Inter Cai de 4 para o Mengo e Deflagra a Crise no Beira-Rio às Vésperas das Decisões na Recopa e na Copa do Brasil

by
Adriano, o carrasco colorado, marca 3 e a torcida rubro-negra delira: "ohhhhhh, o Imperador voltou! O Imperador voltou! O Imperador voltou! Ohhhhhh..." FONTE: Estadao.com.br

Adriano, o carrasco colorado, marca 3 e a torcida rubro-negra delira: "ohhhhhh, o Imperador voltou! O Imperador voltou! O Imperador voltou! Ohhhhhh..." FONTE: Estadao.com.br

Às vezes nada dá certo. Foi o que aconteceu com o Inter na tarde deste domingo, quando levou 4 a 0 do Flamengo no Maracanã, perdendo a invencibilidade no Brasileirão. Adriano anotou três gols, e o outro foi de Emerson. Já são 5 jogos sem vencer, e a crise parece ter chegado com força às imediações da beira do rio. Com o resultado, o Colorado fica na vice-liderança com 14 pontos e deixa o Atlético-MG se isolar na ponta com 17. Já os rubro-negros se recuperam depois da goleada por 5 a 0 para o Coritiba e vão a 10 pontos. O primeiro golpe sofrido pelo Inter foi antes do início do jogo: Taison sentiu um desconforto muscular e foi barrado da partida. O substituto foi Bolaños, que fez sua estreia vestindo a camisa vermelha. Nos primeiros minutos, o Inter tocava a bola, tentando aproveitar os espaços do extenso campo do Maracanã. Mas a distância de Bolaños para Alecsandro também era grande, e a bola mal chegava no centroavante. O Flamengo era mais objetivo, e apostava nas jogadas pelos lados, principalmente pela esquerda com Juan. Jogando melhor, os donos da casa abriram o placar logo aos 12 minutos em um contra-ataque rápido. Giuliano perdeu a bola no campo de ataque e Ibson fez um lançamento rápido para Adriano. O único zagueiro que estava no campo de defesa era Álvaro, que não conseguiu alcançar o atacante rubro-negro, e ainda livrou o adversário do impedimento. Adriano ingressou na área pela esquerda. Lauro saiu do gol para tentar interceptar o atacante, mas ele chutou forte e abriu o placar. Depois do gol, o Inter se desorientou, e o toque de bola já não funcionava mais como antes. O Flamengo ficou mais fechado, e apostou nos alas Juan e Léo Moura para promoverem saídas rápidas em contra-ataque. Em uma destas investidas rubro-negras, aos 35 minutos, Giuliano perdeu a bola para Léo Moura pela direita. O lateral foi ao flanco e cruzou rasteiro. Ibson deixou a bola passar e Emerson enche o pé para desferir um chute forte, ampliando a vantagem do Flamengo no placar. Com 2 a 0 de vantagem, os jogadores rubro-negros congestionaram o meio-campo. O Inter já não conseguia tocar a bola e atacar como costuma fazer. A falta de entrosamento do time desfalcado impedia que Bolaños e Andrezinho construíssem as jogadas pela esquerda. Na direita, Giuliano tentava achar o equatoriano, mas a defesa rubro-negra sempre interceptava os lances. No intervalo, Tite sacou Giuliano e Bolaños para promover as entradas de Glaydson e Leandrão. Alecsandro tornou-se um jogador de mais movimentação. Mas quem atacou na etapa final foi o Flamengo. Juan e Léo Moura criavam bastante oportunidades pelos lados, sem dar ao Colorado a chance de brigar pelo empate. O Inter ficou mais tempo tentando evitar o quarto gol que lutando para descontar. O jogo era tão fácil para o Flamengo que a torcida pedia a entrada do sérvio Petkovic. Aos 21 minutos, Léo Moura se chocou com Glaydson na área colorada, e o árbitro José Henrique de Carvalho marcou pênalti. Depois de escantear Léo Moura e Juan, que queriam bater, Adriano segurou a bola e chamou para si. Lauro ficou pulando de um lado para o outro em cima da linha. Assim, o experiente centroavante esperou o goleiro saltar para a esquerda para chutar forte e rasteiro no canto direito, anotando o quarto gol do Flamengo. O Inter sentia o golpe e se limitava a tentar evitar um placar ainda mais elástico. Com o placar elástico a seu favor, o Flamengo relaxava. Este foi o triste fim de um dia em que nada deu certo para o time de Tite.

Brasileirão, sétima rodada, 21/06/2009
Horário:
18h30min (de Brasília)
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Arbitragem: José Henrique de Carvalho, auxiliado por Marcelo Carvalho Van Gasse e João Bourgalber Chaves (trio paulista)
Público: 15.864
Renda: R$ 249.961
Cartões amarelos: Ronaldo Angelim, Fabrício, Bruno, Emerson (F); Guiñazu, Sandro, Giuliano, Álvaro, Glaydson (I)
Gols: Adriano, aos 12min e 46min do primeiro tempo e aos 21 do segundo tempo; Emerson, aos 35 do primeiro tempo
FLAMENGO 4 INTER 0
Bruno, Welinton, Fabrício e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura (Fierro, 39/2ºT), Toró, Willians, Ibson (Petkovic, 37/2ºT) e Juan; Emerson e Adriano (Everton, 44/2ºT). Lauro; Danilo Silva, Indio, Álvaro e Marcelo Cordeiro; Sandro, Guiñazú, Giuliano (Glaydson, intervalo) e Andrezinho; Alecsandro e Bolaños (Leandrão, intervalo).
Técnico: Cuca. Técnico: Tite.
Estreia deprimente de Bolaños no Internacional. FONTE: ClicRBS

Estreia deprimente de Bolaños no Internacional. FONTE: ClicRBS

Um time que vinha com a “grife” de Time Galáctico, que promete ganhar tudo no ano do centenário – segundo palavras de Kenny Braga e Vitório Píffero – e pretende reverter um resultado improvável de 2 a 0 numa final de Copa de Brasil, não pode tomar uma “lavagem”  como a que levou do Flamengo – que, até então, estava em crise. Vai ser difícil reorganizar o time já para a decisão da próxima quinta-feira ante a LDU/EQU, em jogo válido pela Recopa Sul-americana. A torcida já pede a saída do Pastor Tite no comando técnico. O Inter “não viu a cor da bola” no Maracanã, e terá que “rodar a baiana” se quiser vencer a Copa do Brasil e a Recopa, confirmando as previsões ufanistas de Braga e Píffero…

Tchüss!!

Anúncios

5 Respostas to “Inter Cai de 4 para o Mengo e Deflagra a Crise no Beira-Rio às Vésperas das Decisões na Recopa e na Copa do Brasil”

  1. Rodrigo Says:

    OOOOOOOOOOOooooooooooooooooooooooooooooooooo o imperador voltou!!!

  2. Rodrigo Says:

    É FESTA NA CHATUBA!!!

  3. Gustavo Says:

    Não tinha visto os gols da partida. Além do histórico do inter de levantar defunto e de ser flanelinha, sou obrigado a comentar 2 gols: no segundo, o cara domina livre à frente da marca do pênalti. Tem tempo de parar, escolher o canto e deslocar o goleiro. Deprimente a defesa do inter.

    E, no terceiro gol, chama a atenção a ingenuidade do goleiro do inter, que posiciona a barreira com 4 jogadores e fica esperando cruzamento na área. Seria o normal daquela posição. Mas, vendo que o Adriano foi bater, até a minha avó previu que ele bateria a gol. Lógico. se o centroavante, bom na bola aérea sai da área pra bater a falta, certo que bateria a gol. Ainda mais o Adriano, que não enxerga companheiro quando vê a goleira pela frente. Lamentável o lance do lauro.

    Pode ser coisa de secador, mas o inter vem se repetindo: impressiona a todos antes do campeonato começar. Depois que começa, dá um susto inicial e depois cai. EU JÁ SABIA!!!

    Índio e Álvaro: as novas ovelhinhas do pastor Tite!

  4. Roberto Ortiz Alves Juinor Says:

    Gosto do Adriano porque ele, além de ser goleador nato, é um cara saudável. Ele, como eu, adora comer frutas.
    Abraços!!!

  5. mzerbes Says:

    “Ele, como eu, adora comer frutas”…

    hahahahahhahahahahahhahahahaha…

    é o gênio do humor sarcástico esse meu amigo Júnior…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: