Dossiê Libertadores’2009: Os 8 Melhores da América (Parte 3)

by
Keirrison foi contratado pelo Porco junto ao Coxa para ser o goleador do time na Temporada 2009, todavia, o goleador tem amarelado nas decisões...

Keirrison foi contratado pelo Porco junto ao Coxa para ser o goleador do time na Temporada 2009, todavia, o goleador tem amarelado nas decisões...

Dando prosseguimento ao exame dos 4 confrontos das quartas-de-final da Copa Libertadores da América, a bola da vez é a batalha entre Nacional/URU e Palmeiras-SP/BRA. O time brasileiro vem crescendo a cada jogo que passa. O Porco começou muito mal o torneio, tendo sido derrotado em casa pelo Colo-colo/CHI de Lukas Barrios, e fora pelo Sport Recofe-PE/BRA de Paulo Baier. De quebra, o Porco fora eliminado nas semi-finais do Campeonato Paulista pelo Santos-SP/BRA do garoto Neymar na mesma época. Tudo indicava que o Palmeiras seria eliminado sumariamente da Libertadores da América 2009, cedendo a sua vaga para o Colo-colo/CHI, mas ninguém contava com a estrela de Cleiton Xavier, que nos segundos finais do jogo decisivo da Fase Classificatória, na casa do time chileno, marcou um gol histórico. Até a cabeça do treinador Wanderley Luxembugo já estava sendo colocada a prêmio. Como se não bastasse, o Palmeiras-SP/BRA reencontrou o Sport Recife-PE/BRA nas oitavas-de-final do torneio. Novamente duas batalhas memoráveis, e a decisão foi levada para os pênaltis. Aí São Marcos, o grande e eterno goleiro catador de pênaltis do Parque Antárctica, foi mortal: pegou 3 pênaltis e classificou os paulistas para a atual fase de quartas-de-final. Agora, os palmeirenses têm um novo desafio pela frente: o Nacional/URU. Não será nada fácil, haja vista que os uruguaios voltaram a formar um time de muita raça e bem competitivo este ano. O atual esquema adotado por Luxemburgo é o 3-5-2 com a seguinte escalação: Marcos; Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Fabinho Capixaba, Pierre, Souza, CLeiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison. A formatação do time o Brasil inteiro já conhece, mas não custa recordar: Marcos vive grande fase novamente e vem operando milagres como nos velhos tempos, tanto que já anda pensando em Seleção Brasileira; o trio de zagueiros não é nada confiável, a começar pelo tosco Marcão (dispensado melancolicamente pelo Internacional-RS/BRA), até porque, nenhum deles sabe sair jogando, ou seja, os três são beques do estilo “bicador”; os dois alas são sofríveis, muito embora sejam esforçados (Fabinho Capixaba é um projeto de lateral, enquanto o lateral-esquerdo colombiano trazido do América de Cáli/COL demonstra muita raça e pouquíssima técnica); Pierre é um cabeça de área que não compromete, sabe fazer o “feijão com arroz”; na meia de ligação, Cleiton Xavier não vem repetindo suas grandes atuações do ano passado quando representou as cores do Figueirense-SC/BRA, mas o Porco tem vivido de seus lampejos; já o ataque formado por Diego Souza e Keirrison é, deveras, o ponto forte do time, sendo desnecessárias quaisquer colocações acerca destes dois profissionais. O time de Luxa costuma atacar pelo meio, a partir das jogadas individuais de Cleiton Xavier e das arrancadas a dribles de Diego Souza. Os alas são apenas “simbólicos”, haja vista que pouco contribuem ofensivamente. O oportunismo e a velocidade de Keirrison segue o credenciando como um centroavante muito perigoso, em que pese a sua má fase atual.

Nacional/URU foi favorecido pela manobra reprovável da Conmebol que não soube conduzir o caso dos clubes mexicanos em relação à Gripe Suína.

Nacional/URU foi favorecido pela manobra reprovável da Conmebol que não soube conduzir o caso dos clubes mexicanos em relação à Gripe Suína.

Do lado uruguaio, a expectativa é muito grande pela busca de mais um título continental. Dizem os jornais uruguaios que há tempos não se via um time tão compacto e astuto como o atual do Nacional/URU. Favorecido por uma manobra equivocada de parte da Conmebol, haja vista que não entrou em acordo com os clubes mexicanos em razão da epidemia da Gripe Suína que assolou o México, e nem convocou para as oitavas-de-final os teceiros colocados Everton/CHI e Universitário/PER, o Nacional/URU nem precisou se desgastar para chegar até a fase de quartas-de-final. O Nacional/URU classificou-se como primeiro colocado do Grupo 3 da Fase de Grupos do torneio, com um total de 14 pontos, ficando em segundo lugar o San Martin/PER com 8 pontos, clube já eliminado na fase de oitavas-de-final pelo Grêmio. River Plate/ARG com 7  pontos e Nacional/PAR com 4 pontos foram eliminados. O time do treinador Geraldo Pelusso joga num ousado 3-3-2-2 com a seguinte escalação: Muñoz; Vitorino, Coates e Romero; Rodrigues, Morales e Arismendi; Fernández e Lodeiro; Bizcayzaku e Mondaini. Os três zagueiros jogam fixos na defesa, pouco saindo para o jogo. Os três volantes cobrem a defesa e têm o dever de conduzir a bola até os dois articulares, que por sua vez, armam as jogadas para a dupla de ataque. Muñoz é o terceiro goleiro da Seleção Uruguaia, mas não é excepcional. O trio de zagueiros é extremamente rápido e ágil, porém, têm um problema que tira o sono do treinador Geraldo Pelusso: todos são de estatura baixa, razão pela qual, as bolas levantadas para a área de Muñoz são sinal de perigo iminente. Na meia de ligação, Fernández é um meia daqueles velocistas, lembrando Éder Luís (atualmente no Atlético Mineiro-MG/BRA), enquanto Lodeiro é considerado o cérebro do time. Quanto aos atacantes, Mondaini é uma espécie de “quase gol” do Uruguai, lembrando o atacante Germán Herrera do Grêmio, ao passo que Bizcayzaku é tido como um matador impiedoso .O Nacional/URU é um dos clubes mais tradicionais do mundo, isso porque, sagrou-se tricampeão da América e tricampeão do mundo (1971, 1980 e 1988), além de ter sido campeão da Recopa em 1988, da Copa Inter-americana em 1972 e 1989, e 30 vezes campeão uruguaio. Caso o clube uruguaio passe de fase, haverei de entrar em maiores detalhes sobre o histórico do Nacional/URU, que é bem interessante.

Símbolo do Nacional/URU, da cidade de Montevidéu.

Símbolo do Nacional/URU, da cidade de Montevidéu.

Todos sabem que não sou de ficar em cima do muro. Desta vez não será diferente. Torço pela classificação do clube uruguaio, até porque, faz anos que um clube do Uruguai não chega às finais (não fossem os erros de arbitragem escabrosos do ano de 2006, quando o Nacional/URU, na época liderado por Vanzini, teve dois gols legítimos anulados em pleno Estádio Beira-rio, no confronto ante o Internacional-RS/BRA, válido pela fase de “mata-mata” da Libertadores da América, o time uruguaio teria chegado às finais e o clube gaúcho jamais teria conquistado os maiores títulos da sua recente história – Campeonato Americano e Mundial). Contudo, creio que as individualidades de Diego Souza, Keirrison e Cleiton Xavier devam fazer a diferença em prol do time de Luxemburgo, o qual acredito que será o classificado para as semi-finais. Mas não será nada fácil. Se não respeitar o Nacional/URU, serão surpreendidos. Basta observar o video logo abaixo para ver o que aconteceu com o River Plate/ARG na Fase Classificatória lá em Montevidéu. O narrador chega a dizer: “mas que paulada em time de Gorosito” (numa alusão à goleada sofrida pelo clube argentino comandado pelo ex-volante do Independiente de Avellaneda/ARG. No papel, os times de Nacional/URU e Palmeiras-SP/BRA se equivalem, com exceção das três individualidades que acabei de elencar nas linhas supra. Baita jogo de bola!

Tchüss!

Anúncios

Uma resposta to “Dossiê Libertadores’2009: Os 8 Melhores da América (Parte 3)”

  1. Gustavo Says:

    Acho que Keirrison amarela nesse jogo. Apesar de ver em Diego souza o diferencial que poderia dar ao Palmeiras a classificação, acho que dessa vez o Nacional faz o créu nos paulistas, eles tremem contra times aguerridos como é este do Nacional e como são os times do sul.

    Como eu disse, se o Palmeiras passar, vai ser com destaque a Diego Souza. E da estrela de Luxa. Cleiton Xavier pra mim foi só um lampejo. E Keirrison, sem ser devidamente alimentado no ataque, nada faz. Agora, como eu disse, se Diego estiver inspirado, mesmo que não faça gol, tem condições de pifar o K9 e aí é meio gol.

    O problema é que coletivamente o Palmeiras não vem bem. E na Libertadores só individualidade normalmente não basta…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: