Goleiro de futsal

por

O Toco Y Me Voy, grupo de futebol cujo nome coincide com o deste blog, tem os mesmos criadores, embora somente há poucos meses houve uma convergência entre quadra e internet. Todavia, há muito tempo jogamos futsal juntos; e tomara que esse grupo persista pelos próximos 30 anos. Mas o que me faz escrever hoje é um tema que acho de suma importância para o desenvolvimento do nosso futsal.

Muito embora me falte perna e habilidade, eu tento ver o jogo. E, em um determinado tema, acredito que eu seja voz única a brandir: o uso estratégico do goleiro. Mas apesar de não contar com o apoio da grande parte dos companheiros de time, eu sempre insisto: precisamos aprender a jogar com o goleiro.

O futsal possui regras que o tornam muito dinâmico. É uma quadra pequena, na qual o jogo fica muito compacto e qualquer movimento errado pode gerar contra-ataque e redundar em gol. É preciso muito toque de bola, sem ansiedade para definir a jogada (a condução atrapalha o posicionamento do time e é quase sempre infrutífera, salvo se é um falcão da vida).

Quando jogam 4 contra 4, a marcação está sempre próxima, o que significa dizer que é a situação muito mais propícia para o movimento errado falado no parágrafo anterior. Por isso, falo tanto do uso do goleiro. É a vantagem numérica de que falo.

É fato que eu defendo, sobretudo, quando EU sou o guarda-metas. Mas é mais do que simples vontade de participar do jogo. É um sistema tático que tento implantar no grupo, principalmente porque somos formados por 10 jogadores de linha, havendo um revezamento no gol.

É uma questão de raciocínio lógico: Se futsal bem jogado depende de bom posicionamento e toque de bola rápido, é evidente que, a vantagem numérica é preponderante.

Mas como fazer para poder jogar com o goleiro? Ora, se a bola estiver em jogo na parte defensiva, o goleiro jamais pode ficar em um dos cantos da quadra. E ele tem 4 segundos para tocar a bola. Qual a consequência disso? Não pode ter um jogador de linha aproximando pelo meio, na frente do goleiro! Isso atrai a marcação e coloca perigosamente o time em risco. Mas isso acontece invariavelmente SEMPRE! Subutilizamos o goleiro na meia-quadra defensiva.

Ora, é preciso abrir as jogadas. Assim, os dois mais da frente devem se movimentar em revezamento, sendo que um extremamente aberto e o outro aparecendo de surpresa na meia cancha ofensiva. Já os dois de trás, NECESSARIAMENTE, devem passar do meio da quadra, ficando UM DE CADA LADO, para poder recuar tantas vezes quantas forem necessárias para o goleiro, até arrumar espaço para avançar. E isso NUNCA acontece.

A jogada de escanteio é a única em que utilizamos o goleiro com razoável frequência, mas ainda carece de aprimoramentos, como por exemplo, o corredor paralelo SEMPRE fica com o goleiro. E os jogadores mais recuados devem se posicionar, um deles ao lado do goleiro, do outro lado da quadra; e o outro, deve ficar pouco à frente do goleiro e SAIR para dentro da área antes da cobrança. Isto tem duas funções: aparecer como opção dentro da área e puxar a marcação. Nessa jogada, o ataque SEMPRE vai estar em vantagem numérica. O goleiro precisa se adiantar um pouco para dar essa opção.

Obviamente, essas considerações são aplicáveis ao nosso futebol amador, porque não temos condições técnicas e físicas (sobretudo) de fazer o sistema de rotação o jogo todo. Muito embora haja constante utilização do goleiro no futsal profissional.

Tudo o que eu falei é o óbvio ululante, mas incrivelmente estas noções tão básicas não são utilizadas corretamente em nosso grupo de terças à noite. Mas eu vou continuar insistindo, mesmo que seja o único a erguer essa bandeira, como um farrapo o faria pelo Rio Grande.

Por fim, hoje, que não teve nada de gaudério na coluna, vou colocar as faltas que o goleiro pode cometer. Espero que isso ajude nos jogos, que estão ficando cada vez melhor.

2. Faltas Pessoais – Pratica falta pessoal um atleta que comete intencionalmente uma das seguintes infrações:
(…)
d. Sendo o goleiro com a bola em jogo:
» Após realizar uma defesa ou receber uma bola, legalmente de um seu companheiro poderá lançá-la diretamente a meta adversária podendo ultrapassar a linha divisória do meio da quadra. Se, o arremesso do goleiro executado com as mãos, a bola tocar ou não no goleiro adversário, o tento não será válido.
» Toca ou controla a bola com suas mãos depois que um seu companheiro a tenha passado deliberadamente com o pé.
» Toca ou controla a bola com suas mãos depois de um arremesso lateral efetuado por um seu companheiro, passando-lhe diretamente.
» Toca ou controla a bola com suas mãos ou com os pés por mais de 4 (quatro) segundos, em qualquer parte da quadra de jogo.
Alteração na Regra: Não é mais considerada falta pessoal se o goleiro, na meia-quadra ofensiva, demorar mais de quatro segundos com a bola nos pés. Isto é, se o goleiro passar a linha demarcatória do meio da quadra, terá a posse de bola por tempo ilimitado. Na meia-quadra defensiva, entretanto, continua o tempo máximo de quatro segundos.
» Após haver tocado a bola ou arremessando-a com as mãos ou movimentando a mesma com os pés volta a recebê-la de um companheiro de equipe sem que a bola tenha antes ultrapassado a linha demarcatória do meio da quadra ou tenha sido jogada ou tocada, por um adversário.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: