A Convocação da Seleção Brasileira para a Copa da África de 2010

by
Dunga e seu "exército de 1 homem só". FONTE: Site da CBF

Dunga e seu "exército de 1 homem só". FONTE: Site da CBF

ADJETIVOS À CONVOCAÇÃO DE DUNGA

A convocação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de Futebol 2010, a qual será realizada pela primeira vez no Continente  Africano, foi extremamente conservadora, coerente e (até certo ponto) surpreendente. Conservadora por que manteve o grupo que o treinador Dunga vinha convocando, praticamente sem abrir exceções. Coerente por que a convocação foi feita dentro dos padrões estabelecidos (e sempre reiterados publicamente) pelo comandante do time. Até certo ponto surpreendente por que convocou atletas que pouco (ou nada) contribuirão para um possível título mundial do selecionado canarinho.

OS GOLEIROS

Como um todo, achei a seleção qualificada. Contudo, há poucos, mas graves equívocos. A primeira surpresa foi a ausência de Victor, melhor goleiro do Brasil na atualidade, capitão do Grêmio. O titular Júlio César (Internazionale/ITA) é unanimidade, simplesmente o maior do mundo. Tudo bem. Mas Gomes (Tottenham/ING) e Doni (Roma/ITA) são escolhas inconcebíveis. Gomes foi execrado do PSV Eindhoven/HOL, vem fazendo uma boa temporada, mas não é 100% seguro. Sua altura o prejudica em chutes rasteiros. E o que falar de Doni? Foi vaiado no Juventude-RS/BRA, seu empresário conseguiu levá-lo para a Roma/ITA sabe-se lá de que maneira, e hoje é reserva de outro brazuca JAMAIS convocado (Júlio Sérgio, o qual era reserva no Santos-SP/BRA). Ouvi a justificativa de Dunga sobre Doni e aceitei. Parece-me bastante plausível convocar ele pelos trabalhos prestados à Seleção Brasileira (foi titular fundamental na conquista da Copa América 2007, tendo brigado com a direção do seu clube para servir o Brasil), entretanto, Victor está “léguas a frente” de Gomes. Eu convocaria Fábio (Cruzeiro-MG/BRA) e Victor, ao invés de Gomes e Doni. Foi uma grande injustiça com Victor. Os jornalistas do SporTV Lédio Carmona, Paulo Vasconcellos e Milton Leite entendem da mesma forma. De qualquer modo, como muito provavelmente não jogarão os goleiros reservas, não se trata de um erro grave.

OS LATERAIS

Quanto à lateral-direita, não há o que falar. Dunga foi perfeito. Maicon (Internacionale/ITA) é um dos maiores laterais-direitos do mundo, senão o melhor. Enquanto Daniel Alves (Barcelona/ESP) só não é titular, por que a Seleção tem Maicon. Se fosse otra seleção, Daniel Alves seria titular com sobras. Todavia, vejo dois equívocos na lateral-esquerda. Gilberto (Cruzeiro-MG/BRA) e Michel Bastos (Lyon/FRA) não jogam em seus respectivos clubes como laterais ha muito tempo. Hoje, são meias-de-ligação. Considero uma temeridade o que Dunga está fazendo. Eu levaria André Santos (Fenerbahce/TUR) e Marcelo (Real Madrid/ESP). Marcelo vive grande fase na Espanha, enquanto André Santos foi aquele que se saiu melhor entre todos os laterais-esquerdos testados. Se as seleções adversárias investirem pela lateral-esquerda do Brasil, encontrarão uma “avenida”. Trata-se de dois equívocos graves, os quais podem levar o Selecionado Canarinho ao insucesso nesta Copa do Mundo.

OS ZAGUEIROS

Perfeito. Nada a contraditar. Dunga foi perfeito. Lúcio (Internazionale/ITA) e Juan (Roma/ITA) formam uma das melhores defesas do mundo, senão a melhor – tal como no caso de Maicon quanto à lateral-direita. Luisão (Benfica/POR) correspondeu à altura quando foi chamado. Thiago Silva (Milan/ITA) mostra-se mais competente que Miranda (São Paul-SP/BRA). Este último, a propósito, tem “recaídas em decisões”.

OS VOLANTES

Uma completa demasia. Dunga exagerou. Não há necessidade de tantos volantes. Nunca havia visto uma seleção com tantos volantes na história. Josué (Wolfsburg/ALE), Gilberto Silva (Panathinaikos/GRÉ), Felipe Melo (Juventus/ITA), Kléberson (Flamengo-RJ/BRA) e Ramires (Benfica/POR). Gilberto Silva e Felipe Melo são unanimidades na Seleção Tupiniquim, embora não sejam em seus clubes. Pelo Brasil, sempre jogaram bem e impuseram os seus estilos, defendendo a zaga brasileira com “unhas e dentes”. Melo foi uma grata surpresa até. Ajeitou o meio-campo da Seleção. Incrível. Aquele meia-de-ligação excessivamente individualista da época de Grêmio, desvirtuador de vestiário, deu lugar a um volante competente, que sabe sair jogando, fazer gols e defender como poucos. Kléberson e Ramires são os reservas (qualificados), inclusive, brigando pela terceira posição do meio com os meias avançados que irei analisar no próximo item. Mas e Josué? Qual a necessidade de se ter este atleta? Equívoco gravíssimo, a meu ver, o maior de todos. Isso porque, em razão de Josué, Dunga abriu mão de um meia-articulador. O treinador da Seleção Brasileira engatizou que Josué é de extrema importância para  grupo, fundamentalmente no apoio moral aos companheiros. Ora, então estamos diante de um novo “caso de Perdigão”. Ou vocês não lembram da função do volante Perdigão no Internacional de Porto Alegre-RS/BRA campeão da América em 2006? O treinador da época (Abel Braga) dizia que Perdigão era vital para o grupo por que unia os jogadores e os fazia rir com suas piadas e brincadeiras. Lamentável. Se assim fosse, dever-se-ia contratar “pirrôs” e “palhaços” para atuarem nos times de futebol então.

OS MEIAS

Dunga foi perfeito mais uma vez. Convocou os três atletas que mais atuaram na função e (de fato) se destacaram: Elano (Galatasaray/TUR), Kaká (Real Madrid/ESP) e Júlio Baptista (Roma/ITA). Muitos reclamam da convocação de Júlio Baptista, haja vista que é reserva na Roma/ITA. Sem embargo, trata-se de um jogador que foi fundamental na conquista da Copa América 2007, sem contar que, quando chamado, deu a resposta certa. Também não esqueçamos que o titular da posição dele na Roma/ITA é, nada mais nada menos, que Francesco Totti, grande astro e capitão da Itália tetracampeã mundial. Elano foi convocado por que teve um início avassalador na Seleção Brasileira. Desde o primeiro jogo de Dunga ele deu uma resposta extremamente positiva. Não vem bem ultimamente. Tornou-se reserva no Manchester City/ITA, até ser negociado com seu atual clube. Pode tornar-se reserva no decorrer da Copa. Como falei no item anterior, Ramires e Kléberson lutam por esta vaga também. Kaká é unanimidade mundial. É o craque do time. Sempre jogou demais no Selecionado Canarinho. O problema todo é que não há um reserva para Kaká na Seleção Brasileira. No item anterior explicitei esta situação. Josué foi um erro convocatório. Dever-se-ia convocar Ronaldinho Gaúcho (Milan/ITA), Paulo Henrique Ganso (Santos-SP/BRA), ou qualquer meia-articulador, caso Kaká frustre as expectativas colocadas sobre ele. Vou mais além. E se Kaká lesionar-se? Pronto. A Seleção Brasileira estará perdida, a Copa não será do Brasil. Júlio Baptista não é articulador, mas sim, um “quase atacante”. Elano não é articulador, mas sim, um “quase volante”. Defino a Seleção Brasileira como “um amontoado de fervorosos operários guerreiros, mas com um único arquiteto para tentar algo diferenciado”. Até Douglas (Grêmio) seria bem-vindo nesta Seleção, tendo em vista a situação em que o próprio Dunga colocou-se.

OS ATACANTES

Nada a contrariar. Luís Fabiano (Sevilla/ESP), Robinho (Santos-SP/BRA) e Nilmar (Villarreal/ESP) são unanimidades. Jogaram muitas partidas sob o comando de Dunga e sempre deram a resposta esperada. Goleadores, marcaram uma série de gols importantes e vitais para o sucesso do Selecionado Dunguista, que é o rei dos resultados. Grafite (Wolfsburg/ALE) foi uma escolha criteriosa, a meu ver. Ele foi convocado pelo excelente ano que fez em 2009. Adriano (Flamengo-RJ/BRA) desconvocou-se por meio de sua conduta reprovável. Ronaldo (Corinthians-SP/BRA) acabou com as suas últimas chances de convocação ao apresentar-se acima do peso (novamente) no início de 2010. Vágner Love (Flamengo-RJ/BRA) tem as carcaterísticas de Robinho e Nilmar, estando (no momento) abaixo destes. Hulk (Porto/POR) jogou as últimas partidas da Seleção, porém, não tem perfil para uma Copa do Mundo. Fred (Fluminense-RJ/BRA) seria o nome ideal, na minha opinião, contudo, vem sofrendo com lesões em 2010, além de ter sofrido cirurgia, em razão de uma apendicite, recentemente. Diego Tardelli (Atlético Mineiro-MG/BRA) é um ótimo atacante, está em grande fase, tem experiência internacional, mas não foi a opção de Dunga. Neymar (Santos-SP/BRA) é o melhor jogador em atividade no país, todavia, tem pouquíssima experiência, além de nunca ter sido convocado. Explodiu a poucos dias da Copa do Mundo. Poderia ser um “diferencial técnico” na Seleção, mas seria uma aposta. Portanto, Dunga não errou em suas escolhas quanto aos atacantes.

___

Kaká terá de "fazer mágica" na Copa do Mundo da África 2010. FONTE: Site da FIFA

Oremos!

Tchüss, fusballteigers!!

Anúncios

Uma resposta to “A Convocação da Seleção Brasileira para a Copa da África de 2010”

  1. Junigol Says:

    Tem o jeito mais fácil e o jeito mais difícil para se atingir o objetivo desejado.
    Dunga com certeza escolheu o mais difícil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: