Archive for the ‘Cinema’ Category

O ETERNO CRAQUE GREMISTA

agosto 25, 2007

TÍTULO 1:

Carlos Eduardo está de saída. Lucas já saiu. Cássio também. O mesmo aconteceu com Lúcio. Jardel, Paulo Nunes, AnderSHOW, Eduardo Costa (hj reintegrado), Ronaldinho, Anderson Polga, entre outros tantos que já saíram do Grêmio… ora, o Grêmio é um celeiro infindável de ótimos jogadores. Todo o ano tem algum atleta dos juniores que se destaca, encanta os europeus e se manda para a Europa. Evidentemente que isso não é um bom indicativo, todavia, o clube precisa de dinheiro para pagar a folha salarial e seus dívidas, fundamentalmente, de cunho fiscal e trabalhista. É a triste realidade do futebol brasileiro. Os clubes precisam destas vendas para alavancar seus negócios. Fora isso, um clube no Brasil vive das rendas dos jogos, cotas de televisão, venda de produtos da marca e títulos. Com as saídas recentes de Cássio e Lucas Leiva, e a possível saída de Cadu, muitos aduziram que o Grêmio perdeu um pouco de sua identidade, que os jogadores de alta qualidade sempre vão embora, e que não há mais craques no Monumental. EQUÍVOCO. O Real Madri pode levar o Diego Souza. O Barcelona pode levar o Saja. O Milan pode levar o Eduardo Costa. A Juventus de Turim pode levar o Willian. O Bayern de Munich pode levar o Mano Menezes. O Liverpool pode levar o Flávio Trevisan. O Manchester United pode levar o Paulo Odone. O Chelsea pode levar o Jhon Palácios (atacante colombiano, destaque dos juniores do Grêmio). MAS JAMAIS LEVARÃO O MAIOR CRAQUE TRICOLOR: A SUA TORCIDA APAIXONADA E FANÁTICA!!!! A Alma Castelhana dá um show de como se torcer jogo pós jogo. Seja contra o Boca Juniors(ARG), seja contra o Sapucaiense-RS, a torcida gremista está sempre lá para estimular os atletas tricolores, gritar enfaticamente seus nomes e “avalanchar” a cada gol marcado.  O contrato da torcida tricolor gremista é VITALÍCIO, é IMORTAL, como a entidade de nome GRÊMIO FOOT-BALL PORTO-ALEGRENSE. E digo mais: esse craque NUNCA abandonará o Grêmio, porque ele não se apega a dinheiro, mas ao amor que tem por seu clube – que é ETERNO. Grêmio: NADA pode ser maior. Um sentimento.

TÍTULO 2:

Final de semana passado assisti ao filme “O Labirinto do Fauno” (El Laberinto del Fauno), saído dos cinemas há algum tempo. Abaixo seguem os detalhes.
Gênero: Drama, Fantasia, Suspense
Duração: 120 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido
Palavras-Chaves: Bem-vestido, Tragédia, Criança, mais…
Prêmios: Vencedor de 3 Oscars
Distribuidora(s): Warner Bros., Warner Home Vídeo
Produtora(s): Warner Bros. Pictures, Tequila Gang, Esperanto Filmoj, Estudios Picasso, OMM, Sententia Entertainment, Telecinco
Diretor(es): Guillermo del Toro
Roteirista(s): Guillermo del Toro
Elenco: Ariadna Gil, Ivana Baquero, Sergi López, Maribel Verdú, Doug Jones (1), Álex Angulo, Manolo Solo, César Vea, Roger Casamajor, Ivan Massagué, Gonzalo Uriarte, Eusebio Lázaro, Paco Vidal¹, Juanjo Cucalón, Lina Mira
Lançamento do DVD: 24.05.2007
Estréia: 01.12.2006

SINOPSE”O Labirinto do Fauno” conta a história de uma menininha que, em 1944, viaja com a mãe e o pai adotivo para uma área rural no norte da Espanha. O cenário é o pós-guerra espanhol que deu a vitória ao fascista Francisco Franco. A garota, no entanto, vive num mundo imaginário que ela mesma criou, mas para sua decepção deverá encarar a realidade dos fatos.1.jpg

CRÍTICA

Um filme com cenas fortes, reais. Um conto de fadas que se mescla à dura realidade das guerras. Roteiro muito bem elaborado. Atores completamente desconhecidos, mas não menos talentosos. A meu ver, esta película poderia ter tido uma maior duração. Poderia ter sido um pouco melhor desenvolvido. Bom filme.

NOTA DO FILME: 7,0/10

Tchüss!!

[DOC]

25 de Agosto de 2007 – 10h21

Anúncios

JÁ ESTAVA COM SAUDADES DISSO TUDO…

agosto 19, 2007

TÍTULO 1:

Pois é…aqui estou mais uma vez. Conforme eu já havia alertado, minhas colunas seriam cada vez menos freqüentes em razão “do processo”. Graças ao “processo”, melhorei um pouco de vida, mas isso não é assunto para análise aqui neste espaço. Sem mais delongas, vamos ao que interessa! Assisti final de semana passado a dois filmes, os quais analisarei em separado nos dois títulos que seguem. O primeiro deles foi “A PASSAGEM” (Stay). Logo abaixo seguem os detalhes do filme.

A Passagem
(Stay, EUA, 2005)

Gênero: Suspense
Duração: 99 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido
Distribuidora(s): Fox Film
Produtora(s): New Regency Pictures, Epsilon Motion Pictures, Regency Enterprises
Diretor(es): Marc Forster
Roteirista(s): David Benioff
Elenco: Ewan McGregor, Ryan Gosling, Kate Burton, Naomi Watts, Elizabeth Reaser, Bob Hoskins, Janeane Garofalo, B.D. Wong, John Tormey, José Ramón Rosario, Becky Ann Baker, Lisa Kron, Gregory Mitchell, John Dominici, Jessica Hecht

Estréia nos cinemas: 30.12.2005

SINOPSE: Thriller psicológico no qual um jovem anuncia ao seu psiquiatra que irá cometer suicídio em três dias. Desesperado, o médico se esforça para ajudar seu novo paciente, conduzindo o jovem pela cidade numa inacreditável viagem. Como se fosse um pesadelo, o rapaz suicida irá descobrir que existe um lugar entre a vida e a morte que jamais imaginou.

passagem.jpg

CRÍTICA: Filme extremamente confuso. Um ótimo elenco, com uma ótima atuação de Evan McGregor, entretanto, o diretor deixa várias lacunas em meio ao desenrolar do filme. O público chega ficar confuso em dada hora. Não se sabe mais quem é quem, o que é real e o que não é. O conteúdo da película é muito bom, infelizmente, o diretor Marc Forster não foi competente para adaptar as situações à realidade.

NOTA FO FILME: 4,0/10

TÍTULO 2:

O segundo filme que tive a oportunidade de assistir foi um pouco melhor, relevando-se as suas peculiaridades. Nas linhas abaixo seguem as informações pertinentes de praxe.

Uma Noite no Museu
(Night at the Museum, EUA, 2006)

Gênero: Comédia
Distribuidora(s): Fox Film
Produtora(s): Twentieth Century-Fox Film Corporation, 1492 Pictures, 21 Laps Entertainment
Diretor(es): Shawn Levy
Roteirista(s): Robert Ben Garant, Thomas Lennon (1)
Elenco: Ben Stiller, Dick Van Dyke, Mickey Rooney, Jake Cherry, Bill Cobbs, Ricky Gervais, Carla Gugino, Mizuo Peck, Robin Williams (1), Kim Raver, Patrick Gallagher (1), Rami Malek, Pierfrancesco Favino, Charlie Murphy¹, Steve Coogan

Estréia nos cinemas: 12.01.2007

noite.jpg

SINOPSE:

Comédia e ação se misturam na trama que envolve um dos guardas da segurança do Museu de História Natural de Nova York, que sem querer desencadeia uma maldição que faz os animais e insetos extintos voltarem à vida.

CRÍTICA: O filme demora um pouco para se desenvolver no início, mas ao final se torna um bom entretenimento à família. Precisamos levar em conta o fato de que se trata de um filme de comédia, logo, não se pode criticar demasiadamente. Se formos comparar com o mundo real, Uma Noite no Museu estará fadado a ferozes apontamentos negativos, até porque, o filme foge (e muito) da verossimilhança do nosso cotidiano. É preciso que o público embarque na viagem proposta pelo diretor Shawn Levy. É possível dar boas risadas com este filme. Owen Wilson faz uma pontinha e se destaca, para variar um pouco. Robin Williams também dá sua contribuição. A propósito, aluguei este DVD porque o Ben Stiller faz bons filmes de comédia, vez que outra. Quando penso em Ben Stiller, lembro de “Duplex” – muito hilário diga-se de passagem.

NOTA DO FILME: 6,0/10

Tchüss!!

[DOC]

18 de Agosto de 2007 – 23h02

300 CONTRA O “RACISMO”

agosto 7, 2007

TÍTULO 1:

Tive a oportunidade de assistir ao filme “300”, de Zack Snyder, neste último sábado, recém saído dos cinemas. Logo abaixo, seguem as informações a respeito:
Gênero: Ação, Aventura, Drama, mais…
Duração: 117 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido
Palavras-Chaves: Baseado em quadrinhos, Baseado em fatos reais, Filme histórico, mais…
Distribuidora(s): Warner Bros.
Produtora(s): Warner Bros. Pictures

Diretor(es): Zack Snyder
Roteirista(s): Zack Snyder, Kurt Johnstad, Michael B. Gordon, Frank Miller (2), Lynn Varley
Elenco: Gerard Butler, Lena Headey, Dominic West, David Wenham, Vincent Regan, Michael Fassbender, Tom Wisdom, Andrew Pleavin, Andrew Tiernan, Rodrigo Santoro,
Lançamento do DVD: 02.08.2007
Estréia nos cinemas: 30.03.2007
Dispon�vel em DVD

SINOPSEEm 480 antes de Cristo, durante a famosa batalha de Thermopylae, o rei de Esparta, Leônidas (Gerard Butler), lidera seu exército contra o avanço dos Persas, comandados por Xerxes (Rodrigo Santoro). Na História, a batalha ficou marcada por ter inspirado toda a Grécia a se unir, o que ajudou a solidificar o conceito de democracia que se conhece hoje. Adaptação dos quadrinhos criados por Frank Miller.

CRÍTICA: Filme muito fraco. Os produtores abusaram dos efeitos visuais, sendo que TODOS os 300 guerreiros espartanos tinham corpos esculturais extremamente definidos pelo photoshop e ainda davam pulos exagerados de léguas de distância, com direito a slow motion para que não fossem percebidas as falhas grotescas. Ridículo. Uma película que exigia o gênero AÇÃO, e tem o seu desenrolar demasiadamente lento, com cenas em slow motion descaracterizando a veracidade dos movimentos humanos. A participação do brasileiro Rodrigo Santoro é pequena, mas interessante. Este filme pecou em muitos detalhes, e perdeu (E MUITO) para outros filmes do gênero (Gladiador e Tróia, por exemplo).

NOTA DO FILME: 4,0/10 

TÍTULO 2:

Falei do Juventude ontem, e volto a falar do Time da Papada novamente. A direção reagiu bem aos mals resultados, contratando dois novos reforços que devem agregar certa qualidade ao time, tendo em vista o mediocre plantel atual. Ambos jogaram no Grêmio. Já adivinhou? São eles: Jucemar, lateral-direito com passagem pífia pelo Tricolor, e Marcelo Costa, meia de boa qualidade técnica, um dos destaques na Batalha dos Aflitos (naquele time era craque ao lado de AnderSHOW). Não são craques da bola, mas são jogadores que sabem jogar bem em times pequenos em ascensão no cenário nacional, tal como o Ju. Mas o assunto que venho trazer à baila é muito mais sério.  Um fato extremamente lamentável aconteceu no jogo entre Juventude e Atlético-MG, celebrado neste final de semana. O lateral júlio César do juventude, foi expulso, e ao sair do campo, foi chamado de MACACO pela sua própria torcida. Já havia se visto as torcidas chamarem os atletas dos times adversários de macacos, agora chegaram ao CÚMULO de chamar, inclusive, os atletas do próprio clube do coração. PELO AMOR DO SENHOR!!!! Que atitude recriminável! Fosse na Europa, o Juventude levaria uma bela de uma multa e ficaria rodadas a fio sem jogar em seu estádio, como forma punitiva. Não bastasse ano passado o zagueiro Antônio Carlos, atleta do Juventude na época, cometer aquele abuso contra o volante Jeovânio,ex- capitão do Grêmio, ainda aparecem idiotas travestidos de torcedores cometendo estes verdadeiros ilícitos penais. A propósito, todos falam em RACISMO. Isso NÃO é racismo. Isso se chama INJÚRIA PRECONCEITUOSA. Racismo é forçar alguém a fazer alguma coisa, constranger alguém a algo, não permitir a entrada de alguém, em razão de raça, credo, cor ou qualquer forma de distinção racial. O que os torcedores cometeram foi o crime de injúria preconceituosa, o qual tem por escopo insultar a pessoa, face a um pré-conceito existente na sociedade. Nada contra meus amigos da imprensa, tenho muitos amigos jornalistas (entre eles o Fuca e o Alemão, que assinam comigo este BLOG), mas volta e meia alguns mais desinformados cometem algumas gafes querendo  elaborar reportagens sobre o Direito. Por vezes, é melhor ter a humildade de consultar uma pessoa que conheça do assunto, para então veicular matéria a respeito.

Tchüss!

[DOC]

6 de Agosto de 2007 – 21h58

THIAGO PEREIRA E A OBSESSÃO PELO NÚMERO 23

julho 30, 2007

TÍTULO 1:

Os Jogos Pan Americanos Rio 2007 acabaram, tal como meu amigo Alemão enalteceu na sua coluna infra. O Brasil alcançou o seu melhor desempenho na história dos jogos entre as Américas, ficando em terceiro lugar (em Santo Domingo, nos Jogos Pan Americanos de 2003), atrás somente dos imbatíveis Estados Unidos e de Cuba. Gize-se que em Santo Domingo, o Brasil havia ficado em quarto lugar, logo atrás do Canadá. Estes resultados maravilhosos do esporte brazuca devem aumentar o investimento de empresas. DEVE. Nada é certo, em termos financeiros,  na “terra brasilis”. Com esta digna organização (exceto por alguns casos peculiares) faz do Brasil um candidato considerável à organização de uma das próximas olimpíadas. Quanto às medalhas, o Brasil foi o PRIMEIRO LUGAR em medalhas de bronze (67 contra 41 de Cuba e 52 dos EUA), o SEGUNDO LUGAR em medalhas de prata (40 contra 35 de Cuba e 88 dos EUA) e TERCEIRO LUGAR em medalhas de ouro (54 contra 59 de Cuba e 97 dos EUA). Jamais havíamos conquistado tantas medalhas de ouro. Bravo, Brasil! Parabéns, Carlos Arthur Nuzmán!! Este foi o Pan em que Hugo Hoyama bateu o recorde de Gustavo Borges (Hoyama é hoje o atleta com maior número de medalhas de ouro em pans – são 9); foi o Pan em que Janeth se aposentou no basquetebol; foi o primeiro Pan de Flávio Saretta no tênis (tendo ele vencido o torneio ante uma quadra SEM público); foi o Pan em que Daiane dos Santos e Flávio Canto decepcionaram, em razão de suas lesões, entre outros acontecimentos. Entretanto, destes Jogos Pan Americanos, o que ficará gravado na minha mente, será a imagem do NASCIMENTO DE UM NOVO ÍDOLO BRASILEIRO… THIAGO PEREIRA. O homem das braçadas de aço do Brasil!!!! Este guri é um FENÔMENO!!! É o futuro da natação brasileira (ao lado de César Cielo)!! Ele disputou 8 modalidades, tendo levado o ouro em 6, prata em 1 e bronze na outra. Ele não só quebrou recordes e alcançou índices para a Olimpíada de Pequim (ou Beijing, se preferirem), como também tornou-se um NOVO ídolo brasileiro. Tchê, ele superou o “mago das piscinas” de nome Mark Spitz. Thiago Pereira é O NOME DO PAN. Estou ansioso para assistir a um confronto dele contra o norte-americano Michael Phelps. Caso vença o brazuca, aí terei certeza absoluta de minhas palavras aqui proferidas…
thiagosw.jpg [Thiago Pereira comemorando o ouro no nado de peito]

TÍTULO 2:

Neste domingo pretérito, tive a oportunidade de assistir ao filme “Número 23”, do festejado diretor Joel Schumacher (o mesmo de “Em Má Companhia”, “Por um Fio”, “Tigerland – O Caminho da Guerra”, “8 Milímetros”, “Um Dia de Fúria”, etc etc etc.). Um baita de um filme. Sem pestanejar: ENTROU PARA A MINHA LISTA DE FILMES FAVORITO!!! Logo abaixo seguem as informações.
GÊNERO> suspense
ROTEIRO> Homem (Jim Carrey) fica obcecado por um livro que parece retratar toda a sua vida. No final, porém, há um assassinato que ainda está para acontecer e ser esclarecido.
PRODUÇÃO> New Line Cinema
ANO> 2007
LANÇAMENTO NO CINEMA> 23.03.2007
ELENCO> Jim Carrey, Virginia Madsen, Logan Lerman, Danny Huston, Lynn Collins, Rhona Mitra, Michelle Arthur, Mark Pellegrino, Paul Butcher, David Stifel, Corey Stoll, Ed Lauter, Troy Kotsur, Walter Soo Hoo, Patricia Belcher
CRÍTICA> Grande filme. Houve poucos alardes envolvendo esta película. Muitos criticaram ao afirmar que Jim Carrey só sabe fazer comédia. MENTIRA. Carrey já fez “O Show de Truman” (vencedor do GLobo de Ouro), “Cine Majestic” e “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”, todos filmes de boa expressão. Em “Número 23”, Jim Carrey tem uma atuação destacada, mesmo ao lado de atores de pouco prestígio em Hollywood. A trilha sonora ajuda a criar um clima de suspense e expectativa todo especial. É do tipo de filme que não se pode piscar um segundo, já que se trata de um quebra-cabeças e é preciso raciocinar cena por cena, caso contrário, a pessoa não entende aonde o diretor quer chegar. Foi um filme do meu agrado, no melhor estilo “12 Macacos”.
NOTA DO FILME: 9,0/10

23.jpg

Tchüss!!

[DOC]

30 de Julho de 2007 – 15h10

A INVASÃO ROBÓTICA E OS PONTOS QUE PODEM FAZER FALTA NA RETA FINAL

julho 30, 2007

TÍTULO 1:

alma.jpg [Bem que a Alma Castelhana apoiou, mas não era dia de vitória do Grêmio]
Neste sábado, Grêmio e Atlético-PR se enfrentaram no Estádio Olímpico Monumental às 18h10. Trinta mil gremistas assistiram um Tricolor pouco empolgado. O time do Atlético-PR é o pior que já apareceu nas redondezas da Azenha nos últimos anos. Porém, ninguém contava que um goleiro desconhecido, de nome Guilherme, roubaria a cena neste jogo que tinha tudo para trazer mais 3 pontos ao Imoral Tricolor, pontos que trariam a vice-liderança, ficando apenas 1 ponto atrás do derrotado Botafogo (perdeu para o Cruzeiro em Minas por 3 a 2). De que vale ter mantido uma invencibilidade de 9 jogos se perdemos 2 pontos preciosos em casa??? Empatar em casa é como se fosse uma derrota para um clube como o Grêmio, que não busca apenas uma mera vaga na Libertadores da América, mas o TÍTULO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2007. A sorte, mesclada à incompetência, tem acompanhado o Grêmio neste Brasileirão. O Grêmio tinha 11 jogadores contra 10 do Atlético-PR quando levou o gol de empate. Não há explicações. Apenas lamentações. Tudo bem, o Tricolor está em terceiro lugar tendo apenas 3 pontos a menos que os líderes Botafogo e São Paulo, entretanto, tendo em vista os pontos que o Grêmio vem perdendo ultimamente, é de se pensar: estes pontos não farão falta na reta final do Campeonato Brasileiro? Eu mesmo respondo: se o Grêmio está disputando o título, COM CERTEZA fará falta; se o Grêmio busca uma vaga na Libertadores, face à mediocridade dos clubes que vêm disputando o torneio, COM CERTEZA NÃO. Ah… o Tricolor jogou com Saja; Patrício, William, Schiavi e Thiego; Gavilán (Edmílson), Itaqui (Kelly), Diego Souza e Tcheco; Carlos Eduardo e Tuta (Douglas), enquanto o Atlético-PR com  Guilherme; Nei, Danilo, Rodolfo e Edno; Alan Bahia (Pedro Oldoni), Valencia, Evandro (Claiton) e Ferreira; Dinei e Alex Mineiro (Marcelo). Tcheco marcou para o Grêmio e Guilherme empatou para o Furacão. O próximo jogo do Grêmio é contra o Figueirense em Santa Catarina.

TÍTULO 2:

Nesta última sexta-feira retornei ao cinema. Tive a oportunidade de voltar a assistir um grande filme. Falo de TRANSFORMERS, de Michael Bay, com duração de 144 minutos. Logo abaixo seguem maiores detalhes do filme e a minha crítica.
12.jpg [Os protagonistas da película… que tal?]
ROTEIRO> Adaptação da popular série de TV infanto-juvenil que mostra a batalha entre os Transformers, robôs que se transformam em outros mecanismos e habitam o planeta Cybertron. Há os transformers do bem, liderados por Optimus Prime; e os do mal, seguidores de Megatron. Quando os estoques de combustível estão acabando, eles procuram uma nova fonte de recursos e acabam na Terra. E é aqui que os Transformers irão travar uma guerra ainda mais destruidora, com os robôs se trasformando em carros, aviões, navios e armas.
GÊNERO> ficção, aventura e ação.
PRODUÇÃO> Dreamworks / Paramount Pictures
ANO> 2007
LANÇAMENTO NO CINEMA> 20.07.2007
ELENCO> Shia LaBeouf, Megan Fox, Josh Duhamel, Tyrese Gibson, Rachael Taylor, Anthony Anderson, Jon Voight, John Turturro, Michael O’Neill (1), Kevin Dunn, Julie White (1), Amaury Nolasco, Zack Ward, Pat Mulderrig, Michael Trisler
CRÍTICA> Não é porque se trata de um dos meus desenhos favoritos da época de infância, mas Transformeres é um filme totalmente incomum para os dias de hoje, face à crise que vem passando o cinema. Ótimo roteiro. Efeitos especiais de impressionar. Até parece que os robôs são reais. Um elenco desconhecido, todavia, que em nada ficou devendo para outros rols de celebridades. Quanto à trilha sonora, destaque para o sonzáço WHAT I’VE DONE, de autoria de uma das minhas bandas prediletas (LINKIN PARK). Hoje em dia, dificilmente um filme consegue sucesso, se tem como meta trazer ao cinema uma realidade já vivida em desenhos ou quadrinhos. Hulk, Fantasma, Homem-aranha 3 e A Liga Extraordinária, são alguns exemplos de fracassos. De qualquer modo, vale a pena conferir Transformers. Não é à toa que este filme está em segundo lugar entre os filmes mais vistos no Brasil (atrás apenas de Harry Potter) e em quarto nos Estados Unidos. Esse filme ainda reserva um sentimento todo especial no fim, e faz o homem parar pra pensar em seus erros.
NOTA DO FILME: 9,0/10
transformers.jpg [Optimus Prime VS Megatron]

Tchüss!!

[DOC]

29 de Julho de 2007 – 21h27

VERBO TUTAR EM ALTA NOVAMENTE

julho 26, 2007

TÍTULO 1:

Vinte meses depois, o Grêmio retornou ao palco da famosa “Batalha dos Aflitos”. Me recordo ainda com um misto de angústia e alegria aquele 26 de Novembro de 2005. Dia em que AnderSHOW, o golden boy gremista, driblou 4 adversários, estando o Grêmio com apenas 7 jogadores em campo, e fuzilou o gol do Náutico com um lindo gol que deu o título de campeão da série B do Campeonato Brasileiro. O Náutico tinha jogadores experientes como Kuki, Cleyson (ex-jogador do próprio Grêmio) e Bruno Carvalho (ex-Vasco da Gama) naquela época. Não se pode olvidar do grande Galatto. Goleiro criado nas categorias de base do Grêmio, teve em 2005 a sua consagração, após defender um pênalti incrível, batido pelo lateral-esquerdo Ademar, e tirar um outro pênalti (batido por Bruno Carvalho) com os olhos. Aquele Grêmio de baixa qualidade técnica, mas de muita doação e raça era formado por: Galatto; Patricio, Domingos, Pereira e Escalona; Jeovânio (estava suspenso na Batalha dos Aflitos, por isso jogou Nunes), Sandro Goiano(C), Marcel e Marcelo Costa; Ricardinho e Lipatin. AnderSHOW e Lucas Leiva entraram na segunda etapa. O pior de tudo, é que só falei do time de 2005, e acabei esquecendo do jogo de ontem. A propósito, Tuta voltou a marcar. Ótima notícia para nós, gremistas. Mais uma vez o Imortal Tricolor jogou muito mal, entretanto, mais uma vez os 3 pontos vieram. Prefiro jogar feio e ganhar, do que perder jogando bonito. Saja fez, novamente, boas defesas. O garoto Léo fechou a zaga no segundo tempo, quando entrou em lugar de Itaqui. Thiego não vem comprometendo, e se firma cada vez mais na ala-esquerda gremista. Cadu voltou a ser aquele meia atrevido e veloz pelo lado direito. O Grêmio atual de Mano Menezes não faz o estilo “futebol-arte”, mas sim, o estilo “futebol efetivo”. Foram 2 a 0 sobre o Náutico, com gols de Tuta e Carlos Eduardo, resultado que deixou a torcida pernambucana frustrada, uma vez que desejava vencer a “Batalha dos Aflitos – Versão 3” (OBS: a versão 2 os pernambucanos dizem que foi a Volta do Náutico à Primeira Divisão). De qualquer forma, é bom mesmo que Tuta siga “tutando”, porque Marcel, o centroavante de grande carreira no Coritiba e ex-jogador do São Paulo, está para chegar nas redondezas do Monumental…

tuta.jpg [A camisa do matador…]

TÍTULO 2:

Não tenho freqüentado assiduamente os cinemas nos últimos dias, todavia, cabe uma crítica aqui neste espaço, sobre uma das últimas películas que assisti. Falo de “Treze Homens e um Novo Segredo”, filme de Steven Soderbergh, com um elenco recheado de celebridades (George Clooney, Brad Pitt, Matt Damon, Al Pacino, Andy Garcia, etc.). A priorísticamente, tinha tudo para ser um ótimo filme, mas não foi o que se viu. Falando um pouco do roteiro, podemos resumí-los nas seguintes palavras: “O filme encerra a saga do grupo liderado pelo bandido Danny Ocean. No enredo, depois de acertar as contas com Terry Benedict (Andy Garcia), o grupo de Danny Ocean (George Clooney) volta a seguir suas vidas individualmente. Reuben Tishkoff, o mais experiente do grupo, decide largar a vida de crimes para se tornar um empresário do mundo dos cassinos, em Las Vegas. Para isso ele se associa com Willy Bank (Al Pacino), que lhe passa a perna na primeira oportunidade. O golpe é duro demais para ele, que sofre um infarto e é internado. Danny Ocean, então, decide juntar o grupo novamente para fazer Bank pagar pelo que fez com seu amigo” (FONTE: Hagah). Eu diria, GRAÇAS A DEUS que a saga de Danny Ocean acabou!! O enredo em QUASE nada mudou em relação aos anteriores. O Primeiro filme foi muito bom. O segundo razoável. Este terceiro foi simplesmente RIDÍCULO. Os personagens principais passam por cima de sistemas de alta segurança com uma facilidade digna de se tirar um doce de uma criança recém nascida. Acham que o público é ignorante pra perceber determinadas coisas. A propósito, a polícia, o FBI, a CIA, a Scotland Yard ou qualquer outro grupo afim, sequer é mencionado no caso. Las Vegas se torna uma verdadeira “terra de ninguém”. Não há autoridade alguma. Por favor, Senhor Soderbergh!! Esse filmezinho deveria ter ido direto para as locadoras. Totalmente fora da realidade. Uma película com tamanho surrealismo, deveria estar selecionada na seção de filmes de sci-fi. Muito dinheiro investido, para uma produção tão pífia. Ruim para o currículo daqueles que aceitaram fazer parte deste elenco.

ocean.jpg [Clooney e Pitt em cena final do filme]
NOTA DO FILME: 3,5/10

Tchüss!!

[DOC]

26 de Julho de 2007 – 10h38

EDUARDO COSTA E O OGRO

julho 15, 2007

TULO 1:

Na tarde deste sábado, às 16h, em jogo realizado nas dependências do Estádio Olímpico Monumental, a melhor notícia não veio de DENTRO do campo, mas de FORA. A contratação de Eduardo Costa, anunciada por Paulo Pelaipe, vice-presidente de futebol da instituição Grêmio Foot-ball Porto-alegrense, sobrepujou a importância da partida disputada entre Grêmio e Palmeiras, válida pelo Campeonato Brasileiro, em razão do resultado inesperado de empate. O Grêmio não teve uma atuação muito qualificada neste evento que marcou a despedida do lateral-esquerdo (iludido com a idéia de tornar-se meia esquerda) Lúcio. Ramón, mesmo tendo feito o gol do Tricolor, novamente não teve uma atuação digna de Grêmio, assim como seu comoanheiro de ataque (Éverton). O time comandado por Caio Jr é demasiadamente fraco, tendo nas figuras de Diego Cavalieri, Valdívia, Edmundo e Caio (renegado do Inter) os seus únicos destaques. NOTA: Edmundo não jogou e Valdívia só entrou na segunda etapa. Sem dúvida foram 2 pontos importantíssimos perdidos em casa. Menos mal que Eduardo Costa foi contratado. Trata-se de um grande reforço que vem para ser titular, e também suprir a ausência de Lucas Leiva (negociado com o Liverpool-ING). Resta a Paulo Pelaipe contratar substitutos para Bruno Teles (lesionado, só volta em 2008), Teco (lesionado, só volta em 2008) e Lúcio (negociado com o Hertha Berlim-ALE), além de 2 bons jogadores para o ataque (para fazerem, pelo menos, sombra a Amoroso e Tuta – razão pela qual acho interessante a dispensa de Éverton e Ramón) .

edu-costa.jpg    costa19.jpg 

[Eduardo Costa em dois momentos: na primeira foto, em tempos de Espanyol(ESP); na segunda, logo que se transferiu do Grêmio para o Bordeaux(FRA)]

TÍTULO 2:

Resisti até enquanto pude, mas acabei assistindo (acompanhando das duas mulheres da minha vida) ao filme Shrek Terceiro (Shrek The Third), no cinema Unibanco Arteplex 8, este final de semana. Dirigido por Cris Miller, tendo como protagonistas Mike Myers, Cameron Diaz, Eddie Murphy Antonio Banderas e Justin Timbarlake (nas vozes dos personagens principais), Shrek Terceiro me impressionou positivamente. Um filme bom para toda a família assistir. Não se trata de uma película infantil. É um filme muito inteligente e ao mesmo tempo extremamente engraçado, lidando, por vezes, com questões que julgamos delicadas em relação ao futuro de nossas próprias relações (casamento, filhos, poder, dinheiro, etc). O escritor do filme, Andrew Adamson, dá uma ótima lição de vida neste simplório, mas muito interessante filme.

AVALIAÇÃO DO FILME: 8,5/10

shrek_the_third.jpg

Tchüss!!

[DOC]

15 de Julho de 2007 – 16h56


%d blogueiros gostam disto: