Arquivo do Autor

Cada vez mais Portaluppi

dezembro 27, 2010

Quando o então presidente Duda Kroeff confirmou Renato Portaluppi como o substituto de Silas no comando técnico gremista, uma questão atormentou os tricolores: como não misturar a imagem de ídolo do clube com a de treinador? Claro que outra ponderação, aquela do “vai dar certo?” também foi feita, já que Portaluppi, mesmo com a conquista de uma Copa do Brasil e de um vice campeonato da América, ambos pelo Fluminense, ainda era um técnico que precisava se afirmar no cenário nacional. Renato era uma incógnita.

Portaluppi assumiu como treinador do Grêmio numa situação crítica. A parada da Copa do Mundo não fez nada bem ao elenco Tricolor. Silas, que mesmo com a conquista do Gauchão nunca agradou a torcida, não conseguiu comandar o vestiário e dentro de campo o time desabou. Kroeff não tinha saída, demitiu Silas e foi buscar na Bahia o maior ídolo gremista para realizar uma missão: evitar uma nova queda para a segunda divisão. Mas Portaluppi foi além.

Na mão dele o Grêmio voltou a ser um time. Os problemas no vestiário desapareceram, já dentro de campo o Tricolor renascia. A vitória contra o Corinthians foi o marco zero da recuperação gremista. Ao final da partida Portaluppi disse eufórico: “Vitória de quem quer chegar na Libertadores”. A partir dali o Grêmio teve uma recuperação extraordinária. Renato, além de dar um ótimo padrão de jogo à equipe, recuperou o futebol de Douglas, jogador fundamental do meio campo Tricolor. Além disso, nomes desconhecidos como Vilson, Paulão e Diego Clementino, contratados por indicação de Portaluppi, se encaixaram perfeitamente no espírito Tricolor.

Resultado disso foi o título simbólico de campeão do 2º turno nacional e a vaga para a pré-Libertadores, algo impossível de se imaginar depois dos maus resultados de Silas. Portaluppi deu certo. Essa foi a grande notícia de 2010 para os gremistas. Para 2011, o Grêmio parte com uma boa base. Com contratações pontuais, o Tricolor tem tudo para brigar por grandes títulos, e por consequência, Portaluppi se consolidará cada vez mais como o maior ídolo da história gremista.

Cuidado com a expectativa

dezembro 20, 2010

O torcedor gremista precisa colocar os pés no chão. A repatriação de Ronaldinho não é simples. Porém, o otimismo de Odone ascendeu a torcida.

Se de fato Ronaldinho vier, será uma grande jogada gremista. A maior contratação da história do futebol brasileiro. Todavia, uma possível negativa na negociação pode frustrar o torcedor mais esperançoso.

Resta aguardar o desenrolar das negociações.

Pelo bem do futebol?

dezembro 2, 2010

A Fifa anunciou na tarde desta quinta-feira, em Zurique, na Suíça, que Rússia e Catar serão as sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022.

Mas será que a Fifa decidiu levar a Copa do Mundo para Rússia e Catar pensando exclusivamente em expandir o futebol por lá?

Vale lembrar que os dois países escolhidos, principalmente o Catar, estão investindo fortemente em levar a seus países grandes eventos esportivos, como a Fórmula-1, por exemplo.

Sabendo que os bastidores da Fifa são nebulosos quando o assunto é financeiro, as escolhas não foram lá uma grande surpresa.

Ah o Barça…

novembro 30, 2010

Que chocolate o Barcelona aplicou no Real.

Quem achava que o clássico seria parelho se enganou. Guardiola superou Mourinho.

Resta saber se o Real irá sentir a derrota. Até porque, o time do técnico do português vinha fazendo grandes atuações.

Não resta dúvidas que o Barça joga o futebol mais bonito de ser ver, porém, como vimos na última Champions League, isso não garante títulos. Mas que dá gosto de ver Messi e companhia jogar, ah isso dá!

Pede pra sair, 23!

novembro 5, 2010

Estamos chegando

outubro 18, 2010

Se alguém tinha alguma dúvida de que o Grêmio é postulante a, no mínimo, uma vaga para a Libertadores de 2011, o resultado de ontem pôs fim ao dilema. Jogando contra a ótima equipe do Cruzeiro, o Tricolor provou que está em grande fase. Se vencer o Gre-Nal no domingo, o Grêmio tem tudo para lutar pelo título da competição.

O Grêmio de Renato é intenso. Em nenhum momento do jogo o time se acomoda. Claro que jogando contra a bela equipe cruzeirense, o Tricolor passou por momentos difíceis, mas tudo dentro de uma normalidade. O Grêmio, seja dentro ou fora de casa, sai para o jogo. Alguém lembra de alguma partida em que Portaluppi armou uma retranca, por exemplo? Esse é o mérito do treinador gremista, a ambição. Se pegarmos os 90 minutos do jogo de ontem, o Tricolor demonstrou mais vontade de vencer. Num jogo parelho como foi, isso fez a diferença.

***

Paulão, Vilson, Viçosa, Gilson e Diego Clementino são nomes modestos. Porém, Renato está fazendo eles jogarem. Tudo porque ele deu padrão ao time do Grêmio. Mudam os jogadores, mas a disposição do time em campo continua a mesma. Além disso, Portaluppi passa muita confiança aos atletas – basta acompanhar as entrevistas dos jogadores gremistas.

***

Gilson entrou no lugar de Fábio Santos na segunda etapa. Sofreu o pênalti que deu a vitória ao Tricolor e formou boa dupla com Lúcio. A torcida não vê a hora de alguém tomar a posição de Fábio Santos. Torcida essa que deu show. Nenhuma novidade nisso, é claro. A tabelinha entre torcida e clube voltou com tudo.

***

Cuca reclama, e com razão, do gol anulado. As arbitragens do Brasileirão são ridículas. Nesse final de semana eles deram show. Foi erro em tudo quanto é jogo. E a CBF nem aí. Fato é que se num dia você foi prejudicado, logo em seguida será favorecido. É a roleta russa da incompetência.

Ousadia recompensada

outubro 10, 2010

Renato disse em entrevista coletiva após o confronto contra o Vasco, que a torcida do Grêmio está “mal acostumada”, referindo-se a expectativa de uma nova vitória fora de casa. Pode ser. Mas a impressão ao término da partida foi que o Tricolor poderia ter saído de campo com os três pontos. Evidente que pelas circunstâncias o empate foi de bom tamanho, mas para quem sonha em G-3, ele não foi lá um bom negócio.

O Grêmio começou bem a partida, porém, numa bobeada da zaga, o Vasco abriu o placar. O empate era questão de tempo, já que o Tricolor jogava bem. Não deu outra. Jonas, sempre ele, deu igualdade ao marcador. No final da primeira etapa, em mais uma falha de marcação da zaga gremista, o Vasco fez o 2×1.

No segundo tempo, o Grêmio foi para o ataque, enquanto o Vasco tentava ampliar o placar através de contra ataques. Em um deles, Felipe cava uma falta que dá origem a mais um gol vascaíno: 3×1. Pouco antes do terceiro gol, Renato trocou Ferdinando pro Diego. Substituição que foi fundamental para o empate gremista.

Em uma tabela entre Jonas e André Lima, que deu um passe espetacular para o artilheiro do campeonato, o Grêmio descontou. O Tricolor tentava, mas a derrota parecia eminente. Em uma última tentativa, Renato substituiu Lúcio por Edílson, deslocando Gabriel para o meio campo. Em uma tabela com Diego, que jogou praticamente como um ponta direita, Gabriel deu igualdade ao placar.  Provando que Renato tem estrela.

Portaluppi é ousado. Incontáveis vezes sua ousadia vem dando resultado. As próximas três partidas, contra Cruzeiro, Inter e Fluminense, definiram até onde o Grêmio pode chegar.

***

Como era esperado, Paulo Odone será o presidente do Grêmio no biênio 2011-2012. Na sua última passagem pelo cargo, Odone tirou o Grêmio da segunda divisão, foi vice campeão da Libertadores e Campeonato Brasileiro. Odone promete um Grêmio forte e que irá brigar por grandes títulos. Veremos!

Quase na briga

outubro 3, 2010

Incrível a boa fase do Grêmio fora de casa. Mesmo com quase um time de desfalques, o Tricolor venceu o Vitória e, com mais alguns bons resultados em sequência, entra na briga por uma vaga na Libertadores de 2011.

Renato conseguiu colocar uma equipe compacta em campo. Jogando no erro do adversário, o Grêmio abriu o placar e poderia ter ido para o intervalo com uma vantagem maior. Já na segunda etapa, foi um pouco pressionado, mas nada que assustasse, e nos acréscimos matou o jogo.

Por falar em Renato, registro aqui uma virtude do ídolo gremista. Em nenhum momento ele reclamou dos desfalques, muito pelo contrário. Portaluppi disse nas entrevistas que confiava no grupo e que o Grêmio iria busca a vitória em Salvador. E não é que conseguiu? Renato vai surpreendo como técnico.

***

Diego Clementino é reboteiro nato. Tudo bem que Jonas está em grande fase, mas passa a bola meu filho.

***

Gabriel e Lúcio foram os grandes destaques do Grêmio. Resta saber até quando Portaluppi continuará com Fábio Santos na esquerda.

***

Certamente mais de 30 mil tricolores estarão no Olímpico na próxima quarta-feira, contra o Prudente. O torcedor está motivado, e a equipe merece o apoio.

***

Torcedor gremista, clique aqui e confira as chapas quem concorrem a eleição presidencial. Ela pode ser definida pelos sócios, sendo assim, fique informado sobre as pessoas que compõem as chapas, e quais são as suas propostas. O Grêmio é de sua torcida, portanto, cuide dele.

Enfim, facilidade

setembro 30, 2010

Finalmente o Grêmio teve uma vitória tranquila. A igualdade alcançada pelo São Paulo na segunda etapa foi um acaso. Era nítido que o Tricolor gaúcho venceria a partida, pois foi melhor durante todo o jogo.

Portaluppi acertou ao escalar Paulão. Com isso, adiantou Vilson e fez com que Lúcio fosse praticamente um meia ao invés de volante. O time ficou bem postado em campo e a vitória veio ao natural.

***

Lúcio e Gilson se deram bem na esquerda. Ambos renderam mais que Fábio Santos – o que não é lá tarefa muito difícil. Será que a camisa 6 finalmente mudará de dono?

***

André Lima não é lá o centro avante dos sonhos, mas é aguerrido e bom no jogo aéreo. A dupla com Jonas está dando certo.

***

Impressionante o nível das arbitragens brasileiras. E a CBF nem aí. Só quer saber da Copa…

***

Tudo bem, o adversário de ontem não faz uma boa campanha, mas o Grêmio vai aos poucos provando que tem um grupo. Talvez não suficiente para brigar pelo título, mas pelo menos para alcançar uma posição honrosa ao final do campeonato.

***

Saimon e Neuton devem formar a zaga contra o Vitória. Bom teste para os guris. O grande problema é quem será o armador – já que Douglas também está suspenso. Creio que Portaluppi colocará Lúcio de meia.

***

Se outubro for tão bom quanto setembro, o Grêmio vai dar trabalho.

Poderia ter sido mais fácil

setembro 28, 2010

Quase que o filme do jogo contra o Flamengo se repete. O Grêmio – como no segundo tempo do jogo do meio de semana – deixou de matar o jogo quando era melhor. Porém, a diferença foi que contra o Atlético/MG a partida poderia ter sido definida antes da meia hora inicial. O gol de Daniel Carvalho colocou o Galo na partida. No segundo tempo o Tricolor perdeu mais algumas chances de garantir a vitória, mas não teve sucesso. Aí foi sufoco até o fim. O Grêmio precisa ser mais efetivo e  matar os jogos quando criar as chances, até porque não será sempre que Victor salvará lá atrás.

***

Renato chamou o time mineiro para cima com suas alterações. Mesmo assim as melhores chances para marcar foram tricolores – muito mais pela fragilidade e desespero atleticano do que qualquer outra coisa.

***

Há quanto tempo um lateral do Grêmio não fazia um gol de dentro da área oriundo de uma tabela?

Outro que mais uma vez jogou bem foi Douglas. A escalação dos três volantes fizeram com que o meia não voltasse para marcar, o que ajudou no seu desempenho.

***

Victor fará falta enquanto estiver com a Seleção Brasileira.

***

Se o Grêmio voltar a fazer valer o fator local, e manter os bons resultados fora, pode brigar por uma vaga no G-3.

Onde está o fator local?

setembro 23, 2010

O Grêmio teve inúmeras chances de matar o jogo no segundo tempo e não o fez. Bastou um vacilo da zaga para o Flamengo chegar ao gol de empate. Parece que o fator local não é mais um ponto forte do time gaúcho. No segundo turno, estamos jogando melhor fora de casa. Se tivéssemos vencido Palmeiras e Flamengo, certamente estaríamos na disputa por uma vaga na Libertadores de 2011. Porém, o plantel do Grêmio carece de alguns jogadores de maior qualidade. É nítido.

***

Depois de fazer 1×0, inexplicavelmente o Grêmio recuou. Deu toda a liberdade para o Flamengo atacar. Léo Moura contra Fábio Santos era a arma do time carioca. Foi por lá que saiu o gol de empate. No segundo tempo o Grêmio voltou melhor. Acertou mais passes e o jogo fluiu mais fácil. Feito o 2×1, o Tricolor continuou criando chances, porém, pecou nas finalizações. Além disso, Marcelo Lomba também salvou a equipe de Silas. Victor, como sempre, também ia realizando suas defesas importantes. Com todo respeito ao Petkovic (que é um baita jogador), mas não se pode tomar gol dele em jogada de velocidade. E mais, para que a linha de impedimento? Que falta faz um xerife naquele meio campo.

***

O jogo do próximo domingo, contra o Atlético/MG fora de casa, é de vital importância. Uma derrota pode fazer com que o Grêmio volte a se preocupar mais com a parte de baixo do que de cima da tabela. As duas últimas boas atuações fora de casa dão uma alento ao torcedor. Como toda equipe mediana deste Brasileirão, o Grêmio oscila dentro da competição. E assim será até a última rodada. A não ser que o Tricolor consiga uma sequência de vitórias. Mas, pelo jeito, a tendência é que isso não ocorra.

***

Justa a convocação de Victor para a seleção brasileira. Está em ótima fase.

Do jeito que Felipão gosta

setembro 16, 2010

Felipão, melhor do que ninguém, sabe o quanto é complicado encarar o Grêmio no Olímpico. Ainda mais embalado como estava. E o que ele fez? Fechou bem o time do Palmeiras. Para ajudar, o Tricolor teve uma noite daquelas. Faltou movimentação ao time de Portaluppi. Além disso, os laterias poucos efetivos também contribuíram para que a marcação do time paulista tivesse resultado.

Com uma cobrança de falta perfeita de Marcos Assunção, e a vantagem no marcador, a estratégia de Felipão ficou ainda mais clara. Com o segundo gol marcado após um contra ataque rápido e uma falha da zaga Tricolor, ficou ainda melhor. Enquanto isso, o Grêmio acumulava escanteios e nada acontecia. O gol de Jonas veio pelo sufoco. Se nem tudo era céu depois da vitória contra o Corinthians, nem tudo deve ser inferno depois da derrota de ontem. Porém, a reabilitação deve ser imediata, caso contrário, o fantasma do rebaixamento voltará.

***

O Grêmio possui um único primeiro volante em seu elenco: Ferdinando. Tudo bem, todos sabem da qualidade técnica do jogador, mas depois de parar o meio campo corintiano, por que não repetir a escalação no jogo de ontem?

***

Se o adversário está fechado, é preciso movimentação e um toque de bola rápido, correto? Além, é claro, das jogadas pelas laterais. Pois é, o Grêmio não conseguiu fazer nada disso, facilitando a marcação palmeirense.

***

Impressionante o desperdício de cobranças de faltas e escanteios. Será que nenhum jogador treina para cobrar decentemente?

***

Borges está praticamente fora do campeonato. Lamentável. Contratar é preciso.

Esse é o Grêmio!

setembro 13, 2010

A vitória contra o Corinthians teve a cara do Grêmio. Se a primeira etapa foi marcada pela técnica – e o golaço de Douglas -, a segunda fez com que ressurgisse o Grêmio guerreiro. Nem mesmo a mãozinha da arbitragem fez com que o Tricolor saísse de campo derrotado. O Grêmio de sábado mostrou todas as virtudes que o torcedor quer ver dentro das quatro linhas, resta agora saber até onde essa equipe pode chegar.

***

Douglas foi decisivo nas duas últimas vitórias. Inegável a ascensão do camisa 10. O time equilibrado que Renato colocou em campo também ajudou. Com Ferdinando e Adilson se preocupando exclusivamente em marcar, Douglas e Souza tiveram liberdade para criar. Além disso, o Grêmio ganhou poder de marcação e (enquanto o jogo estava em igualdade numérica) deu poucas chances para o adversário. Gabriel também está a cada jogo mais a vontade. Em linhas gerais, o Grêmio vem crescendo de produção. Se Renato mantiver um time equilibrado, o Tricolor pode confirmar a vaga na Sul-Americana e, quem sabe, sonhar com a Libertadores. Ou alguém ainda acha que o Grêmio luta para não caiar?

***

Victor a cada dia se torna mais ídolo gremista. Anda numa fase espetacular.

***

A vitória da chapa Renova Tricolor nas eleições de sábado já era esperada. O grupo de Paulo Odone elegeu mais 150 conselheiros e terá maioria absoluta no Conselho Deliberativo do clube. O que pode acarretar em sua própria aclamação como presidente na eleição que ocorre em dezembro. Porém, a votação surpreendente da Terceira Via (chapa que contou com sócios do clube que nunca exerceram o cargo de conselheiro) aliada ao falto da chapa 2 (atual situação) não ter conseguido chegar à cláusula de barreria (30% dos votos), e por consequência não elegendo nenhum conselheiro, dão mostras de que os sócios querem o retorno de Odone e seus aliados no comando do clube. O processo político gremista ainda pode evoluir, mas fica claro que a cada eleição a participação dos associados cresce. Quem ganha com isso é o clube.

***

Quarta-feira, 15 de setembro, o Imortal faz 107 anos. A boa fase colocará mais de 30 mil torcedores no Olímpico. Além disso, a vinda de Felipão também é um atrativo.

Sequência animadora

setembro 9, 2010

O jogo poderia ter sido resolvido cedo se o Grêmio tivesse caprichado nas finalizações. Num primeiro tempo magistral de Douglas, o Tricolor abriu o placar em cobrança de falta perfeita do camisa 10 e teve mais algumas chances para aumentar o placar. Logo aos dois minutos da segunda etapa o Grêmio tem um pênalti a seu favor. Jonas desperdiçou. Com apenas Adilson como homem de marcação no meio campo, o Tricolor não conseguiu marcar como no primeiro tempo e proporcionou um maior domínio por parte do Atlético/GO. Porém, foram poucas as chances de gol criadas pelo fraco time goiano.

Mesmo assim, o clima era de apreensão no Olímpico. Sentimento que deu lugar a euforia quando num contra ataque Borges matou o jogo numa bela arrancada. A festa foi grande e finalmente o Grêmio se afasta um pouco da zona da degola. A sequência de resultados é animadora. Resta agora é continuar trabalhando para subir ainda mais na tabela.

***

Renato só escalou o time com três atacantes porque o adversário era o Atlético/GO. Evidente que contra o Botafogo ele também escalou o time com três na frente, porém, o Grêmio perdia por 2×0. Souza foi recuado e jogou como segundo volante. Se comparado com ele mesmo, melhorou um pouco de rendimento. Adilson e Vilson foram seguros. O grande destaque da partida foi Douglas. Resta saber se a lesão no pubes é que faz o jogador cair de rendimento no segundo tempo. Fato é que o jogador, assim como o time, vem crescendo de produção.

***

Lúcio deve ser titular. Fábio Santos há tempos não dá uma boa resposta na lateral esquerda. Creio que é questão de tempo para que Renato coloque o jogador no banco.

***

Neste sábado, 11 de setembro, ocorre a eleição para renovação de parte do Conselho Deliberativo do Grêmio. O entorno do Olímpico na noite de ontem era um grande palanque. As três chapas (Chapa 1 – Renova Tricolor; Chapa 2 – Dá-lhe Grêmio; Chapa 3 – Terceira Via) correndo atrás de votos. Você que é sócio e está apto a votar preste atenção e vá atrás de informações sobre as chapas. O futuro do Grêmio pode ser definido com seu voto. Faça bom uso dele.

***

Veja abaixo o trailer do filme sobre a Geral do Grêmio. Essa torcida revolucionou o modo de torcer nos estádios brasileiros. É de arrepiar. Os gremistas sabem do que falo…

Saindo do sufoco

setembro 6, 2010

A escalação de Gilson – inexplicavelmente repetida por Renato – no meio campo gremista era um sinal claro de que o Grêmio teria grandes dificuldades contra o Botafogo. Com 20 minutos de partida o Tricolor já perdia por 2×0 e parecia ser só início de uma jornada terrível. Renato trocou Gilson por Roberson. O Grêmio teve mais posse de bola mas pouco criou. Já o Botafogo perdia chances para ampliar – inclusive desperdiçando um contra ataque de cinco contra dois. Impressionante. Sorte que a bola caiu no pé do Herrera.

Logo no começo da segunda etapa Jonas descontou, numa entregada da zaga botafoguense. Porém, o Grêmio continuava com posse de bola mas sem concluir com qualidade. E o Botafogo seguia perdendo gols. Então Portaluppi partiu para o desespero e colocou o time para cima. Encheu de atacantes e deixou só Adílson na marcação.

Em cobrança de falta de Lúcio, Jonas empatou. O Grêmio teve mais sorte do que juízo. Porém, o empate foi importantíssimo.

***

O que mais me assusta na equipe gremista é a facilidade com que os adversários chegam ao nosso gol. Os dois volantes não conseguem marcar. Aí, a zaga fica sem segurança e exposta. Time que joga contra o Grêmio troca três passes e está na cara do gol. Marcar, e bem, é preciso!

***

A imprensa gaúcha clama por Maylson como terceiro do meio campo. Acho Maylson um jogador mediano. Porém, se Renato fizer com que pelo menos os meias preencham espaço, creio que a marcação já melhora. Erro é colocar Leandro nessa posição, que me parece ser muito mais um segundo atacante do que um homem de meio campo.

***

Virar o turno fora da zona de rebaixamento foi a grande notícia do final de semana. Dos últimos nove pontos disputados o Grêmio ganhou cinco, o que, de certa forma, mostra uma evolução da equipe. Agora é lotar o Olímpico na quarta-feira e apoiar o Imortal.

Importante vitória

setembro 2, 2010

O mais importante foi a vitória. Mais uma vez o time oscilou dentro da partida e convenceu somente na primeira etapa, deixando os gremistas presentes no Monumental aflitos até o apito final. Evidente que os três pontos falam por si só. É melhor jogar mau e vencer do que bem e perder, porém, um dia esse equilíbrio tem que vir, ou vai ser esse sofrimento até a última rodada.

Quanto ao fato da equipe ter decaído no segundo tempo, creio que os volantes cansaram, principalmente Adilson (que Renato errou ao não substituí-lo). Douglas e Souza não marcam ninguém, com isso sobrecarregam os dois volantes. Além disso, o Grêmio não teve retenção de bola na frente durante o segundo tempo. Soma-se a isso a postura mais ofensiva do Guarani, o atual momento gremista na tabela, e deu no que deu: sufoco.

Os mais de 30 mil gremistas que foram ao Olímpico fizeram sua parte. O time dentro de campo correspondeu, mais com raça do que futebol, mas, não importa. O momento era de vitória e ela veio. Agora é ganhar moral e sair de vez da zona do perigo.

***

Douglas tem uma grande qualidade técnica, isso ninguém discute. O grande problema que o meia enfrenta é causado pelo seu estilo. A torcida gremista quer que seus jogadores corram os 90 minutos, marquem, deem carrinhos, enfim, querem que a raça prevaleça sobre a técnica. Não discordo disso, porém, não se faz um time somente técnico e também somente raçudo, deve prevalecer o equilíbrio. Tudo bem, Douglas, na média, está devendo ao torcedor, mas é nítido que ele é o único jogador diferenciado que o Grêmio tem em seu elenco.

Outro fato que chama a atenção é a falta de paciência de alguns torcedores em relação ao meia. Ele pode fazer cinco passes certos em sequência, mas basta um erro para que, ALGUNS TORCEDORES, vaiem. Ontem ficou claro a falta que ele fez quando saiu. O Grêmio perdeu criação e posse de bola.

OBS: a virada de jogo para o Fábio Santos no lance do gol da vitória foi de Douglas.

O rapaz tem bola no corpo. Cabe a torcida entender seu estilo e ele querer jogar. O Tricolor sairia ganhando.

***

Vem sendo veiculado na imprensa gaúcha a possível candidatura de Fábio Koff à presidência do clube, num possível confronto contra Paulo Odone – candidato da oposição e favorito ao cargo. Acho que Koff não se candidatará. Talvez ele mantenha o suspense até o dia 11 de setembro, quando ocorre a eleição de renovação de parte do Conselho Deliberativo do clube. Porém, se Koff for candidato, a disputa no final do ano será histórica.

Mais um bom meio tempo

agosto 30, 2010

O segundo tempo do Grêmio deixou a torcida confiante. Creio que na média dos 90 minutos o Tricolor fez uma boa apresentação. Porém, ainda temos que melhorar. Portaluppi deveria ter começado o jogo com Adilson, já que o time fica bem mais equilibrado com dois volantes, e improvisar o estreante Gilson de volante só foi perda de tempo. Mas o que mais me chamou a atenção foi a liberdade que o Atlético/PR deu para Souza e Douglas.

Aí vem o grande detalhe, apesar de todo o espaço, os armadores do Grêmio não conseguiram criar jogadas para abastecer o ataque, e a única alternativa que o Grêmio tinha era a jogada de pivô de Borges. Souza depois da lesão não foi mais o mesmo, e Douglas alterna bons e maus momentos dentro do jogo. Talvez eles joguem na mesma – e isso atrapalhe o desempenho de Souza. Fato é que o meio campo do Grêmio precisa ser mais criativo, ou viveremos de jogadas individuais para balançar a rede adversária.

***

Nítida a melhora de qualidade na lateral direita. Quando Gabriel adquirir ritmo de jogo será uma grande arma. Só falta acertar a esquerda agora. Vilson mais uma vez jogou bem e até gol fez. Aos poucos vai ganhando a torcida.

***

Torcida essa que promete comparecer em peso ao Monumental nesta quarta-feira (apesar deste horário cretino das 19h30min). A direção gremista até promoção está fazendo para que a torcida compareça. Esse é o momento em que o torcedor deve estar ao lado do time.

***

A vitória é obrigação. Se repetirmos a atuação do segundo tempo de ontem, os três pontos são garantidos. Contra o Santos fizemos um bom primeiro tempo. Contra o Atlético/PR foi o segundo. Resta agora fazer um bom jogo. A hora é essa.

Os grupos da Champions League

agosto 26, 2010

Foram sorteados na tarde de hoje. Confira!

GRUPO A
Internazionale (ITA)
Werder Bremen (ALE)
Tottenham (ING)
Twente (HOL)

GRUPO B
Lyon (FRA)
Benfica (POR)
Schalke 04 (ALE)
Hapoel Tel-Aviv (ISR)

GRUPO C
Manchester United (ING)
Valencia (ESP)
Rangers (ESC)
Bursaspor (TUR)

GRUPO D
Barcelona (ESP)
Panathinaikos (GRE)
Copenhagen (DIN)
Rubin Kazan (RUS)

GRUPO E
Bayern de Munique (ALE)
Roma (ITA)
Basel (SUI)
Cluj (ROM)

GRUPO F
Chelsea (ING)
Olympique de Marselha (FRA)
Spartak Moscou (RUS)
Zilina (SVK)

GRUPO G
Milan (ITA)
Real Madrid (ESP)
Ajax (HOL)
Auxerre (FRA)

GRUPO H
Arsenal (ING)
Shakhtar Donetsk (UCR)
Braga (POR)
Partizan (SER)

Só meio tempo

agosto 26, 2010

Há tempos o Grêmio não fazia um primeiro tempo como o de ontem. O time teve aproximação do meio campo com o ataque, retenção de bola na frente e criou algumas chances de gol. Só faltou o mesmo de sempre: laterais. Se bem que quem cruzou a bola para Borges marcar foi Fábio Santos, mas em todo este tempo de Grêmio dá para contar quantas vezes isso aconteceu. Já Edílson, bom, nem tem o que falar.

Douglas e Souza faziam uma boa partida e o Grêmio dava uma boa reposta contra o forte time santista. Aí veio o segundo tempo e o bom futebol resolveu mudar de lado. O meio campo gremista não conseguia mais ter a posse de bola e muito menos marcar o Santos. Preparo físico? Pode ser. Mas claramente quem morreu em campo foi Douglas, o resto do time não apresentou nenhuma queda de preparo. Faltou foi futebol mesmo.

Com o Santos dono do jogo, foi só questão de tempo para que o time paulista chegasse a igualdade – já que Victor já tinha feito uns milagres – e virasse a partida. Fato que ocorreu somente nos descontos porque Victor, mais uma vez, defendeu um pênalti. O Grêmio não soube reagir. Faltou organização e qualidade para o Tricolor. A classificação na tabela atrapalha nesses momentos em que é preciso ter a cabeça no lugar para se conseguir os resultados.

***

Renato, em sua entrevista coletiva após a partida, disse que o Grêmio ainda comete erros infantis. Correto! Eu mesmo posso citar alguns. O que leva um jogador (leia-se Fábio Santos) a cometer uma falta num jogador que está de costas para o gol? Esse foi o primeiro pênalti que deu origem ao gol de empate santista.

Outra coisa que é nítida é o mau aproveitamento das bolas paradas. Todas as cobranças de falta e escanteios são cobradas na primeira trave. Será que ninguém tem a capacidade de cobrar com mais qualidade? Os caras vivem com a bola nos pés e não capazes de cruzar uma bola decentemente? São coisas como essas que fazem com que a torcida perca a paciência.

***

Nosso capitão deveria falar menos e jogar mais. Outro que deveria simplificar nessa hora é Jonas.

***

Vilson teve uma boa estreia. Simplificou e parece ser um zagueiro que não brinca em serviço. Gabriel vai ser titular assim que estiver em forma e creio que Renato deveria por Neuton ou Lúcio na esquerda já contra o Furacão.

***

O que seria do Grêmio sem Victor? Confesso que às vezes sinto pena dele. Um jogador com tamanha qualidade não merece ter o time que tem. Aliás, a torcida não merece o time que tem.

***

Este papo que o campeonato é longo não serve, vide 2004. O Grêmio tem que ir para cima do Atlético/PR e vencer! Caso contrário a situação vai ficar ainda mais dramática.

Falta o básico

agosto 23, 2010

O ponto forte do time do Grêmio na conquista do título gaúcho foi seu ataque. Tudo bem, há de se fazer a ressalva de que o nível técnico do Gauchão nem se compara com o do Brasileirão, e mesmo assim, um setor do time já preocupava os Tricolores: a zaga.

Com a saída de Réver e Rodrigo (que começou bem mais caiu muito de qualidade), o Tricolor conta com apenas um zagueiro de qualidade: Mário Fernandes. Ozéia não pode fardar, e Rafael Marques até quebra o galho. Sem Mário machucado – num erro inadmissível do departamento médico gremista que esperou a Copa do Mundo acabar para operar o guri – a zaga do Grêmio é muito fraca.

Para piorar, a dupla de volantes também não marca. E os laterais (?) da mesma forma. Aí não há Victor que aguente.

###

Outro problema nítido da equipe gremista é a saída de bola. Ela simplesmente não existe. Com a falta de qualidade da zaga, dos volantes e dos laterais, o Grêmio vive de ligação direta para o ataque. Além disso, os responsáveis pela armação da equipe, ao invés de se apresentarem e buscarem o jogo na intermediária de defesa, ficam parados esperando a bola chegar.  Ou seja, não se arma uma jogada, não se dá mais do que três passes em direção ao gol adversário. E quem sai mais prejudicado? O ataque.

Sem toque de bola, deslocamento, tabelas, não há jogo. É o básico. Um time que não sabe fazer isso tem sérios problemas. O Grêmio os têm.


%d blogueiros gostam disto: