Grêmio? não, Estônia

by

Nesta quarta, os comandados de Dunga realizarão partida amistosa contra o selecionado estoniano. É um jogo comemorativo dos 100 anos da Federação Estoniana de Futebol (Ronaldinho Gaúcho está em todos os cartazes de divulgação, mas não foi convocado). Resolvi pesquisar o país anfitrião e sua ‘vasta’ história futebolística. Fiz isso porque é a única utilidade que o torcedor tira do jogo. A CBF, logicamente, vai lucrar bastante. Mas para o torcedor, creio que seria mais interessante ver a seleção brasileira jogar com o misto do Toco Y Me Voy F.C. Então, vejamos alguns dados da Estônia e o seu escrete.

A República da Estônia é um dos três países bálticos, situado na Europa Setentrional, constituído por uma porção continental e um grande arquipélago no mar Báltico. Limita-se ao norte com o golfo da Finlândia, a leste com a Rússia, ao sul com a Letônia e a oeste com o mar Báltico, que a separa da Suécia. Possui pouco mais de 1.600.000 (um milhão e seiscentos mil) habitantes, distribuídos em 45 mil quilômetros quadrados (equivalente ao estado do Espírito Santo).

O país tem ligações culturais e históricas com os países nórdicos, particularmente com Finlândia, Suécia e Dinamarca. A temperatura média do país não passa de 6,5°C. E na década de 40 já registrou -43,5°C.

A Estônia é dividida em 15 Condados (subdivisão administrativa típica dos países anglo-saxônicos), comandados por um governador indicado pelo governo nacional para representá-lo. O país possui um total de 227 Municípios, sendo que a imensa maioria destes são Municípios Rurais. Em que pese isso, a agricultura responde por apenas 3% do PIB nacional.

No futebol, é absolutamente inexpressiva a Seleção Estoniana. Jamais se classificou para uma Copa do Mundo, nem mesmo para uma Eurocopa. A melhor colocação foi nas eliminatórias da Eurocopa de 2000, quando obteve 3 vitórias e ficou em 5° lugar (penúltimo) em uma chave que tinha também os selecionados da República Tcheca, Escócia, Bósnia, Lituânia e a perigosa Ilhas Faroe.

O goleiro Mart Poom foi eleito em 2004 o melhor jogador estoniano dos 50 anos da UEFA, mas o mais conhecido jogador nascido no país é Valeriy Karpin, de ascendência russa e que por isso jogou pela Rússia.

Nas eliminatórias européias para a Copa do Mundo de 2006, a Estônia ficou em 4º lugar no grupo 3, no qual classificou-se o selecionado de Portugal. Nestas eliminatórias, a Estônia, com 5 pontos, ocupa a 5ª (penúltima) colocação no grupo 5, em que lidera a Fúria, com 18. Tudo leva a crer que não terá chances sequer de um lugar na repescagem, ou seja, é praticamente certo que ficará fora do mundial de 2010.

A Estônia ocupa a 112ª posição no ranking da FIFA. O jogo será realizado no campo do FC Flora, na capital Tallinn. O estádio, construído em 2001, é um dos poucos no mundo a contar com um aquecimento subterrâneo para evitar que a neve inviabilize as partidas e para que a grama se mantenha sempre perfeita, de modo a não acontecer mais uma final de mundial de clubes, como a protagonizada em 1987 entre Peñarol e Porto, como foi bem lembrada pelo Junique.

Entre os clubes, o campeonato estoniano é conhecido como Meistriliiga, que tem apenas 10 times, sendo que o primeiro ganha vaga na primeira fase da Liga dos Campeões da UEFA e o último é rebaixado para disputar a Esiliiga. Em 2009 está na liderança o time FC Levadia Tallinn, fundado em 1998; é o São Paulo brasileiro, pois é o atual tricampeão nacional.

Todos os estonianos juntos equivalem a um quinto da torcida do Grêmio. Aliás, fiz a relação com o Tricolor Gaúcho porque as cores da bandeira estoniana são as mesmas do Grêmio. Acho que vou torcer pela Estônia, porque para o Grêmio está difícil.

Então, que a Estônia jogue firme, tenha garra, espírito competitivo e que não se amedronte diante um adversário maior. Afinal, quase todos são maiores.

Finalizando, como sempre trago um trecho de música gaúcha ou algo da cultura. Dessa vez nem uma expressão tradicionalista, mas vai aqui o refrão da música “Serrano, Sim, Senhor!”, que tocou na minha formatura, tratando do meu pago, e o pago é sagrado pra qualquer gaúcho:

“Me orgulho em ser serrano,
pisador de geada fria
domador de ventania
parapeito pra o minuano.
Sou taipeiro veterano,
sapecador de pinhão,
no mundo, que é o meu pontão,
sou monarca soberano”.

3 Respostas to “Grêmio? não, Estônia”

  1. mzerbes Says:

    “A perigosa Ilhas Faroe” foi ótima…hehehe…

  2. RodriNIGHT Says:

    E o jogo foi um magro 1×0…

  3. Roberto Ortiz Alves Junior Says:

    Se o time azul jogar que nem ontém acho que nem de Ilhas Faroe vencemos hehehe.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: