algo que não acontecia desde 2007 quando foi eliminado pelo Grêmio. No jogo de ida, válido pelas oitavas de final, o Defensor/URU havia empatado com o Boca Juniors/ARG, no Uruguai, em 2 a 2. O time uruguaio suou muito para obter o empate em sua própria casa, nos minutos derradeiros de jogo. Desta feita, o Boca Juniors/ARG entrou em campo com o reforço de Riquelme, que estava afastado por lesão,  mas nem a presença do camisa 10 foi suficiente. De Souza marcou o único gol da partida ainda no primeiro tempo, na primeira chance do Defensor/URU, aos 27 minutos. O astro do time uruguaio recebeu um bom passe dentro da grande área e chutou forte no ângulo esquerdo do goleiro Pato Abbondanzzieri, após se desvencilhar da marcação do beque central. A bola bateu no travessão e morreu dentro no fundo do gol. No segundo tempo, o Boca Juniors/ARG fez as três substituições que tinha direito para deixar o time mais ofensivo. Entretanto, a equipe argentina ficou demasiadamente fragilizada na defesa. Assim como atacava, o Boca Juniors/ARG também era atacado. As duas esquadras tiveram chances claras de gol, mas nenhuma conseguiu marcar. Os uruguaios souberam suportar a pressão do caldeirão castelhano e (heroicamente) derrotaram o maior candidato ao título da Libertadores 2009. Nas quartas de final, o Defensor/URU vai enfrentar o Estudiantes de La Plata/ARG, que eliminou o Libertad/PAR. Baita jogo de futebol! As quartas de final, desta forma, estão definidas da seguinte forma: Grêmio X Caracas/VEN; São Paulo-SP/BRA X Cruzeiro-MG/BRA; Palmeiras-SP/BRA X Nacional/URU; e Defensor/URU X Estudiantes de La Plata/ARG. Os adversários (fundamentalmente os brazucas) adoraram esta zebrinha…

Tchüss!

Mas Que Tal Esse Novo Uniforme Hein?

maio 22, 2009
Não me recordo em todos estes anos de um uniforme tão bagaceiros pelas bandas da Azenha...

Não me recordo em todos estes anos de um uniforme tão bagaceiro pelas bandas da Azenha...

Eu sinceramente achei de péssimo gosto. As camisetas da Libertadores da América ficaram perfeitas, muito bem elaboradas. De outro canto, as novas camisetas gremistas para a disputa do Brasileirão são bizarras. Aquela gola ridícula não tem explicação. Com toda a certeza eu não comprarei nenhuma destas duas camisetas. Pretendo comprar, sim, as duas da Libertadores. A gol dos novos uniformes mais parece aqueles “moletons-canguru” que são vendidos nas lojas de surf wear. Coitados dos atletas profissionais que terão de usar aquilo. Acho que é chegada a hora da Puma dar adeus ao Grêmio…

Isso sim que é manto sagrado, tchê!

Isso sim que é manto sagrado, tchê!

Tchüss!!

Dunga x dupla gre-nal

maio 21, 2009

Inegável a falta que Victor e Nilmar deixaram nos elencos de Grêmio e Inter. O problema é que ambos os times estão em retas finais de campeonatos. Justamente quando é preciso força máxima.

A dupla deixará que Dunga leve os jogadores assim sem dó nem piedade?

Segue a lista completa dos convocados para a Eliminatórias e Copa das Confederações.

Goleiros:
Júlio César (Inter de Milão/ITA)
Gomes (Tottenham/ING)
Victor (Grêmio)

Zagueiros:
Lúcio (Bayern de Munique/ALE)
Alex (Chelsea/ING)
Juan (Roma/ITA)
Luisão (Benfica/POR)

Laterais-direitos:
Maicon (Inter de Milão/ITA)
Daniel Alves (Barcelona/ESP)

Laterais-esquerdos:
Kleber (Inter)
André Santos (Corinthians)

Volantes:
Gilberto Silva (Panathinaikos/GRE)
Josué (Wolfsburg/ALE)
Felipe Melo (Fiorentina/ITA)

Meias:
Kaká (Milan/ITA)
Elano (Manchester City/ING)
Júlio Baptista (Roma/ITA)
Anderson (Manchester United/ING)
Ramires (Cruzeiro)

Atacantes:
Luís Fabiano (Sevilla/ESP)
Robinho (Manchester City/ING)
Alexandre Pato (Milan/ITA)
Nilmar (Inter)

Inter ou Coritiba? Vasco ou Corinthians?

maio 21, 2009

Quais times farão a final da Copa do Brasil 2009?

sobre a rodada [14]

maio 21, 2009

Coxa entre os 4

maio 20, 2009

Com um magro 1×0, o Coritiba garantiu vaga em uma das semi-finais da Copa do Brasil.

Será o Coxa capaz de parar Inter ou Flamengo?


%d blogueiros gostam disto: