Bordeaux Quebra a Hegemonia do Lyon e é o Mais Novo Campeão Francês

by
Jussiê comemora com os franceses o título do Campeonato da França, Temporada 2008/09.

Jussiê comemora com os franceses o título do Campeonato da França, Temporada 2008/09.

Finalmente, o Campeonato Francês tem um campeão diferente do Lyon: após sete títulos do time de Juninho Pernambucano, o Bordeaux venceu o Caen por 1 a 0 neste sábado, fora de casa, e conquistou a taça. O gol foi marcado por Gouffran, de cabeça, aos quatro minutos do segundo tempo. Revelado pelo Caen, o atacante pouco comemorou o gol que rebaixou sua ex-equipe, apesar de estar garantindo o título. A equipe dos brasileiros Jussiê (ex-Cruzeiro-MG/BRA), Fernando Menegazzo (ex-Grêmio), Henrique e Wendell (ex-Santos-SP/BRA), treinada por Laurent Blanc, não era campeã nacional desde 1999 e agora chegou ao sexto título no Francês. Coincidentemente, comentei com meu colega de blog, Alemão Pizoni, sobre o título do Bordeaux e questionei: mas quem será o treinador? Não duvido qu seja o Aimé Jacquet (treinador campeão do mundo com a França e que anda meio sumido do cenário futebolístico). Nos impressionamos mais ainda quando vimos quem era: o grande capitão da Seleção Francesa no título mundial ante o Brasil, autor do gol que derrotou o Paraguai nas oitavasde-final, em um dos jogos mais desiguais e mais emocionantes da história das Copas, Laurent Blanc. A moda dos ex-jogadores que se tornam treinadores e depois ganham grandes títulos segue na moda (vide Josep Guardiola, Luís Felipe Scolari e Frank Rijkaard). O Olympique de Marselha venceu o Rennes por 4 a 0 (dois gols de Niang, um de de Koné e um contra de Douchez), em casa, mas não conseguiu tirar a taça do Bordeaux e segue na fila: não vence o campeonato desde 1992. Após 38 rodadas, o Bordeaux somou 80 pontos, três a mais que o Olympique. O Lyon, já sem Juninho, empatou em 0 a 0 com o Toulouse, terminou em terceiro com 71 e também estará na próxima Liga dos Campeões. Maior vencedor do campeonato com 10 conquistas, o Saint-Etienne conseguiu se livrar do rebaixamento: o time bateu o Valenciennes de Jeovânio (ex-Grêmio) por 4 a 0 e ficou em 17º lugar, com 40 pontos. O brasileiro Ilan, Mirallas e Gomis (dois) marcaram. Caen (37 pontos), Nantes (37) e Le Havre (26) estão rebaixados. O Toulouse, quarto colocado, jogará a próxima Liga da Europa (nova versão da Copa da Uefa). Os outros resultados foram: Grenoble 0x1 Sochaux, Lille 3×2 Nancy, Lorient 1×1 Le Mans, Nantes 2×1 Auxerre, Nice 0x0 Le Havre e PSG 0x0 Monaco. FONTE: ClicRBS.

Não acompanhei muito os jogos do Bordeaux neste ano. Acreditava que o título iria mais uma vez para o incansável Lyon ou que o clube a quebrar a hegemonia deste último seria o Paris Saint-Germain. Como se vê na ilustração acima (FONTE: Blog Preleção do ClicRBS), o Girondins de Bordeaux/FRA atua no esquema 4-4-2. Segundo o comentarista, com a bola, o Bordeaux mais parece um time brasileiro do final da década de 80.  O meio-campo se desenha praticamente em quadrado, com o cabeça-de-área mais à esquerda (o francês Diarra), um segundo volante mais à direita, o qual distribui mais o jogo (o brazuca já convocado para a Seleção do Brasil, Fernando Menegazzo), e dois meias condutores de bola, no melhor estilo Rodrigo Mendes (o francês da Seleção de seu país Gourcuff e o brazuca revelado pelo Cruzeiro-MG/BRA Jussiê). A estratégia da equipe treinada por Laurent Blanc é reter a posse de bola e variar as jogadas. Eles não costumam fazer a ligação direta defesa-ataque, como amam fazer os clubes sul-americanos que se aproveitam da altitude. Boa parte das jogadas passa pelos pés de Fernando Menegazzo que, centralizado, distribui o jogo para os meias mais avançados. Gourcuff cai pela direita, atraindo o apoio do lateral Chalmé, euqnato na esquerda, Jussiê se aproxima para tabelar com o lateral Trémoulinas. O mais inusitado de tudo isso, é que não estranho os nomes dos jogadores porque áa tive a oportunidade de jogar com o time do Bordeaux/FRA no Pro Evolution Soccer 2009 e levantar todas as taças possíveis, após a contratação do meu ídolo Ibrahimovic. Ah, Jussiê e Gourcuff costumam entrar em diagonal e arrematar de fora da área com grande perigo. Chamakh, o centroavante, é marroquino e abusa da velocidade. Lembra um pouco o turco Hakan Sukur. O goleiro não entrega na hora H e costuma fazer bons jogos sem comprometer – falo de Ramé. Um dos jogadores mais valorizados do time, senão o mais, é o primeiro volante da Seleção Francesa, Diarra. Ele tem uma expressão física bastante similar a de outro francês: Patrick Viera. Ambos são altos, têm muita força física, são lentos e extremamente combativos. Na campanha do título francês, alguns jogadores foram muito importantes. O argentino Cavenaghi vinha fazendo os seus gols, mas acabou sucumbindo no decorrer do torneio e acabou mofando no banco. O brazuca Wendell era titular da meia até se lesionar. Bellion costuma ser o 12º jogador do time, estilo Andrézinho do Internacional-RS/BRA.

Tchüss!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: