Dossiê Libertadores’09: Os 8 Melhores da América (Parte 1)

by

A partir de hoje, até o dia do primeiro jogo válido pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, farei aqui neste espaço uma análise sobre cada um dos quatro confrontos que decidirão quem são os 4 melhores clubes da América. Pela ordem hierárquica (dadas as colocações dos clubes na Fase Classificatória), analiso no dia de hoje o confronto Grêmio X Caracas/VEN. O Grêmio, como todos sabem, é o time de melhor campanha em toda a Libertadores, tendo vencido todos os seus jogos e empatado apenas o jogo de sua estreia na competição ante o Universidad de Chile/CHI. O time vem numa boa ascendência desde a saída do treinador Celso Roth (atualmente no Atlético Mineiro-MG/BRA), tendo passado para a fase de oitavas de final e sequencialmente para a de quartas de final, sob o comando do técnico interino Marcelo Rospide, sem dificuldade alguma. Após 43 dias de espera, o Imortal Tricolor finalmente anunciou o novo dono da sua casamata: o festejado Paulo Autuori. Com ânimo renovado, o Grêmio enfrentará neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, na estreia de seu novo técnico, o Botafogo-RJ/BRA. O Grêmio é o 12º colocado no Campeonato Brasileiro 2009. Ademais, a tendência é de que Autuori modifique o esquema tático gradualmente. O atual 3-5-2, que tanto sacrifica o Capitão Tcheco e deixa o time vulnerável, deverá dar lugar a um clássico 4-4-2, aproveitando ao máximo as habilidades técnicas de Tcheco e Souza na articulação, e armando um paredão frente à defesa com os volantes Túlio e Adilson. Rafael Marques deve dar lugar a Túlio. Alex Mineiro deve disputar posição com Jonas, ao que tudo indica. Para o jogo deste domingo, o Tricolor deve ir a campo com Victor; Léo, Réver e Rafael Marques; Ruy, Túlio, Tcheco e Souza; Jonas e Maxi López. Como Adilson está suspenso em razão do terceiro cartão amarelo e não enfrentará o Caracas/VEN no jogo de ida pelas quartas de final da Libertadores, Autuori deverá promover a titularidade de Túlio já neste domingo, até para entrosar o meio de campo. O problema de última hora que surgiu no Monumental já fora anunciado pelo meu amigo blogueiro Alemão Pizoni em post pretérito: Victor, peça fundamental no time do Grêmio, não jogará o jogo de volta pela Copa Libertadores da América e nem o jogo de ida das semi-finais, caso o Imortal Tricolor passe de fase.

Réver promete não dar sossego ao argentino Darío Figueroa no confronto ante o Caracas/VEN.

Réver promete não dar sossego ao argentino Darío Figueroa no confronto ante o Caracas/VEN.

Do lado do Caracas/VEN, só boas notícias. O clube vive uma euforia sem pormenores, uma vez que jamais havia chegado tão longe no torneio mais importante da América. Os venezuelanos vêm credenciados pela eliminação na fase classificatória, além do Everton/CHI, do atual líder do Torneo Apertura 2009 válido pelo Campeonato Argentino, Lanús/ARG. Nas oitavas-de-final eliminaram o Deportivo Cuenca/EQU com uma derrota de 2 a 1 fora, e uma estrondosa goleada em seus domínios (4 a 0). Nota: os equatorianos vinham de vitória sobre o temido Boca Juniors/ARG. Caracas Fútbol Club é um clube sediado na cidade de Caracas, na Venezuela, o qual ganhou nove títulos do Campeonato Venezuelano de Futebol e três Copas da Venezuela. O clube é conhecido como Los del de Rojos Ávila, em alusão às camisas vermelhas usadas por seus jogadores, como também Cerro El Ávila, um monte situado perto da cidade. Originalmente fundado em 1967, o time jogou por muitos anos como clube amador. Em meados de 1980, o time se chamava Yamaha, e naquele momento, tinha êxito em vários campeonatos amadores. Em 1984, o time foi renomeado como Caracas-Yamaha, e foi apresentado à Liga de Futebol Americano Profissional Venezuelana para participar na Segunda  Divisão daquele campeonato. O time obteve o ingresso à Primeira Divisão depois de ganhar o Segundona na primeira oportunidade em que teve. No uniforme, predominam as cores preto e vermelho. O atual presidente do clube é o também venezuelano Guillermo Valentiner. O Caracas/VEN manda os seus jogos no Estádio Cocodrilos Sports Park, com capacidade para 3.500 pessoas. Como o estádio não comporta a capacidade mínima que exige a Copa Libertadores da América, o clube vem atuando no Estádio Olimpico Ataualpa de Caracas, com capacidade para 30.000 pessoas. O time comandado pelo treinador venezuelano Noel Sanvicente joga no esquema 4-4-2 com a seguinte escalação: Javier Toyo; Barone (lateral-direito uruguaio), Rey, Cichero, e Bustamante; Edder Pérez, Luís Vera (capitão do time), Darío Figueroa (meia argentino) e Prieto (meia-atacante mexicano); Castellín e Rentería. O ponto forte do time é a velocidade que implementa em seus contra-ataques. Rentería, Figueroa e Prieto formam um tripé no ataque venezuelano. Muito rápidos, eles abusam das jogadas de 1×2 e chutam bem de fora da área. O argentino Figueroa é o centro do time. Todas as jogadas ofensivas passam pelos seus pés. Na defesa, o destaque é o xerifão Rey. Ele é zagueiro da Seleção Venezuelana há anos e transmite muita segurança a todo o time. Será um páreo duro, mas na minha análise, o Grêmio passa (e bem) pelo Caracas/VEN, tendo em vista a sua melhor qualidade técnica, melhor treinador e maior tradição.

O zagueirão Rey comemora o seu gol com o meia Prieto, ante o Deportivo Cuenca/EQU no jogo passado.

O zagueirão Rey comemora o seu gol com o meia Prieto, ante o Deportivo Cuenca/EQU no jogo passado: um golaço de falta.

A Conmebol anunciou nesta sexta-feira os trios de arbitragens para as partidas de ida das quartas-de-final da Copa Libertadores. O uruguaio Roberto Silvera apitará a partida entre Caracas/VEN e Grêmio, dia 27 de maio,  às 21h50min, na Venezuela. Ele será auxiliado pelos assistentes Miguel Nievas e Marcelo Gadea.

Tchüss!

Anúncios

4 Respostas to “Dossiê Libertadores’09: Os 8 Melhores da América (Parte 1)”

  1. Gustavo Says:

    Zerbes, um pesquisador futebolístico nato. Parabéns pela matéria, muito produtiva historicamente, demonstrando amplo conhecimento sobre o time adversário. Poderia fazer um relatório e mandar pro Autuori.

    Mas devo alertar: a palavra ascendência (O time vem numa boa ascendência desde a saída do treinador Celso Roth) se refere a antepassado. O correto é ascensão (elevação, subida). E a palavra pormenores (detalhes), no trecho “euforia sem pormenores”, para dar sentido à frase, deveria ser substituída por precedentes. hehehe… tenho feito isso depois das correções feitas aos meus comentários por parte deste blogueiro. E isto é saudável

    Corrigindo estes detalhes, pode mandar pro globoesporte.com que publicariam certo a matéria. No aguardo das próximas, a fim de aprimorar o conhecimento futebolístico.

    • mzerbes Says:

      Tchê, eu não posso crer que agora eu terei que ficar te dando aulas sobre a língua portuguesa a cada “post” que eu elaboro…hahaha… eu só posso imaginar que tu te dás ao trabalho de pegar cada vocábulo que eu escrevo e consultar no dicionário, sempre na tentativa de achar algo errado, em razão de uma mera retificação que eu fiz a Vossa Senhoria. Bom, de qualquer modo, lá vai a lição: segundo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira (in Miniaurélio. 6. ed., rev. e atual. Curitiba: Editora Positivo, 2008. P. 145,) “ascendência” é sinônimo de ascensão (1); de maneira figurada, quer dizer prestígio, influência (3); série de gerações de um indivíduo; origem; progênie; ascendente (4). Finalmente, no que tange à expressão “sem pormenores”, trata-se de um termo que significa sem explicação. É uma expressão utilizada de maneira anexa. Se for separada a expressão, aí ela atingirá outros significados diversos (que é o caso das tuas asseverações, meu amigo de Bom Jesus-RS…hehe).

      No mais, é sempre bom voltar a falar com o amigo. O reencontro dos garotos da T 159 foi legal na quinta-feira, mas muita gente deixou de vir. Quarta-feira que vem é no ap do Pedrinho.

      Abraço!

  2. Gustavo Says:

    Seguindo a lição gramatical, cumpre registrar que, apesar de ser um sinônimo, ascendência é muito mais utilizada para expressar antepassado, série de gerações anteriores a um indivíduo; origem, progênie.

    Um redator de sua estirpe sabe que devemos ser claros ao escrever. E ler ascendência para justificar subida me doeu nos olhos, sendo esta a razão pela qual fui procurar no dicionário. Não me daria ao trabalho de conferir cada palavra que escreves, primeiro porque são muitas e segundo porque confio nos seus conhecimentos. Mas de qualquer forma, tenho que concordar que não está errada a palavra.

    Agora, em relação a “sem pormenores”, já que quiseste me dar uma aula de português, vou lhe dizer: – não me enrola que eu não sou panqueca! concordo que pormenores seja detalhes e que “sem pormenores” venha a significar “sem explicação”. Mas aí a frase ficaria fora de contexto, já que explicação é o que o Caracas mais tem para tamanha euforia, pois jamais esteve em tal fase da Libertadores. A euforia é, pois, sem precedentes, hehehe…

    Desculpe meter o bedelho em tua aula, meu objetivo não era deslustrar o teu prestígio, nem despertar tamanha (e arrogante) ira.

    DÁ-LHE GRÊMIO, AGORA COM UNIFORME DE MARINHEIRO!

  3. mzerbes Says:

    hahahhahahahhaha…. beleza!!! Sou obrigado a concordar que “sem precedentes” ficaria melhor.

    Apenas para constar, mas o modelo de REsp das ações da CRT já se encontra disponível na caixa de emails do amigo.

    Espero que seja de muita valia para o colega de profissão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: