Archive for março \31\UTC 2010

Toco y Me Voy Estreia Nova Categoria: Momento Armando Nogueira

março 31, 2010
O Mestre deixará saudades... FONTE: Globo.com

O Mestre deixará saudades... FONTE: Globo.com

A partir de hoje, o Toco y Me Voy terá uma categoria nova, totalmente dedicada a um dos maiores ícones da história da crônica esportiva brasileira: o recém falecido Armando Nogueira. Aqueles que me conhecem, sabem que nunca fui um profundo admirador dele. Não é porque ele faleceu, que deixarei de expor as verdades sobre minha opinião. Certa feita, em meio à disputa das finais da Copa Libertadores da América de 1995, assisti ao canal SporTV e tive a oportunidade (gize-se, única) de conferir o programa que era protagonizado pela atual apresentadora do SporTV Vanessa Ritchie, e por Armando Nogueira. Naquele dito programa, Mestre Armando cometeu uma grande gase (ora, que jogue a primeira pedra aquele que nunca cometeu!): sentenciou que o Grêmio de Luís Felipe Scolari era um time anti-romântico. Aquilo não soou bem aos meus ouvidos. Não engoli. Quase surtei diante da televisão. Na hora, pensei: “O que esse carioquinha metido quer falar do maior clube do RS??? Só porque estamos vencendo tudo e a todos”.  Pois é, meus amigos, arrependo-me de ter pensado aquelas coisas sobre Mestre Armando, mas ele deveria arrepender-se também, do que disse (se é que não se arrependeu). Aquele “Grêmio anti-romântico” foi bicampeão da América e só não venceu o Mundial, por obra da “loteria dos pênaltis”. Além disso, aquele time foi bicampeão gaúcho, campeão brasileiro e depois da Copa do Brasil. Era um baita de um time, o qual foi enaltecido não pelas poesias de Mestre Armando, mas pelos versos de Paulo Sant’Anna, um dos maiores expoentes da crônica esportiva gaúcha.

Grêmio Bicampeão da América: o "anti-romântico"? FONTE: ZeroHora.com

Grêmio Bicampeão da América: o "anti-romântico"? FONTE: ZeroHora.com

Não obstante, após a morte lamentável de Armando Nogueira, tive a chance de estudar mais sobre a sua vasta história no mundo futebolístico. Ele pode ser chamado de Mestre. Ele deve ser chamado de Mestre. O romantismo com que ele escrevia, sem sombra de dúvidas, jamais será igualado. Suas frases bombásticas, em muito me lembra o grande amigo e colunista deste Blog Roberto Ortiz Júnior, o “Junique”. Extremamente inteligente, perspicaz, trabalhador, perfeccionistas, mas por vezes “bairrista”, Armando Nogueira sempre foi um exemplo para todos que tiveram a dádiva de conhecê-lo.

Nascido em Xapuri, no Acre, Nogueira morreu em casa, na Lagoa, Rio de Janeiro, vítima de um câncer no cérebro, diagnosticado em 2007. Nascido em Xapuri, no Acre, o jornalista se mudou para o Rio de Janeiro aos 17 anos e estudou Direito. Seu primeiro emprego como jornalista foi em 1950, na editoria de esportes do “Diário Carioca”, onde trabalhou por 13 anos. Foi repórter, redator e colunista. Ele participou da cobertura de 15 Copas do Mundo e foi um dos principais nomes do jornalismo brasileiro.

Por toda a obra de Mestre Armando, e por tudo que ele representa até hoje para o Brasil, resolvi criar esta nova categoria. Cumpre salientar, que esta categoria somente poderá ser usada, quando houver poesia, versos, poemas, sobre o futebol. Será “o lado romântico” do Toco y Me Voy, seja de criação própria do autor, seja parafraseando. Fica registrada esta humilde homenagem a Mestre Armando Nogueira. E que Deus o tenha…

____________________________

“A morte o surpreendeu enquanto ele (Dener) dormia. Se ele estivesse acordado, até ela seria driblada”. (NOGUEIRA, Armando)

____________________________

Tchüss!!!

Anúncios

Marca Histórica: Toco y Me Voy Chega ao Jogo de Número 100

março 31, 2010

Jogo bastante disputado. Venceu o time que soube defender-se melhor e não deixou rombos às costas de sua defensiva. Houve muitas mudanças em relação à peleia passada. Quatro atletas foram substituídos (Ricardinho Laudrup, Amigo do Fontana, Pedro Henrique e Benninho Carioca).Cleitão, quando não joga no mesmo time que este Relator, sempre joga muito. Pessoalmente, ainda não me adaptei à nova pelota. Este Relator e Fontana vêm passando por uma franca fase de azar no futebol. A bola não entra. Além disso, acontecem “coisas sobrenaturais” no time. Inexplicáveis. Mas quanto ao jogo, há muito o que ser comemorado. O Toco y Me Voy é CENTENÁRIO. É preciso que seja feito um churrasco para se comemorar esta data. Este evento deverá ser celebrado após o dia 18 de Abril de 2010. Ah… a “famosa” Nike Mercurial Red deste Relator está sendo aposentada…gremista fanático com vermelho não tem como dar certo mesmo…

_______________________________

– SÚMULA DO JOGO # 100

** TIME LARANJA:

01- Cuervo
02-Ratobol
03-Bartt
04-Diogo Carioca
05-Cleitão(C)
———————–
12
x
10
———————–

** TIME AZUL:

01-Fontana
02-Junique
03-Zerbes(C)
04-Luís Mirandinha
05-Mossoró
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 30 de março de 2010.
———————————————————-

Tchüss!!

Súmula do jogo 04/2010 e 99 do geral – A MAIOR GOLEADA REGISTRADA NO TOCO Y ME VOY

março 25, 2010

Mais uma vez vem o interino publicar a súmula, tendo em vista que o retorno do titular foi apenas relâmpago. Mas dessa vez, o sumiço tem uma razão: Zerbes, o nosso grande idealizador dos jogos, o maior incentivador das peleias, justamente ele, veio a sofrer a maior goleada já registrada no Toco y me Voy. Foram 14, eu disse catorze; sim, treze gols de diferença!

Mais acostumados com a nova pelota, esta não foi o destaque da partida, como ocorrera na semana anterior. Desta feita, o grande destaque ficou por conta da fúria, do empenho incessante do time descamisado que, mesmo com o jogo na mão, jamais desistiu do ímpeto de atacar. Em nenhum, NENHUM momento, o time sem camisa fez cera ou travou o jogo. Foi impiedoso do início ao fim, sem firulas. E esta é a melhor maneira de respeitar o adversário.

Desta vez, a qualidade técnica e categoria superiores, atributos requisitados por Zerbes ao seu time da semana passada, tomou doril. Bem se vê que, se existe uma superioridade em técnica e categoria, algo com o que discordo, esta não está do lado do time do nosso relator titular.

Sintetizando o jogo, trata-se de uma partida em que tudo deu certo para um time e tudo de errado aconteceu para o outro. Os de camisa foram os azarados: liderados por Zerbes e Ricardo, impuseram resistência, operando contra-ataques rápidos e perigosos, contando com a calma e precisão de Fontana nos passes e chutes. Mas o time sem camisa resistiu aos ataques e, com belos trabalhos de passes e aproximações, revezando posições como requer o futsal moderno, praticamente não errou gols. As oportunidades foram em sua maioria aproveitadas pelos jogadores. O trabalho de pivô, com aproximação dos alas foi exemplar, enquanto que, quando perdia a bola, todos eram solidários na marcação.

O time derrotado tentava, chutava, mas ou a bola não encontrava o gol ou então parava nas defesas dos goleiros. A noite não era dos “com camisa”. No final do jogo, Zerbes conseguia vantagem pessoal sobre a marcação, puxou a bola para o meio e, quando estava frente a frente com o goleiro (Bartt), com “sangue nas ventas” para fazer um gol (o que há muito não ocorria), eis que surge uma bola da quadra ao lado e, desgovernada atinge a bola do nosso jogo, fazendo com que Zerbes chutasse o ar. Tiraram o doce da criança…

Assim, com uma bela apresentação coletiva e resumindo o espírito guerreiro, o time de camisa, enfraquecido pelo azar e falta de entrosamento do novo integrante (amigo do Fontana), o qual atuou mal efetivamente, pouco a pouco foi desanimando (desânimo liderado por Cleitão), o que, aliado pelo ímpeto famigerado do time sem camisa pelo gol, decretou tão elástico placar.

Aproveitando as palavras do titular dos relatórios sumulares dos nossos jogos, copio e ratifico a frase de autoria de Vicente Feola: “não existe zebra que engane por mais de dois jogos”. Já são 4 jogos no ano, e esta foi a terceira vitória do time. Foram 25 gols de diferença pró ‘zebra’ em 3 jogos que ganhou. Assim, o Subjugado “Paulista de Jundiaí” aplicou a maior goleada na “Academia de Futebol”. Que coisa, não?

_______________________________
– SÚMULA DO JOGO # 99 – ou 04/2010

** TIME SEM CAMISA:
01- Benninho Carioca
02-Ratobol
03-Junique
04-Bartt(C)
05-Pedro Henrique
———————–
24
x
11
———————–

** TIME COM CAMISA:

01-Ricardinho Laudrup
02-Fontana(C)
03-Amigo Fontana
04-Zerbes
05-Cleitão
———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 23 de março de 2010.
———————————————————-

O desafio de Maradona

março 23, 2010

Messi atravessa o melhor momento de sua carreira. Faltando pouco tempo para a Copa do Mundo, o argentino desponta, ao lado de Drogba e Rooney, como um dos destaques da competição.

Em 2006, Ronaldinho Gaúcho também estava no auge. Chegou à Copa como o grande jogador da Europa e tinha acabado de ser campeão do continente pelo Barcelona. Como todos sabem, em 2006 a farra e o pouco profissionalismo dos jogadores brasileiros, aliados à falta de seriedade da CBF, contribuiu para o fiasco da seleção de Parreira. Porém, o treinador não soube tirar o máximo do grupo, e muito menos de Ronaldinho. Agora, Maradona vive uma situação parecida.

Como fazer com que Messi repita na seleção as boas atuações que realiza no Barcelona? Esse é o grande desafio para Dieguito. Se ele conseguir isso, a Argentina será uma das favortias ao título. Caso contrário, acaba sendo só mais uma equipe na disputa. Forte como sempre, mas sem um poder de decisão.

sobre a rodada [63]

março 18, 2010
Champions League

Barcelona 4 x 0 Stuttgart – Show de Messi. O Barcelona apresenta ótimo futebol de vai com tudo para a próxima fase.

Bordeaux 2 x 1 Olympiakos
– O time francês administrou bem a vantagem obtida no jogo de dia. Porém, deve ficar pelo caminho.

Armeration: A Nova Dança do Momento Pega até o Apresentador do Globo Esporte Desprevenido

março 17, 2010

Tchüss!!!

Tudo de Volta à Normalidade no Futsal do Toco y Me Voy

março 17, 2010

Consoante o meu Nobre Interino havia enaltecido no post anterior, “nada como um dia após o outro”. A minha volta estava programada para o mês de abril, todavia, vejo-me na obrigatoriedade de narrar esta partida. No terceiro jogo do ano de 2010, o que se viu foi um grande jogo. Extremamente disputada, a peleia teve a estreia da nova pelota: uma bola da marca alemã Adidas, com as cores vermelha e amarela. O problema todo, o qual motivou críticas de Junique ao final da partida, foi que a pelota se mostrou demasiadamente leve. Com a bola muito leve, o jogo tornou-se duas vezes mais célere que o normal – o que causou alto grau de fadiga pulmonar aos atletas. O Time Laranja iniciou o jogo dando as cartas. O Time Azul tentava reagir com as investidas rápidas de Bartt e Pedro Henrique, contudo, a defesa dos laranjas era soberana. Na metade do jogo, Cleitão (atacante dos laranjas) demonstrou certa irregularidade, facilitando as coisas para os azuis – que chegaram a liderar o marcador por breves 7 minutos com gols de Fontana e Junique. Meu Estimado Interino até tentou “apitar o jogo”, protestando em lances (gize-se) bisonhos (hahahahahahahahaha…), entretanto, a qualidade técnica e a categoria superior dos laranjas falou mais alto. O dia era mesmo do Time Laranja. Por intermédio de jogadas de 1-2 (no melhor estilo “toco y me voy”) os laranjas conquistaram uma boa vantagem, a qual foi administrada até o término da peleia com bravura. Ricardo ainda arranjou tempo para “janeliar” um atleta do Time Azul. Já enfatizava o velho Vicente Feola, ex-treinador da Seleção Brasileira: “não há zebra que engane por mais de dois jogos”. Desta feita, o “Paulista de Jundiaí aprendeu como se joga futebol com a Academia de Futebol do Palestra Itália”…

_______________________________

— SÚMULA DO JOGO # 98 —

** TIME AZUL:

01-Fontana
02-Ratobol
03-Junique(C)
04-Bartt
05-Pedro Henrique
———————–

08

x

09

———————–

** TIME LARANJA:

01-Ricardinho Laudrup
02-Benninho Carioca(C)
03-Diogo Carioca
04-Zerbes
05-Cleitão

———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Térreo/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 16 de março de 2010.
———————————————————-

Tchüss, fusballteigers!!!

sobre a rodada [62]

março 17, 2010

Champions League

Sevilla 1 x 2 CSKA Moscou – Grande resultado do time russo. Tem fôlego para ir mais longe? Creio que não.

Chelsea 0 x 1 Internazionale – No confronto mais esperado das oitavas-de-final, Mourinho levou a melhor. Ao lado de Manchester e Barcelona, a Inter desponta como umas das equipes favoritas ao título.

É no gramado que importa

março 14, 2010

Maradona, Romário, Renato Portaluppi e Neto, são só alguns exemplos de jogadores que, no tempo em que atuavam, sempre tiveram problemas fora de campo. Romário e Renato, nunca negaram seus gostos pela boemia. Maradona já gostava de outras coisas, e Neto, sempre foi um cara polêmico e que aprontava das suas. A razão que os uni é simples, dentro de campo eles sempre deram conta do recado.

Adriano está sob a mira dos holofotes desde o “barraco” da última semana. A imprensa faz a cobertura de forma correta, já que a ausência do jogador por motivos pessoais é um fator de noticiabilidade. Entretanto, os moralistas que escrevem e opinam, não devem somente julgar o Imperador fora de campo, e sim dentro das quatro linhas.

Sem ele no ataque, o Flamengo jamais seria campeão brasileiro. É inegável a boa fase do jogador e a falta que ele faz ao time de Andrade. Evidente que se o caso de Adriano é um pouco mais complicado e deve ser tratado de forma séria, ele deveria se ausentar dos gramados até ficar curado. Agora, se ele gosta de tomar uma cerveja, gosta da noite, e dentro de campo se garante, deixem o rapaz viver! Ou alguém no lugar dele iria gostar apenas da pelada que envolve gols, hein?

Se dentro do campo ele comprometer, aí sim as críticas devem ser mais contundentes. Mas, se ele continuar com sua fama de baladeiro e continuar metendo um gol atrás do outro, que os moralistas parem com esse papo.

Pergunte para um flamenguista quem eles preferem: O Adriano festeiro e matador, ou qualquer outro jogador “certinho” e pouco eficiente?

Vai ser goleada, nem vale o esforço.

sobre a rodada [61]

março 11, 2010

Champions League

Manchester United 4 x 0 Milan – Chocolate inglês. Rooney mais uma vez foi fundamental. E Ronaldinho, jogando sozinho, nada pode fazer.

Real Madrid 1x 1 Lyon – Grande zebra da rodada. O Real é eliminado no ano em que a final da competição ocorrerá na Espanha. E agora, Zé?

Súmulas dos jogos 01 e 02 de 2010

março 10, 2010

Na qualidade de interino, eu disponibilizo aos companheiros de futebol as súmulas dos nossos dois primeiros jogos, cuja temporada 2010 teve início no dia dois de março. Vou disponibilizar as duas em uma única postagem. A ausência do relator oficial está sendo sentida, e a razão alegada é a de que Zerbes tem se dedicado muito ao estudo para concursos, o que é louvável, mas parece uma justificativa inconsistente e talvez as súmulas abaixo desvelem os reais motivos, hehe…

Que 2010 repita o ano que se passou para este grupo. O futebol reforça as amizades, é fonte de saúde, energia e gera muita expectativa para que a sagrada noite de terça-feira chegue logo! E muito me honra fazer parte deste grupo de amigos e jogadores de final de semana. Todos são muito competitivos, mas sempre leais. A única ressalva é a de que o TMV poderia e deveria promover mais churrascos após os jogos. Nesse quesito, falhamos bastante ano passado. Bueno, vamos às súmulas, pedindo que Zerbes retome esse trabalho tão importante para o arquivo do TMV. Volta, Zerbes, uma hora tu vai ganhar um jogo!

Obs.: não sei o placar exato, por isso coloquei o saldo como resultado. Se alguém souber, favor retificar.

Súmula do jogo 01/2010:

** TIME AZUL:

01-Fontana
02-Ratobol(C)
03-Junique
04-Bartt
05-Pedro Henrique
———————–

07

x

00

———————–

** TIME BRANCO:

01-Zerbes(C)
02-Benninho Carioca
03-Cuervo
04-Diogo Carioca
05-Cleitão

———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Quarto Andar/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 02 de março de 2010.
———————————————————-

OBS.: O início da temporada 2010 foi desigual. O time azul sobrou em quadra, apesar do equilíbrio nominal. Nenhum destaque individual, apenas mantidas as características de cada jogador: Pedro Henrique com excelente aproveitamento, Junique com a garra e segurança defensiva habituais, Rato e Fontana marcando e distribuindo muito bem as jogadas e este relator, na ausência de outros atributos, procurando correr o máximo possível, aproximando para tabelas. Mas o grande diferencial foi o posicionamento coletivo. Parafraseando Pedro Henrique, o time azul “jogou com inteligência”. Do lado do time branco, também bastante regularidade, Zerbes com bastante garra e precisão, Fabrício marcando bem, Diogo e Benno com boa distribuição e visão de jogo e Cleitão sempre com o perigoso chute. Os brancos, em determinado momento, se perderam no jogo e foram impiedosamente atropelados pelo time azul, que manteve o ímpeto de marcação e dedicação durante o jogo todo. Foi o “anil mecânico” do início dos trabalhos do TMV em 2010, a ponto de Zerbes ter largado mão da súmula, que constitui o arquivo histórico dos nossos jogos. Zerbes, o rifão já diz que “nada como um dia após o outro”. Quem sabe o jogo 02/2010 não reservaria sorte melhor ao relator das súmulas? Passemos então à súmula do jogo 02.

Súmula do jogo 02/2010:

** TIME AZUL:

01-Diogo Carioca
02-Ratobol(C)
03-Junique
04-Bartt
05-Cleitão
———————–

04

x

00

———————–

** TIME BRANCO:

01-Zerbes(C)
02-Benninho Carioca
03-Cauê
04-Fontana
05-Pedro Henrique

———————————————————-
LOCAL: Centro Poliesportivo da PUCRS (Quarto Andar/quadra 1)
HORA: 20h
DATA: 09 de março de 2010.
———————————————————-

OBS.: O segundo jogo, na minha opinião, foi um dos melhores da história do TMV, pelo menos no time em que eu atuei. Mais uma vez, sem destaques individuais, os jogadores mantiveram as características peculiares, mas coletivamente o time azul foi vibrante: muita garra, força, empenho, marcação organizada, combinada com saídas rápidas para o ataque, que contou com a precisão de Cleitão. Outro grande diferencial, que chamou a atenção e fez parecer a mim um dos melhores jogos do TMV foi que, diante das falhas individuais, em vez de o time se desmotivar e/ou jogar a responsabilidade no que falhou, pelo contrário: os demais chamavam a atenção, mas faziam questão de correr por quem cansou ou falhou e também de insistiram nas jogadas com quem falhou, como forma de incentivar e trazer de volta a confiança necessária no jogador e reequilibrar o time. Assim, jamais os azuis perderam o ritmo e lideraram durante todo o jogo o placar, que foi dilatado ao término em razão do gás final dado pelos jogadores azuis. Do lado dos brancos, bastante dedicação e muito perigo causado nas jogadas agudas de ataque, impulsionadas por Cauê, Fontana e Benno e finalizadas por Zerbes ou Pedro Henrique, normalmente. Mas a precisão na hora da definição, características dos dois últimos citados encontrou barreira na forte marcação de Junique e Ratobol, principalmente. E este fator acabou decidindo o jogo. Zerbes, indignado, solicitou a menção de seus inúmeros gols e de uma bela jogada aplicada sobre este relator, uma janelinha curta, desconsertante e digna de registro. Como digno de registro é o fato de que em dois jogos em que Zerbes atacou e Bartt o marcou, este foi o único lance de vantagem pessoal do atacante, que ainda tem a seu desfavor um placar tão desconsertante quanto a janelinha: em dois jogos, 6 pontos para o marcador, saldo de gols 11 bons, contra 0 pontos do atacante e 11 gols ruins de saldo. Zerbes, registrei os fatos reclamados por ti. Tá bom ou quer mais? Hehe… Até o jogo 03!!

sobre a rodada [60]

março 10, 2010

Champions League

Arsenal 5 x 0 Porto – Passaram por cima do time português.

Fiorentina 3 x 2 Bayern de Munique – Grande jogo. Mesmo no sufoco, os alemães passaram de fase.

COTAS DE TV PROPORCIONAIS AO NÚMERO DE SÓCIOS

março 4, 2010

Desde que caminho eu jogo (deficientemente) futebol. Mas, acredito que de 15 anos pra cá, me dediquei também a pensar sobre futebol. Táticas, times, mas também conceitos. A base do meu pensamento é que o futebol enquanto esporte, deveria ter o foco principal no entretenimento, na saúde, movimentado pelas paixões de torcedores e regido pelo espírito esportivo de jogadores, treinadores e cartolas.

Um conceito clássico e talvez superado há cinquenta anos ou mais. Hoje, quem manda no futebol, como em tudo na vida, é o dinheiro. Arde o peito admitir que jogos são manipulados, jogadores são escalados, vendidos, comprados, tudo em função do lucro. Escrevi um sem-número de postagens, indignado com esta pútrida realidade. Mas não adiantou espernear. Agora, começo 2010 tentando arrumar alternativas para diminuir a situação dos nossos clubes, verdadeiras “marionetes de empresários”, obrigados a vender promessas a preço de banana para cobrir furos no caixa.

Ora, as três principais receitas de um clube são: cotas de TV, patrocínios e recursos próprios. Neste último, podemos fazer uma subdivisão, nesta ordem de grandeza: vendas de jogadores, quadros sociais, licenciamentos e bilheterias.

É crescente no Brasil, especialmente aqui no sul, o número de sócios dos clubes, o que vem aumentando as receitas e a primeira consequencia sentida é a diminuição de vendas de jogadores. Exemplo de sucesso nessa área é o Sport Club Internacional, que já é o clube brasileiro com o maior número de sócios em dia, provavelmente mais de 100 mil. O Grêmio também tem destaque nos quadros sociais e isto certamente tem influenciado no início do saneamento dos cofres do clube, que na atual temporada conseguiu montar uma equipe forte.

A gestão dos clubes gaúchos, especialmente no que diz respeito aos quadros sociais, está sendo bem sucedida. E a questão a ser debatida é: como aumentar o quadro social de um clube?

Ora, oferecendo vantagens para o sócio. E a principal vantagem a ser oferecida a um sócio são títulos. Isto mesmo, faixa no peito e troféu no armário. Obviamente que um clube que ganha títulos atrai mais seu torcedor. Mas esta não é uma verdade absoluta. Fosse assim, São Paulo teria disparado o maior quadro social entre clubes brasileiros.

Vantagens pecuniárias são outra forma de atrair um torcedor a se tornar sócio. Até algum tempo atrás, sócio não pagava ingresso. Mas a partir do momento em que se tem mais sócios do que lugares no estádio, tornou-se necessário encontrar alternativas. A extinção da isenção de ingresso foi a primeira delas. Hoje, sócio ganha desconto e preferência na compra de ingresso.

Mas mesmo assim, se um clube tem mais sócios do que lugares no estádio, não é suficiente dar desconto para ingresso; vai ter sócio sem direito a entrar no estádio. E para esse sócio frustrado, a única coisa que o mantém preso ao quadro social do clube, pagando sem usufruir de vantagem alguma, é a velha e ultrapassada paixão pelo clube.

Ora, se paixão por futebol não é mais suficiente, então vamos raciocinar: qual a razão de uma pessoa ser sócia do clube e assistir na TV os jogos? Nenhuma. Não adianta enviar folders, revistinhas, oferecer desconto nas academias, piscinas. Não. Sócio de clube de futebol quer vantagem como torcedor de futebol, não como membro de clube familiar.

Como então oferecer vantagem ao torcedor de futebol? Muito simples. Se é inevitável que parte dos sócios assistam os jogos pela televisão, basta então reformular o sistema de cotas de TV e de prioridades de exibição dos jogos.

Hoje em dia você é obrigado a ver jogos de Flamengo e Corinthians, que até dias atrás estavam em uma fila por títulos maior que a fila do INSS. Era uma monotonia. Tudo porque são os times de maior torcida no país.

Se mudasse o critério para oferecer quinhão (em dinheiro e em espaço) de televisão tanto maior quanto maior for o número de associados do clube, será um incentivo e tanto aos sócios que são obrigados a ver os jogos pela TV a permanecerem na condição de sócios. Afinal, terão maiores chances de ver seu clube do coração se ele tiver um quadro social polpudo.

Ou, ainda mais atrativo: oferecer desconto no famoso e famigerado PFC a quem for sócio em dia nos seus clubes.

Dirão alguns: isto é impossível, pois significaria prejuízo à televisão, que tem interesse é no grande público. E a réplica para esse argumento é automática: será que Flamengo e Corinthians têm potencial inferior a algum clube brasileiro para angariar sócios? É claro que não. Pelo contrário! Isso estimularia os milhões de flamenguistas e Corinthianos a se associarem aos seus clubes.

O efeito seria cascata: os clubes brasileiros se desatolariam das dívidas, cresceriam, ganhariam qualidade e independência, pois manteriam a “matéria-prima” inesgotável no Brasil, que são os novos craques e multiplicariam potencial de desenvolvimento, equilibrando-se aos grandes europeus.

E, ao fim e ao cabo, a televisão lucraria também, e muito, pois conseguiria retransmitir nossos campeonatos a todos os lugares do mundo. Sem contar que PFC’s da vida angariariam muitos novos clientes ao ofertar descontos para quem for sócio do time.

Recentemente o clube dos 13 conseguiu a façanha de vender os jogos do campeonato brasileiro para a Ásia. Agora, concorreremos a audiência asiática com campeonatos como o da Inglaterra, por exemplo.

Na minha opinião, uma ação conjunta entre clubes e televisão nesse sentido poderia significar o início de novos tempos no futebol brasileiro.

Gremista de carteirinha, Ana Hickmann revela: “estou bem mais gostosa”.

março 4, 2010
E aí? Esse sorriso te apetece? FONTE: MSN.com.br

E aí? Esse sorriso te apetece? FONTE: MSN.com.br

Para o delírio dos marmanjos de plantão, Ana Hickmann retornou aos holofotes…e com palavras apimentadas. A frase supra transcrita foi dita por Ana em entrevista à Revosta VIP, a qual ela estampa neste mês de Março de 2010. Ana Lúcia Hickmann Corrêa nasceu na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul-RS dia 1º de março de 1981 (a lora tem 29 aninhos tal como este blogueiro que vos fala), é modelo, apresentadora de televisão e empresária. Descendente de alemães, Ana tinha joviais 16 anos quando casou-se (dia 14 de Fevereiro de 1998) com o (também) empresário Alexandre Corrêa, o qual até hoje é seu agente. A gaúcha marcou presença em diversas revistas da moda e comerciais no mundo inteiro e o seu nome está associado a empresas de renome mundial, contando com onze licenciados, divididos em várias categorias. Segundo o Site Wikipedia, em julho de 2001, Hickmann foi eleita pela revista GQ Itália, uma das 10 mulheres mais bonitas do mundo. Foi eleita em 2004 como a 47° na lista de “100 mulheres mais sensuais” da revista MaxMen e na 85º posição, em 2005. Atualmente Hickmann faz parte do casting da agência “Ten Model”. Fez campanhas publicitárias para diversas marcas e foi considerada pela revista Vogue brasileira como uma das dez mulheres mais bonitas do Brasil de todos os tempos. Em 2005 movimentou 70 milhões de reais, número que cresce 50% ao ano. Atualmente movimenta cerca de 150 milhões de reais por ano com produtos licenciados que inclui biquínis, óculos, máquinas fotográficas, jeans e malharias, roupas de fitness, guarda-chuvas e cosméticos para profissionais. Ana Hickmann apresenta o programa “Tudo é Possível”, da Rede Record, e sempre que possível, faz brincadeiras ao vivo com seu colega Brito (apresentador do programa A Fazenda, também da Rede Record), em relação à rivalidade Gre-Nal. Nota: ambos são gaúchos, sendo ele colorado, e ela gremistaça desde criancinha. E não é que teve um cidadão que inventou de dizer que Ana era colorada? Acessem: http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&uf=1&local=1&template=3948.dwt&section=Blogs&post=118478&blog=131&coldir=1&topo=3994.dwt     O tal de Diego Mancha, que elaborava o “Blog Colorado” foi bombardeado pelos internautas, e de quebra, já sem credibilidade alguma, saiu do ar depois daquela verdadeira mancada…

Não adianta. Grêmio é Grêmio. Vide Gisele Bündchen, Alessandra Ambrósio, Ana Paula Arósio, Fernanda Lima, Mel Lisboa...FONTE: MSN.com.br

Não adianta. Grêmio é Grêmio. Vide Gisele Bündchen, Alessandra Ambrósio, Ana Paula Arósio, Fernanda Lima, Mel Lisboa...FONTE: MSN.com.br

Tchüss!!!

Galera do Toco y Me Voy Presente na Final do 1º Turno do Gauchão Analisa o Jogo

março 2, 2010

Internauta Digão presente no início da filmagem ao fundo, colunista Junique (entrevistado), blogueiro Zerbes (entrevistador) e blogueiro Alemão Pizoni (camera man). UOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOW!!!

Grêmio Contrata Seu Último Reforço para o Primeiro Semestre de 2010: Ozeia, e sem trancinhas

março 1, 2010
Olha quem chegou!! FONTE: Tatiana Lopes, ClicEsportes

Olha quem chegou!! FONTE: Tatiana Lopes, ClicEsportes

O desconhecido zagueiro Ozeia, que veio do Paços Ferreira/POR, clube da cidade de Paços de Ferreira, foi apresentado na tarde desta segunda-feira como novo jogador do Grêmio. Na primeira entrevista coletiva no Estádio Olímpico Monumental, o jogador que é natural de Nonoai, no interior gaúcho, falou sobre a expectativa de atuar no clube que torce desde pequeno. Com 1m90 de altura e 28 anos de idade, Ozeia afirma ser bom no jogo aéreo, mas que sabe (também) sair jogando. O atleta tem contrato até 2012 com o Paços Ferreira/POR e veio para o Grêmio por empréstimo até dezembro de 2010. O Tricolor tem opção de compra. Ozeia iniciou no Malutrom-PR, depois passou por Santa Cruz-RS e Ypiranga de Erechim-RS em 2004, tendo passado por Santo André-SP, Rio Branco de Americana-SP, Ituano-SP, Gama-DF e Avaí-SC (onde atuou com o treinador atual do Grêmio em 2008), antes de se transferir para a terra dos colonizadores do Brasil. Ozeia vinha de grandes atuações no clube português e era um dos destaques do sexto colocado do Campeonato Português. O Paços Ferreira/POR vem em franca ascensão em seus últimos 7  jogos: 4 vitórias (contra Académica/POR, Vitória de Guimarães/POR – fora de casa, Rio Ave/POR – fora de casa e Vitória de Setúbal/POR), 2 empates (contra os grandes do Futebol Português, Porto/POR – fora de casa, e Sporting Lisboa/POR) e 1 derrota (contra o Chaves/POR, em jogo válido pela Taça de Portugal).

Ozeia não é o ex-centroavante de Palmeiras-SP e Atlético-PR, mas é tão alto quanto o sósia famoso. FONTE: A Bola.pt

Ozeia não é o ex-centroavante de Palmeiras-SP e Atlético-PR, mas é tão alto quanto o sósia famoso. FONTE: A Bola.pt

Tchüss!!

Grêmio Levanta a Taça do Primeiro Turno do Gauchão 2010: Constrangedor

março 1, 2010
Grêmio campeão da Taça Fernando Carvalho (2º Turno do Campeonato Gaúcho 2010) - de pé: Rafael Marques, Victor(C), Maurício, Mário Fernandes, Hugo e Douglas; agachados: Jonas, Borges, Ferdinando, Fábio Santos e Fábio Rochemback.

Grêmio campeão da Taça Fernando Carvalho (2º Turno do Campeonato Gaúcho 2010) - de pé: Rafael Marques, Victor(C), Maurício, Mário Fernandes, Hugo e Douglas; agachados: Jonas, Borges, Ferdinando, Fábio Santos e Fábio Rochemback.

Constrangedor. Esse é o termo que resume o título conquistado pelo Grêmio neste 28 de Fevereiro de 2010. E tudo graças a dois fatores precípuos: 1) atuações abaixo da média de grande parte de seus jogadores; 2) a falta de ímpeto e as preferências do treinador Paulo Silas. Na saída do estádio, a torcida gremista não comemorou. Uma pequena minoria, ou alcoolizada, ou sem noção da atuação pífia, resolveu comemorar com buzinadas e gritos tímidos. Eu, meu primo Digão e meus amigos Alemão Pizoni e Junique não conseguimos comemorar. Se o Grêmio tivesse conquistado o primeiro turno e esta fosse a conquista do segundo turno, não haveria problemas. Mas logo ali, temos uma Copa do Brasil, temos o segundo turno do Gauchão. Não haverá Novo Hamburgo-RS, Porto Alegre-RS, Avenida-RS, e sim, Santos-SP, Palmeiras-SP, Fluminense-RJ. Este time que vocês estão vendo supra, caso não sofra boas alterações, haverá de protagonizar um verdadeiro “show de horror” nos próximos jogos.

Este filme de horror com pitadas de crueldade, pode ter tido início com as lesões que vêm atemorizando os gremistas: o primeiro a se lesionar foi Souza (6 meses fora), depois foi a vez de Lúcio (também 6 meses), e agora, mais recentemente, Leandro (30 dias) e (hoje) Borges. Não há time que aguente tantas ausências. Ademais, todos são titulares. O Grêmio ideal teria: Victor; Edílson, Mário Fernandes, Rodrigo e Lúcio; Willian Magrão, Rochemback, Souza e Douglas; Leandro e Borges. O Grêmio que vem se projetando é: Victor; Edílson, Mário Fernandes, Rodrigo e Fábio Santos; Ferdinando, Rochemback, Maylson(Hugo) e Douglas; Hugo(Willian) e Jonas. É muita diferença. Convenhamos. Em que pese o Imortal Tricolor tenha vencido o título do primeiro turno do Gauchão 2010, os erros não podem passar despercebidos. Willian substituiu o lesionado Borges e mostrou que está totalmente fora de forma. Deu para contar em uma mão quantas vezes ele tocou na bola. Após a lesão muscular de Borges, o time se perdeu. Havia feito um primeiro tempo de qualidade, mas o segundo tempo reservava fortes emoções…

Borges sofreu lesão muscular: segunda-feira fará exames para ver quantos dias ficará fora. FONTE: ClicRBS

Borges sofreu lesão muscular: segunda-feira fará exames para ver quantos dias ficará fora. FONTE: ClicRBS

O Novo Hamburgo-RS foi pra cima na segunda etapa. Rodrigo Mendes entrara para dar “o algo a mais” que faltava ao time conhecido como “Galáticos do Vale do Sinos”. E foi. A torcida gremista passou por mals bocados. Para piorar a situação, o treinador gremista retirou um atacante (Jonas) e colocou um volante (Maylson), e depois, o meia articulador e grande craque do time (Douglas), para colocar outro volante (Adílson). Isso sem contar, que as atuações individuais de Fábio Rochemback, Maurício, Hugo, Jonas e (principalmente) Willian foram comprometedoras.O Grêmio foi patético a partir dali. Passou o restante do tempo apenas se defendendo, dentro do seu próprio estádio, ante a sua própria torcida, com quatro volantões, tão-somente aguardando o fim do jogo. Afora estes pontos negativos, também há os positivos: o Grêmio quebrou o recorde de invencibilidade no próprio estádio (46 jogos – o recorde pertencia ao Internacional-RS do final dos anos 70), foi o primeiro jogo em que o Imortal Tricolor não levou gol, e foi o primeiro título tricolor desde o Gauchão de 2007. Orai, torcida gremista! É o que nos resta…

GRÊMIO (1) NOVO HAMBURGO (0)
Victor; Mário Fernandes, Maurício, Rafael Marques e Fábio Santos; Ferdinando, Fábio Rochemback, Douglas (Adílson) e Hugo; Jonas
(Maylson) e Borges (William).
Juninho; Micael (Rodrigo Mendes), Cláudio Luiz e Edson Borges; Chicão (Michel), Emerson, Márcio Hahn, Preto (Maiquel), Edimar e Paulinho; Gustavo Papa.
Técnico: Silas Técnico: Gilmar Iser

Gauchão, final do 1º turno, 28/02/2010
Local:
Estádio Olímpico, em Porto Alegre.
Arbitragem: Carlos Simon, auxiliado por Altemir Hausmann e Paulo Conceição.
Gol: Ferdinando (G), aos 20min do 1º tempo.
Cartões amarelos: Maurício, Ferdinando e Fábio Santos (G); Édson Borges e Cláudio Luiz (NH).

Tchüss!!

Dor de corno

março 1, 2010

Reparem no “olé” que Bridge aplica em Terry na hora do protocolo antes da partida válida pelo campeonato inglês.

* O jogo acabou com a vitória do time de Brigde, 4×2.


%d blogueiros gostam disto: