O Curioso Caso de “Benjamin” Jobson

by
Jobson em ação no Brasileirão 2009 contra Fabiano Eller. FONTE: Valdir Friolin, Grupo RBS

Jobson em ação no Brasileirão 2009 contra Fabiano Eller. FONTE: Valdir Friolin, Grupo RBS

O caso de duplo doping do atacante Jobson, do Botafogo-RJ é algo totalmente inédito, em termos de dopagem no Brasil, segundo o médico gaúcho especialista em exames de dopagem, Dr. Eduardo de Rose. A situação de Jobson será definida apenas nos primeiros meses de 2010, ou até mesmo durante o próximo ano, mas desde já o futuro do atacante pode ser considerado uma incógnita. Aos 21 anos, ele pode ser banido do esporte, mas ao mesmo tempo pode pegar um gancho mais “leve”: até quatro anos de suspensão. Depois do resultado positivo da contraprova do exame antidoping realizado após a vitória por 2 a 0 do Botafogo-RJ sobre o Coritiba-PR, no dia 8 de novembro de 2009, a coleta feita ao fim do jogo contra o Palmeiras-SP, em 6 de dezembro de 2009, também apontou traços de cocaína na urina do jogador. O segundo teste para ratificar ou não mais um caso de doping não será feito, uma vez que a CBF não fez a solicitação, e com isso pode ser encerrada prematuramente uma carreira que despontava promissora.

As leis mundiais antidoping preveem que um atleta seja banido do esporte se for condenado por duas vezes por uso de substância proibida. No entanto, existe a possibilidade de a pena ser somente agravada, e assim Jobson poderia pegar uma suspensão de até quatro anos. Esta será linha de defesa traçada para o jogador, ou seja, que os dois casos sejam transformados em apenas um, acabando com o risco de reincidência. Mas no entender do procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, os exames contra o Coritiba e o Palmeiras devem ser encarados como situações diferentes. Segundo Schmitt, se são dois dopings distintos, então deve haver dois julgamentos também distintos. Além disso, o procurador-geral disse que Jobson será julgado em uma sessão extraordinária do STJD. No entanto, preferiu amenizar a decisão sobre os exames positivos do atacante, que tem contrato com o Alvinegro até 31 de dezembro, mas cujos direitos federativos pertencem ao Brasiliense-DF, ao comentar que ainda não há condenação, logo, não há punição. O advogado de Jobson será o mesmo de Dodô e Romário. Que situação lamentável. Pura falta de orientação ao garoto. Um jogador que tinha um grande potencial pode ter jogado toda uma carreira futebolística no lixo. Esse tipo de conduta denota falta de orientação familiar.

Tchüss!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: